Renato Moicano quer lutar contra Bobby Green e avisa UFC: “Quero o dinheiro” | lutar

O peso leve Renato Moicano entrou no octógono no início deste mês e perdeu por decisão unânime para o ex-campeão Rafael dos Anjos no UFC 272, em Las Vegas. O atleta aceitou a luta na última hora e com pouco menos de uma semana de preparação, lutou. Ele deixou a arena para uma ovação de pé, tendo completado incríveis cinco rounds. Em entrevista exclusiva com lutarcomentou sobre a preparação para a luta e a disposição para se levantar.

– É impossível saber o quanto isso afetou o resultado da luta. A questão é que eu aceitei a luta e sabia dos riscos. Vim para o Brasil no domingo de manhã e estava cansado do voo. Nem dormi bem e já tive que voltar para Vegas. No dia da luta eu estava até descansado, mas longe do meu melhor desempenho. Fico feliz por ter aceitado e testado a mim mesmo. É uma derrota que me acrescentou. Não consegui o que queria, mas também não vou inventar desculpas. Só analiso o que tenho e foi uma derrota que me colocou de pé.

Renato Moicano — Foto: Getty Images

– Justo quando perdi, fiquei muito chateado. Normalmente as pessoas não vibram tanto e eu vi todo mundo gritando. Eu só tive uma ideia de que perdi a luta e fui esbarrado. É muito ruim para o ego do lutador ser derrubado e não poder fazer nada, mas o UFC me ofereceu a luta e eu fiz o que tinha que fazer. Vou continuar com o mesmo procedimento e mais forte na próxima luta. É por isso que as pessoas o amavam. Ele viu a posição que eu tinha que passar e não importa a luta que eu perdi, eu continuei tentando vencer. Eu nunca tinha feito cinco rounds e nem estava pronto para fazer uma luta de três rounds. Ganhei a última rodada. Acredito que minha vontade e minha confiança foram muito testadas e aprovadas. Sinto que saio mais forte tendo resistido e superado as adversidades físicas e mentais.

Moicano disse não estar frustrado com a decisão do UFC de conceder o prêmio máximo da luta ao confronto entre Colby Covington e Jorge Masvidal. Apesar da luta morna, é uma das maiores rivalidades da empresa hoje, e o brasileiro entende a decisão da empresa, mas admite que não presenciou a luta. Agora, a ênfase está nos poucos dias de férias antes de retomar os treinos nos Estados Unidos.

– Não assisti a luta do Masvidal. A multidão disse que não foi uma luta tão boa. Não sei, porque não assisti. Adormeci sabendo que o bônus era nosso, no entanto, quando me disseram que eu não estava nem mesmo frustrado. Eu sou bem maduro e não vou chorar por isso. Minha mente está pronta para fazer o que posso com o que tenho. Este bônus não depende de mim. Não há como mudar ou reclamar. Gasto mais energia focando no que preciso e agora foco nas férias. Quando é hora de treinar, eu vou tão duro. Prepare a mente e o corpo para vencer. Não fiquei surpreso ou frustrado, embora tenha adormecido sabendo que receberia o bônus.

O brasileiro também não esconde que, quando entrar no octógono e pegar o microfone, vai falar. Mohawk pretende continuar cobrando seu prêmio quando achar que merece. Renato viralizou na entrevista pós-luta com sua fala pedindo dinheiro. Ele pretende adotar o slogan como sua marca e agradece o reconhecimento público.

– Posso ganhar a luta e falar, mas não posso culpar o UFC. Eu sempre digo que como uma empresa no mundo da luta, eles tomam as melhores decisões. Não entendemos por que não temos o gerente de negócios. Eu não me sentia qualificado para julgar o Ultimate. Acho que deveria ter ganhado o bônus várias vezes e essa foi mais uma. Eu vou lutar e se eles me derem o microfone, eu vou falar. Isso me fez querer carregar ali mesmo e eu fiz. Não surtiu efeito, mas muitas pessoas sabiam meu nome e se sentiram representadas na entrevista. O vídeo que se tornou viral foi muito importante para mim e as pessoas diziam: “Moicano quer dinheiro!”. O dinheiro tem que continuar chegando.

