Radar da seleção: Gabriel Jesus brilha no clássico e mostra que segue vivo na prova do Catar | seleção brasileira

E não foi de qualquer maneira. Reserve pouco mais de três minutos para assistir ao no.9 de Pep Guardiola jogar no empate por 2 a 2 entre Manchester City e Liverpool. Começando na ala direita – mas centralizando repetidamente como camisa 9 – um Jesus confiante em campo mostrou seu melhor jogo:

  • muita aplicação em cada metro de grama, seja para desarmar, antecipar ou fechar espaços;
  • sentido posicional para receber passes dos companheiros, como no chute em que De Bruyne chuta fundo e Jesus deixa Sterling na cara de Alisson (o goleiro brasileiro defende);
  • força, técnica e oportunismo, como no gol marcado ao segundo poste. Para conseguir o 10, ele ficou sem sorte depois de acertar um mata-mata no peito contra um zagueiro, driblou esse mesmo adversário e outro, depois derrotou Alisson. Mas havia um Virgílio a caminho.

O detalhe do toque de placa de Gabriel Jesus para vencer Alisson no Manchester City contra o Liverpool – Foto: Andrew Yates/EFE

O empate em 2 a 2 colocou Cidade de Jesus, Ederson e Fernandinho um ponto à frente de Alisson, Fabinho e Roberto Firmino, do Liverpool, que chegaram no final do jogo. O habilidoso atacante dos Reds também luta para que Tite seja lembrado novamente

Isso significa que a onda de Jesus está a caminho? Absolutamente. Mas o jogador respondeu em campo, a melhor reação da comissão técnica de Tite esperada do vice-artilheiro da era Tite – 18 gols, mas o último foi na final da Copa América. Há 19 jogos pela seleção sem marcar.

Viajando para a Europa para acompanhar dois jogos da Liga dos Campeões – Manchester City 1 x 0 Atlético Madrid e Chelsea 1 x 3 Real Madrid -, Tite, o auxiliar Cléber Xavier e o coordenador da equipe Juninho Paulista tiveram breve contato com Jesus em Manchester. Eles confiam no potencial do atacante que completou os últimos 11 meses de contrato permanenteo gigante da Inglaterra.

Ainda na Inglaterra, Raphinha marcou novamente para o Leeds United. São 10 gols – nenhum brasileiro marcou mais gols do que ele na Premier League – e três assistências em 29 jogos. O que significa 34% de participação direta nos objetivos da equipe que luta contra o rebaixamento

Veja a compilação do leilão no jogo de Gabriel Jesus

Após 5 a 1 no último final de semana, o trio Mbappé, Messi e Neymar funcionou muito bem e ajudou o PSG, líder isolado do campeonato francês, a marcar 6 a 1 contra o Clermont – três do francês e três do brasileiro. Além dos gols, Neymar ofereceu um belo passe de trivela para Mbappé fazer um de seus gols.

Depois de voltar de lesão em 15 de fevereiro – vitória por 1 a 0 sobre o Real Madrid na França -, Neymar completou sua décima partida em 53 dias. À atenção da Comissão Técnica de Seleçãoo, que tem o preparador físico Ricardo Rosa como funcionário de Paris, é justamente pela sequência de partidas da camisa 10 da seleção brasileira.

O Radar da Seleção monitora as partidas “chamadas” durante as rodadas do fim de semana e também é destaque todas as segundas-feiras no “Tá na Área”, do SporTV.

Na Espanha, o Real Madrid ganhou mais uma e segue com grande vantagem na liderança da La Liga. Os brasileiros Viní Jr. e Rodrygo – ambos presentes nas últimas listas de Tite – cada um deu uma assistência para um gol na vitória por 2 a 0 sobre o Getafe. O primeiro gol foi de Casemiro. De fato, em um belo cruzamento de Vini no meio-campo, que ainda não havia marcado nesta temporada pelo clube da capital espanhola.

Convocado apenas uma vez por Tite – após a lesão de Matheus Cunha -, Arthur Cabral marcou o segundo gol do campeonato italiano pelo novo clube. Um belo gol, com um drible e um chute da entrada da área para a Fiorentina vencer o Napoli por 3 a 2.

Aos 23 anos, Arthur luta para se manter no radar do técnico da seleção brasileira, que já testou vários nomes opcionais para ocupar o corredor central do ataque.

Pesa contra a Paraíba atuar menos fora da área do que os demais concorrentes que atuam na Europa, como seu compatriota Cunha, Richarlison, Gabriel Jesus e Roberto Firmino. Além, é claro, dos candidatos à Copa que atuam no futebol brasileiro. Caso de Gabigol e Hulk.

A vibe de Arthur Cabral ao marcar um gol pela Fiorentina contra o Napoli – Foto: Getty Images

Leave a Reply

Your email address will not be published.