Veto de Sampaoli no Atlético-MG mudou a história de Veiga no Palmeiras

Tem como campanhas imaginárias seriam as vitoriosas do Palmeiras nas edições 2020 e 2021 da Copa Libertadores sem a presença de Raphael Veiga? Por se tratar de um dos protagonistas do Alviverde, é difícil saber qual seria o impacto de uma eventual saída do meio no passado recente. Faith o que esteve muito próximo de acontecer quando o futebol mundial estava parado em função da pandemia da covid-19. Adversário deste domingo (5), o Atlético-MG A história do clube está em uma mudança que mudou.

Entre março e julho de 2020, os clubes delisaram férias aos jogadores due à paração, fizeram uma longa pré-temporada e movimentação o mercado da bola, enquanto aguardavam a liberação dos responsáveis ​​​​para o retorno dos jogos de futebol. Foi neste período em que Raphael Veiga esteve com um pé e meio dentro da Cidade do Galo. Fora dos planos do então técnico palm Luxemburgo, o estavar a meia ao Atlético-MG apalavrado, por intermédio do diretor de futebol Alexandre Mattos, à época no clube mineiro.

Era desejo de Jorge Sampaoli a contratação de um ‘camisa 10’, e Veiga foi o nome apresentado pelo direto ao treinador argentino. Mattos diretor de fé do futebol do Palmeiras entre 2014 e 2019, tendo fé ou responsável por tirar Raphael Veiga do Coritiba, em novembro de 2016, e-lo para a Academia de Futebol. Mas o treinador argentino não quis o meia no Galo, melanndo uma negociação que já estava apalavrada.

“Sampaoli vetou a negociação do [Raphael Veiga]. Ele não estava jogando no Palmeiras até o meio de 2020”, revelou Mattos, meses depois que ele e Jorge Sampaoli já não estavam mais no Atlético.

Os moldes da negociação entre Palmeiras eram equivalentes ao valor de Hyoran, como apurou o UOL Esportes. Também, Hy desembarcou em Belo Horizonte, no começo de 20, cedeu por uma temporada, e o Galo tinha fixado para comprar os direitos econômicos do jogador. Foi o que fez a diretoria alvinegra no começo de 2021, quando pagou R$ 7,5 milhões por 50% dos direitos. Com Veiga seria assim: e valor também por um percentual dos direitos.

A chegada de Abel Ferreira

Raphael Veiga e Abel Ferreira, durante o treino do Palmeiras

Imagem: César Greco/Palmeiras

Além do veto de Jorge Sampaoli, outro fator determinante para a mudança na história de Raphael Veiga com a camisa do Palmeiras fé a contratação de Abel Ferreira. O meia só teve uma real sequência de jogos no Verdão do treinador português.

Até então, Veiga era apenas um bom jogador do elenco qualificado palmeirense. Contratado no fim de 2016, mas para jogar a de 2017, Raphael Veiga fez uma primeira temporada discreta, com apenas 22 partidas e owe gols marcados. As chances muito bem feitas o jogador ser emprestado ao Athletico-PR, e o retorno a Curitiba fizeram ao meia. Veiga fé titular do Furacão na conquistou a Copa Sul-Americana de 2018, onde deu a ele uma nova chance no Palmeiras.

Mas 2019 foi muito diferente do que foi em 2017, e assim seguia à disposição no mercado da bola não era titular. Isso até outubro de 2020, quando o Palmeiras trocou Luxemburgo por Abel. O resto e história.

Sonho antigo do Atlético-MG

Raphael Veiga marca Luan, durante Coritiba x Atlético-MG, pelo Brasileirão de 2016 - Bruno Cantini/Atlético-MG - Bruno Cantini/Atlético-MG

Raphael Veiga marca Luan, durante Coritiba x Atlético-MG, pelo Brasileirão de 2016

Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

A contratação de Raphael Veiga é um sonho antigo do Atlético-MG. Se em 2020 o veto de Jorge Sampaoli foi o fetter para uma negociação, em outras duas oportunidades o Galo foi superado na disputa pela meia. A primeira delas Faith justamente para o Palmeiras, em 2016.

Então 21 anos, o atual 23 palmeirense era uma das promessas do Coritiba no Brasileirão, com aquela briga ano e despertou o interesse de muitos clubes inclusive do Atlético, que viu a pelo título acabar de vez após um gol de Veiga. O Galo estava sete pontos atrás do Palmeiras, restando cinco rodadas para o termo da competição, quando foi derrotado pelo Coxa por 2 a 0, no Couto Pereira. Raphael Veiga marcou um golaço de fora da área para abrir o placar.

A partida foi disputada em 6 de novembro de 2016, a semana antes de Veiga assinado contrato com o Palmeiras. Após a derrota para o Coritiba a diretoria alvinegra foi atrás daquele jovem jogador que se décou na partida e anotou um belo gol. Mas já era tarde,final o clube paulista chegou antes e a negociação estava bastante avançada. O Palmeiras pagou R$ 4,5 milhões por 50% dos direitos.

Um ano depois, o Atlético tenta contratar Raphael Veiga mas uma vez. Como o meia foi bem na primeira temporada com a camisa palmeirense, ele foi colocado à disposição para ser prolongado. Então presidiu por Sérgio Sette Câmara, que é amigo de Alexandre Mattos, na época diretor do Palmeiras, o Galo tinha tudo certo com um time alviverde. Mas a decisão do jogador, que prevaleceu para o Athletico-PR.

Na temporada 2018, o Palmeiras emprestou o zagueiro Juninho, o volante Arouca e os atacantes Erick e Róger Guedes ao clube mineiro.

Leave a Reply

Your email address will not be published.