Quais seriam as placas mais justas na quinta rodada do Brasileirão? Entendendo a metodologia e confira | espião estatístico

Semper justiça no futebol, Atlético-MG, Flamengo, Palmeiras , Atlético-GO e juventude saído com a vitória em confrontos sérios. Alem disso, Bragantino x corinthians e Fortaleza x São Paulo foram os jogos de pior qualidade até aqui neste Brasileirão, apesar dos gols marcados. As compras do jogo abaixo se baseiam somente no indicador de cumprimento do gol (xG cada finalização recebe um valor diferente). Entenda as finalizações nem sem um exemplo de duas ofertas feitas para o perigo do meio de campo e uma oferta de exemplo.

O Atlético-MG produto ou suficiente para marcar 2.89 gols, fé ineficiente e marcou apenas um. Foram 24 finalizações do Galo: quatro de dentro da pequena área, 12 de dentro da grande área e outras oito de fora da área.

Ja o América-MG produziu o suficiente para marcar 1,53 gol, fé eficiente e marcou dever. Foram 10 finalizações incluindo o pênalti convertido por Iago Maidana. O pênalti é o tipo de finalização que tem a maior probabilidade de ser convertido em gol. Dos 74 penalidades cobrados e 9 pelo Espião Statistico desde a edição de 2013 do Brasileirão, 744 balançaram as redes (ou seja, em 76,4% das vezes).

O Atlético-PR confirme ou seu favoritismo contraste o Ceará , apesar do indicador de espera de gol (xG) mostrar que cada equipe pode ter marcado um gol a mais do que fez. Foram 14 finalizações do Furacão e a equipe produziu os primeiros minutos do segundo tempo: teve o gol de Abner e o pênalti definido por Terans. Ja o Ceará produziu o suficiente para marcar quase um gol (0,96 xG). Foram 15 finalizações do Vozão: sete de dentro da área e oito de fora.

Flamengo (1,91) 0-1 (0,87) Botafogo

Enquanto o Botafogo produziu uma espera de gol (xG) próxima da realidade (0.87 xG e um gol marcado), o Flamengo produziu o suficiente para marcar quase owe gols (1.91 xG), fé ineficiente e não saiu do zero. Foram 18 finalizações do Flamengo(11 de dentro da área, sete de fora), sendo a mais perigosa a última partida com David Luiz, em que acabou finalizando para fora por cima do gol.

Em entrevista após o jogo, Fred comentou que o resultado foi justo para as duas equipes. Segundo o indicador de de gol (xG), quem produziu mais foi o Palmeiras. Enquanto o Flu marcado produziu uma antecipação de gol (xG) muito próxima da realidade (1.4 xG e um gol), o Verdão produzido o suficiente para marcar 2.36 gols. Foram 20 finalizações do Palmeiras (12 de dentro da área, oito de fora) contra nove do Fluminense (quatro de dentro da área, cinco de fora).

Os mapas das equipes no primeiro tempo mostram que o Palmeiras buscou mais o jogo, enquanto a maioria dos passes faz Fluminense melhor, em sua maioria, na faixa central do campo. Os melhores cinco minutos do Fluminense foram exatamente o que geraram o gol de empate (como mostra a linha de xG cinza no gráfico acima).

Atlético-GO (3,14) 0-1 (0,74) Goiás

Simulando 10.000 vezes cada finalização da partida, o Atlético-GO sairia com a vitória em 84% das vezes contra apenas 5% do Goiás, que marcou logo de cara e depois jogou com um a menos Durante a maior parte do tempo de jogo. A equipe visitante finalizou seis vezes (quatro de dentro da grande área e duas da meia-lua) contra 32 finalizações do Dragão (19 de dentro da área e 13 de fora) e isso fez com o que o Goiás produzisse uma espera de 0, 74 xG enquanto o Atlético-GO produzido ou suficiente para marcar mais de três gols (3.14 xG).

A pressão do dragão fica evidencia nossos mapas de passes das equipes abaixo:

O Santos produto ou suficiente para marcar 1,76 gol, fé muito eficiente e marcou quatro. Foram 11 finalizações do Peixe (duas de dentro da pequena área, cinco da grande área e quatro de fora) contra 16 do Cuiabá (12 de dentro da área e quatro fora), que produz uma expectativa de 1,37 xG.

Bragantino e corinthians disputaram o pior jogo da competição em termos de quantidade e qualidade das finalizações, junto com o jogo mais abaixo de Fortaleza e São Paulo. Somando como duas expectativas de gol, como equipes produzam menos de um gol (0,59 xG + 0,11 xG = 0,70 xG). corinthians (duas de fora da área e uma de dentro da grande área). O Timão contorna com a qualidade de Renato Augusto para sair com a vitória fora de casa.

Apesar do impato, fé o juventude quem produziu mais linha segundo o indicador de xG (1.64G do Juve contra 0.80 xG), mas muito por conta do gol tomou iniciativa de buscar o empate, mostra a preta do gráfico subindo mais após o gol. Foram 14 finalizações do juventude (nove de dentro da área e cinco de fora) contra oito do Internacional (seis de dentro e duas de fora).

O outro jogo foi produzido menos de um gol (0.70 xG) se somadas como expectativas de gol (xG) das duas equipes, apesar dos gols marcados. O Fortaleza finalizou nove vezes (quatro de dentro da área e cinco de fora) contra cinco finalizações do São Paulo (tre de dentro da área e duas de fora). Simulando 10.000 vezes cada finalização feita na partida, o empate ocorre em 55,3% das vezes, enquanto a vitória do Leão do Pici sairia em 32,2% das vezes e a vitória do Tricolor em 12,5%.

Você poderá encontrar gráficos e olhares de mais jogos no Estatísticas do Twitter do Espião e a análise do jogo entre Avaí e Coritiba será atualizada nesta matéria ao longo da semana.

O indicador de “Gols Esperados” ou “Expectativa de Gols” (G) é uma métrica consolidada na análise de dados que tem como referência mais de 84 mil finalizações cadastradas pelo Espião Estatístico em 3.3 mil jogos de Brasileirões desde a edição de 2013 A parte do corpo utilizado para a finalização foi feita a distância e a finalização em relação ao corpogol, se a finalização ou foi feita a primeira mão ou foi ajeitada, assim como a origem do cruzamento, falta direta, de uma roubada de bola, etc). Também são levados em conta o valor de mercado das equipes em cada temporada a partir de dados do site Transfermarkt, o tempo de jogo ea diferença no placar no momento de cada finalização.

Como exemplo, de cada cem finalizações da meia-lua, apenas sete viram gol. Então, considerando somente a distância do chute, a finalização da meia-lua tem espera de cerca de gol (xG) de 0.07. Cada posição do campo tem uma expectativa diferente de uma finalização, que cresce se há um contra-ataque para evitar a conclusão da jogada. Cada finalização de cada equipe recebe um valor e é somada ao longo da partida para se chegar ao xG total de uma equipe em cada jogo.

Sendo assim, partidas identificadas quem são os jogadores que executam acima ou abaixo do que se espera em uma partida ou ate mesmo em um. Vale lembrar que o futebol é o esporte em que o acerto é mais raro (neste caso o gol) e isso faz com que nem sempre o placar final de um jogo seja condizente com a performance das equipes em campo.

* Bruno Imaizumi é economista por causa da equipe do Espião Estatístico, formada por: Felipe Tavares, Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, João Guerra, Leandro Silva, Mateus Pinheiro, Roberto Maleson e Valmir Storti.

Leave a Reply

Your email address will not be published.