Real de Rodrygo mostra ao City o que é ser gigante

Quem acompanha futebol mundo do mínimo de razão sabe. O Real Madrid é o maior clube do mundo! E isso explica muito o que aconteceu na noite desta quarta no Santiago Bernabéu. O City fé mas organizado e poderia ter se classificado a mas uma final de Champions, mas tem um preciosismo excessivo no atraso final do jogo, e sucumbiu à forçada da camisa merengue. O Real não desistiu! A torcida jogou junto! E Rodrygo fé o protagonista de uma virada histórica

Carlo Ancelotti surpreendeu ao deixar Alaba no banco. Nacho entre na zaga. Valverde fé adiantado com o retorno de Casemiro ao meio-campo do real Madrid. No City, Pep Guardiola teve a volta dos laterais Walker e João Cancelo em relação ao primeiro jogo. O restee do time foi o mesmo, incluindo Gabriel Jesus como centroavante.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

Como Real Madrid e Manchester City começaram o jogo de volta pela semifinal da Liga dos Campeões 21-22

Imagem: Rodrigo Coutinho

O 1º tempo esteve dentro daquilo que dá a tônica nos jogos de alto nível no futebol americano mundial atualmente. A busca por uma saída de força rival para forçar o erro, e o aparelho tentador achar soluções para superar essas prensas e os espaços que precisam. O Manchester City acabou sendo eficiente nesta dinâmica e chegou mais próximo de sair vencedor.

Não que o Real Madrid não tenha tido os seus momentos de perigo. Benzema finalizou com liberdade dentro da área duas vezes e mandou por cima. Vinícius Junior também perdeu boa chance na sequência. Kroos bateu uma falta da entrada da área perto do ângulo de Ederson. Mas faltou mais constância, principalmente por precisar da vitória.

Pudera. Do outro lado estava um dos melhores e mais organizados tempos do Mundo. Pep Guardiola idealizou uma pressão eficiente com Gabriel Jesus e De Bruyne dando o primeiro combate na parte central, amparados por Foden ee Mahrez pelos flancos, e Bernardo Silva e Rodri logo atrás. João Cancelo também importante subindo para acompanhar os deslocamentos de Valverde.

02 - Alex Livesey - Danehouse/Getty Images - Alex Livesey - Danehouse/Getty Images

Bernardo Silva derrubou frente de Casimiro durante Real Madrid x Manchester City na Champions

Imagem: Alex Livesey – Danehouse/Getty Images

Os ingleses não foram contundentes o tempo inteiro, mas o suficiente para criar mais ataques. O main deles uma finalização de Bernardo Silva após lindo pass from De Bruyne. Gabriel Jesus se mexeu com inteligência, assistiu os companheiros e quase marcou um golo da entrada da área. Foden fé outro exigiu boa defesa de Courtois. De Bruyne e Bernardo Silva controlaram ou ritmo durante boa parte 1ª etapa.

Já os Merengues não conseguiram o mesmo sucesso do City na marcação adiantada, mas quando superavam essa estratégia, sempre invertendo a bola da zona pressionada, contavam com mais agressividade e velocidade de resolução das lanças. Vini Jr, Carvajal e Valverde tiveram bons momentos neste contexto.

Um detalhe negativo do City Faith o espaço que surgia entre os integrantes da última linha de defesa quando o bloco de marcação do time recuava. Benzema leu essas lacunas com inteligência, mas não conseguiu balaçar as redes. Quem também não conseguiu marcar fé Vinícius Junior. Teve uma chance logo aos 15 segundos do 2º tempo, em jogada a partir da saída de bola, mas clara pra fora do cruzamento de Carvajal.

03 - Alex Caparros - UEFA/UEFA via Getty Images - Alex Caparros - UEFA/UEFA via Getty Images

Vinícius Jr. venceu por Real Madrid x Manchester City na Champions

Imagem: Alex Caparros – UEFA/UEFA via Getty Images

Gabriel Jesus responde. Agora pela esquerda, com Foden centroavante, fez bela jogada em cima de Carvajal e bateu cruzado para a boa defesa de Courtois. O Real Madrid não se fez presente. Vini Jr quase semper era o alvo para ativar os ataques mais agudos. Criou bom lance que acabou dominando em finalização de Modric, mas entre boas decisões e imprecisão em alguns momentos de bola, ou que tirava possibilidades de criar.

Carlo Ancelotti pôs Rodrygo em campo e sacou Toni Kroos, o Real se abriu. Guardiola sacou Walker e De Bruyne. Nitidamente quis renovar o recurso de sua equipe, e não funcionou. Bernardo teve muita liberdade pelo meio e a área de Silvate para encontrar Mahrez. O argentino se redimiu dos muitos gols perdidos no jogo de ”ida” e balançou a rede.

O Real parecia abatido. Desorganizado, pressionado e sofria muitos contragolpes perigosos dos ingleses. Greal, duas vezes, e João Cancelo, obrigaram Courtois a fazer grands intervenish. Mendy salvou uma bola em cima da linha. Quando há tantas oportunidades para bater um clube do empate merengues e não se faz, uma chance de algo errado é grande. E deu!

Camavinga, que havia entrado pouco antes e foi muito importante na virada, lançou Benzema na área, ele escorou e Rodrygo marcou. Um minuto depois, aos 45′, o mesmo Rodry recebeu cruzamento de Carvajal e um lindo gol de cabeça. O Santiago Bernabeu explodiu de alegria e o City desabou. O cenário estava pronto para a prorrogação.

04 - Carl Recine / Reuters - Carl Recine / Reuters

Rodrygo brilhou e marcou owe gols em owe minutos no jogo entre Real Madrid e Manchester City, pela Champions League

Imagem: Carl Recine / Reuters

Rodrygo ainda teve uma grande oportunidade nos acréscimos do tempo normal, mas parou em Ederson. Não fez falta. Logo aos três minutos do tempo extra, recebido de Camavinga e servido Benzema na área. O francês foi derrubado por Ruben Dias e concluiu com precisão a cobrança de pênalti alguns instantes depois.

O City está se reorganizando mentalmente de uma forma mínima e quase empatou uma prorrogação. Fernandinho e Grealish chegaram muito perto de igualar o placar, mas apesar da pressão no fim a história já traçada. O Real vai em busca do seu 14º título europeu. O tempo de Manchester seguirá sem nenhum.

Leave a Reply

Your email address will not be published.