Ricardo Goulart explica ideias de Bustos e mudança em esquema do Santos: “Vou me adaptei” | santos

O técnico Fabián Bustos tem buscado a formação perfeita para o Santos. Contratado em fevereiro, o treinador colocou rapidamente na prática suas ideias para montar o time num 4-2-4. Contorno do ninho, Ricardo Goulartum dos destaques do Peixe, deixou o meio de campo para jogar no attack.

O Experience camisa 10 do Santos já passou por diversos setores de meio de campo na carreira, mas ainda não existia um esquema semelhante com o utilizado por Bustos atualmente.

Na prática, Ricardo Goulart deixou de ser o meia de criação do Santos, como era no 4-2-3-1 utilizado anteriormente, para ser segundo atacante ao lado de um centroavante (Bryan Angulo ou Marcos Leonardo). ao idadeo camisa 10 ainda estar em fase de adaptação de Bustos.

– Eu vinha jogando num 4-2-3-1, como meia. Nenhuma fé paulista assim. Tive bons números. Sou muito bem adaptado nessa função, por bons clubes que passei bons números. Agora estou tentando me adaptar ao esquema do professor. E uma coisa nova. Estou me adaptando a jogar sem meia, como atacante. Vou me adaptar e fazer meu trabalho – disse Goulart, ao idade.

Ricardo Goulart e Treino do Santos — Foto: Ivan Storti / Santos FC

Apesar de ainda não se sentir totalmente adaptado às novas ideias, fé justamente por estar mas perto da área adversária que Ricardo Goulart conseguiu dar a assistência para o gol de Bryan Angulo, sem empate em 1 a 1 com o Unión La Calera, na última quinta-feira, pela Sul-Americana, fora de casa.

Além do posicionamento como atacante, o que ainda está em fase de adaptação não Santos é a maneira como Fabián Bustos gosta que só o tempo se comporta dentro de campo. Como diz Madson, em entrevistado na Central do geo técnico é um favor da verticalidade, mas sem tanta posse de bola.

Desta maneira, o Santos Precisa ter mais velocidade e menos cadência. Os jogadores ainda estão em busca do entrosamento ideal para que as ideias de Bustos fluam com mais naturalidade.

– Temos de tentar ajustar, porque como defendemos com uma linha baixa tem um desgaste na marcação. E muitas vezes não vai ter como chegar com três toques de bola à área adversária para finalizar. São esses detalhes que temos de ajustar. Nesses últimos jogos tentamos definir como jogadas rapidamente. Defesa e ataque rápido. A nossa posse de bola diminuída bastante. Os resultados estão vindo, o pessoal está pegando uma ideia dele. Está bem bacana – completou.

Melhores momentos: Union La Calera 1 x 1 Santos pela Copa Sul-Americana

Enquanto ainda tenta “pegar” as ideias de Fabián Bustos, Goulart garante já estar readaptado ao futebol brasileiro. O camisa 10 festeja os bons números no Campeonato Paulista e o fato de não ter tido problemas desde quando foi contratado.

– Estou readaptado. Meus números no Paulista foram bons, atuações boas, com intensidade boa, tudo o que já era o esperado. Cheguei numa equipe nova, com novos jogadores, reformulado no tempo. A questão era mesmo entrosamento, mas sabemos que o futebol é muito significativo. Toda hora tem de estar readaptando, reajustando. Futebol é muito fácil – por isso.

Agora, depois do sofrimento contra a queda para a Série A 2 do Campeonato Paulista, Ricardo Goulart que ver o Santos brigando por títulos. Cada um que isso será possível em 2022.

– Tem, sim (chance de brigar por títulos). Vai brigar. Sabemos que o perfil da Copa do Brasil é diferente da Sul-Americana. Copa do Brasil é um mata-mata, jogando com times grandes. No Brasileiro é pontos corridos, não se define em uma só partida. Sabemos que ponto conquistado fora nos ajuda bastante. Estamos bem na tabela, bem na Sul-Americana, bem só da gente. E sempre esquecendo de 1 a 0 para o Coritiba temos condições de reverter e passar na Copa do Brasil.

O podcast ge santos está disponível nas seguintes plataformas:

Leave a Reply

Your email address will not be published.