SAF no Bahia: Bellintani revela preferência por pagamento de dívidas e explica ideias | bahia

Uma possibilidade de Bahia se tonar Sociedade Anônima de Futebol (SAF) fé o assunto que dominou a reunião dos sócios para votar como contas do clube, realizada na manhã deste sábado, na Arena Fonte Nova. O Tricolor está em negociação com o Grupo City que, inclusive, já trabalha nos bastidores emb de profissionais para fazer parte do projeto, a exemplo do Coordenador das categorias de base do PalmeirasJoão Paulo Sampaio, eo diretor do futebol do São Paulo, Rui Costa.

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, compareceu ao evento e foi questionado por sócios do clube. O gestor informou que segue em negociação, ainda sem prazo para entrega de proposta, e deixou clara a preferência por um projeto que embrana o pagamento de dívidas do clube.

Guilherme Bellintani em assembleia geral — Foto: Reprodução / EC Bahia

– Talvez a maior proteção seja necessária a qualquer investimento que pense primeiro no pagamento da dívida; depois, em novos investimentos. O pagamento da dívida permitirá novos investimentos. E, ao mesmo tempo, se der alguma coisa errada, a dívida está pagã. A grande proteção, antes da jurídica, é comercial. Nem Cruzeiro, nem Botafogo, nem Vasco, salvo engano, exigiram pagamento antecipado da dívida. Eles usam a cláusula da SAF que os 20% de arrecadação nos próximos anos permitem a cláusula de pagamento da dívida. Isso é bom. A Chapecoense está fazendo é ter um SAF sem investidor. As ações são da associação. Então, ela usou o lei da SAF para limitar o pagamento da dívida. No nosso caso, a gente tem proteção comercial e jurídica. E lógico que, em uma mesa de negociação, vai ter a gente puxando para cá, e gente puxando para lá. O contrato bom para o negócio é um pouco ruim para os deve. Vamos lutar para ser o melhor para nós. Estamos trabalhando para que a proposta que venha contempla os itens básicos.

– Outros modelos que, par mim, são mais modelos para dizerem que se você quer s’ to invest no clube, primeiro check é para pagar dívida. E depois vamos investir no futebol. Indo ruim para nossa realidade, que se a gente quiser ter uma quitação de dívida de curto prazo, que me parece mais responsável, muito ruim ter Invest que só coloque dinheiro no futebol. Me parece uma coisa meio rasa investir para colocar dinheiro só no futebol e continuar devendo. A minha sugestão é ter alguém que investe na redução ou redução da dívida e além disso a redução da redução além da compra do jogador – continua o gestor.

Questionado como assuntos relevantes, em consideração o que está sendo levado em consideração pelo clube social nos últimos anos, Guilher é um tema levado em consideração pelo seu clube que esse é um assunto levado em consideração pelos sócios.

– A gente ouvirá que esse processo tem de aceitar ou se constituiu de forma a aceitar. São questões normais. Eu diria que das duas propostas que a gente discute, uma é mais aberta a discussão mais lá e cá e outra é mais fechada. Hoje a gente está com conversa mais fechada com potencial porque está aceitando discussão do projeto. Por isso a conversa está se alongando. Está tendo espaço para debater projeto e não só questão financeira, como a política representativa. A associação continuou existindo. Ele só vai ter deslocado para uma sociedade o negócio futebol. Mas a autonomia da sua imagem continuou existindo. É uma sociedade determinada por duas pessoas. Se essa sociedade vai ter presidente social, depende de quem. Claro uma SAF não leva história de forma plena como associação. Parte disso se perde, e é preciso decidir com base ness contexto para que a gente não se iluda. Mas a associação continuou existindo.

Bellintani também revelou que discute um modelo que beneficia nossos sócios do clube antes da SAF.

– A gente está organizando de uma forma que o processo de discussão seja o mais profundo possível. Se em algum momento essa proposta chegar, que a gente faça discussão no tempo e período disponível para isso. Nós já demonstramos que vamos trabalhar com toda cautela necessária, sem pressão, e sem usar o tempo além do que é preciso. Tem que ser feito de uma maneira que se sente seguro. Esse sócio merece ter um olhar diferente. Não posso dizer o que é, mas diria que esse tema está dentro da mesa de negociação. Quem for sócio ate a fundação da SAF terá uma visão diferente do que a gente planeja.

– Existe uma coisa que estamos apelidando de sócio fundador. Para que aqueles sócios tenham uma perspectiva diferenciada em relação aos novos sócios. Entenda que é importante

Assim que receber uma proposta, o Bahia Empreender o documento para o Conselho Deliberativo, e uma Comissão Montada para estudar o assunto vai formar o parecer. Em seguida, os sócios vão decidir, em assembleia, se aprovam ou não a SAF.

Ao todo, o Grupo City conta com 11 clubes, encabeçado pelo time de Manchester. Os demais são: Bolívar, da Bolívia; Troyes, da França; Lommel SK, da Bélgica; Cidade de Mumbai, da Índia; Sichuan Jiuniu, da China; Girona, da Espanha; Montevidéu City Torque, Uruguai; Yokohama F. Marinos, do Japão; Melbourne City, da Austrália; e Nova York, de volta Estados Unidos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.