Suzuki surpreende e desiste do MotoGP no final de 2022 – Notícia de MotoGP

” alt=””/>
CAMPEÃO X VETERANO: QUEM DEVE ORIENTAR EVOLUÇÃO DA YAMAHA NA MOTOGP?

TEM Suzuki detonou uma bomba no paddock de Jerez de la Frontera nesta segunda-feira (2). Um dia após o GP da Espanhola fábrica de Hamamatsu aproveitou o teste coletivo para reunir pilotos e funcionários e comunicar a decisão de deixar a MotoGP ao final do tempo 2022.

Campea com Joan Mir em 2020, uma fábrica japonesa tinha renovado o acordo com a Dorna, promotora do campeonato na temporada 2026, no início do ano passado. De acordo com o site britânico The Race, a decisão foi tomada pela companhia no Japão e não teve nenhum envolvimento da equipe de corrida, que contratou Livio Suppo no início do ano para comandar os trabalhos.

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP
▶️ Quartararo se sola na liderança da MotoGP

GP | GP2

A saída do Mundial ainda não foi anunciada oficialmente, mas já foi confirmada por diferentes veículos da impressão internacional. O site espanhol Motorsport fé o primeiro noticiar, seguido pelo britânico Autosport. A informação foi confirmada também por fontes da Suzuki ao site A Corrida. O anúncio da fábrica japonesa é aguardado para as próximas horas ou até na manhã de terça-feira.

Saídas intempestivas, alias, por ser um hábito na Suzuki. Em 2011, por conta dos impactos da crise econômica da época, os japoneses anunciam o fim da primeira passagem pela MotoGP depois ate de contratars para o ano seguinte. Desta vez, o cenário é diferente.

Dona de um dos menores orçamentos do Mundial, um Suzuki ainda não tinha renovado os contratos de Joan Mir e Alex Rinsmas Spo vinha falando abertamente sobre a possibilidade de manter os owe pilotos com uma equipe.

Agora, Mir e Rins ficam a pé para 2023. Restam, entretanto, muitas vagas ainda em aberto, já que poucos pilotos contratados os contratos renovados, como é o Francesco Bagnaia na Ducati, Marc Márquez na HondaFranco Morbidelli na Yamaha e Brad Binder na KTM.

Além de aos pilotos de tempo para antecipar uma nova vaga, o anúncio também vai permitir uma realocação de todos os profissionais que possam buscar sem emprego com a saída da Suzuki do campeonato

Segundo o site italiano GPOne, o presidente da SuzukiHiroshi Tsuda, gostaria de permanecer na MotoGPmas foi votado vencido no conselho administrativo por conta do impacto econômico da pandemia de Covid-19 e também da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Recém-possado no cargo de chefe da equipe, Suppo ficou em silêncio nesta segunda-feira ao ser questionado sobre a notícia da saída do Mundial.

“Sem comentários. Espero que vocês ouçam a minha situação. Tenha uma boa noite”, disse ao site italiano o directente, que saiu da aposentadoria para assumir o comando da equipe no início deste campeonato.

Após a última retirada, a Suzuki de volta a MotoGP em 2015, período que conquistou cinco vitórias, uma pole, 36 pódios e um título. Neste período, a marca foi liderada principalmente por Davide Brivio, que partiu para a Fórmula 1 para trabalhar com a Alpine após a época 2020.

Por enquanto, a Dorna também não se manifestou.

TEM MotoGP volta às pistas no próximo dia 15 de maio para o GP da França, em Le Mans, sétima etapa da temporada 2022. O GRANDE PRÊMIO acompanhe todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

LEIA TAMBEM
# Bagnaia finalmente acorda e põe tempo que faltava à temporada 2022 da MotoGP
# Aprilia perde direito a concessões na MotoGP com pódio de Aleix Espargaró em Jerez

” alt=””/>
EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Acesse como versões em espanhol e português-PT Faz GRANDE PRÊMIOalém dos porqueiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Leave a Reply

Your email address will not be published.