– Espero que essa comoção de torcedores me faça projetar o UFC e me dê lutas melhores. Sabemos que o UFC está sempre atento ao que está acontecendo nas redes sociais. Vamos esperar e ver. Quero lutar logo para a torcida ficar com meu nome na boca e o Moicano quer o dinheiro! Quero consolidar esse slogan no UFC e conquistar meu lugar na categoria”, disse o peso leve.

Renato Moicano UFC — Foto: Evelyn Rodrigues

Renato Moicano já tem seu próximo alvo no ramo e acha que a melhor luta para ele na próxima luta é contra Bobby Green. O lutador não esconde a vontade de vencer e retomar os treinos. Embora tenha dito que precisava de um descanso, já pensa em voltar e aprender novas habilidades.

– São dois caras que lutaram muito e no mesmo evento. Seria mais ou menos o mesmo período de espera. Estamos fora da classificação, mas com boas atuações. É uma luta que faz sentido e tentei aproveitar o hype também. Acredito que essa é uma luta que pode ser vencida. Estou melhor em todas as áreas. Quero fazer um “evento principal” e colocar meu nome no topo. Mostre ao UFC que estou pronto para enfrentar qualquer um. De bom a ruim. Pretendo lutar novamente em junho ou agosto. No dia 8 (abril) retorno aos Estados Unidos. Treino bem leve e quando volto assumo a rotina. Já cansei de sair da rotina. O ser humano é foda. Você sempre reclama. Enquanto isso, aproveito para praticar coisas novas. Pegue capoeira, talvez taekwondo.

O brasiliense se sente bem nos leves e pretende continuar na divisão. Moicano está preparado e se vê como um dos melhores fisicamente, mas ainda precisa trabalhar para enfrentar os próximos adversários.

– Estou muito confiante na categoria. O Rafael dos Anjos é um ex-campeão, e achei ele bem normal. Ele me chutou muito forte, mas na troca de socos, achei que estava acertando ele de frente, mesmo sendo um dos melhores da categoria. Ele me decepcionou muito facilmente porque eu não tinha praticado. Sinto-me fisicamente no topo da categoria ou mais forte. Trabalhe nesse grappling para melhorar e estou feliz no peso leve.

O lutador tem duas lutas restantes em seu contrato e já deixou um recado para Dana White. Mais uma vitória e já pretende negociar um novo acordo. A faixa leve é ​​um dos sonhos do atleta, que prioriza ganhar dinheiro e até estudar investimentos para sua aposentadoria.

– Ainda tenho duas lutas no meu contrato. Mais uma vitória na próxima e pediremos mais dinheiro. No final, é isso que conta. O romance de cinto é bom, mas não paga as contas. Só o sonho não compensa. Eu quero ser campeão, mas meu objetivo hoje é ganhar dinheiro. Ter uma coluna de ativos que me apoia. Invista, estude e faça o dinheiro trabalhar para mim. Este é o objetivo principal. Obviamente quero ser campeão, mas isso não paga as contas. Meu principal objetivo é ganhar dinheiro e melhorar ao longo do caminho.

O peso leve aproveitou a entrevista para comentar o que aconteceu na semana passada na noite do Oscar, quando Will Smith deu um tapa na cara de Chris Rock após o comediante fazer piada sobre a doença de Jada Smith. Ele está tentando conscientizar a sociedade de que as coisas não devem ser resolvidas pela violência e que dentro do octógono é diferente, e ainda assim reforça a frase.

– Os combatentes devem ser contra este tipo de violência. Assinamos um contrato para quase nos matarmos. O árbitro que impede. Foi uma piada de mau gosto, mas não vou tolerar a violência. Não podemos normalizar isso em favor de uma causa. Ninguém gosta de zombar dos doentes, mas também não podemos atacar os outros. Se começarmos a praticar o olho por olho, eventualmente todos ficarão cegos. Não podemos silenciar palavras com agressividade. Deixe a luta para os profissionais. Comédia para comediantes e encenação para atores. Além disso, Moican quer dinheiro!

* Estagiário sob supervisão de Gleidson Venga e Raphael Marinho

Banner UFC 273: Duas lutas pelo título que você só vê ao vivo na luta! — Foto: Infoesporte

Leave a Reply

Your email address will not be published.