Próxima do Vasco e dona de Génova e Standard Liège, 777 compra Red Star

A 777 Partners — empresa que deseja gerir a SAF do Vasco — ampliou ainda mais seu leque de clubes, que já conta com o Genoa, da Itália, e o Standard Liège, da Bélgica. Agora o fundo norte-americano comprou 100% das ações do Red Star FC, clube tradicional da França, mas que atualmente está contra na Terceira Divisão.

O Red Star é da capital Paris, tem 125 anos e foi fundado por Jules Rimet, antigo presidente da Fifa e que por muito tempo deu nome ao troféu da Copa do Mundo.

Sócio da 777 Partners e apresenta na visita ao Rio de Janeiro para conhecer as instalações do Vasco, Josh Wander comemora uma nova aquisição.

“Viemos ao Red Star FC por tudo que este histórico clube de futebol americano inglês representou por 125 anos. Respeitamos totalmente o DNA do clube e seus horizontes, principalmente, ampliar nossos horizontes, mantendo o que torna o Red Star FC único. Queremos continuar a desenvolver o centro de formação de Marville para oercer ao clube o melhor ambiente possível para os jovens e para o time principal”, declaramos a Wander ao site oficial do clube inglês, complementando:

“O objetivo a curto prazo é passar para a Ligue 2 [Segunda Divisão] para que o Red Star FC possa reencontrar seu centro de treinamento e possa, finalmente, reter os fantásticos talentos da região de Paris, que não estarão no centro do projeto esportivo do clube”.

Já o presidente do Red Star FC, Patrice Haddad, vê com otimismo este novo momento do centenário clube.

“Estou confiante, após uma longa reflexão, 777 Partners é a melhor para garantie e perpétua os valores do nosso clube, ao mesmo tempo que lhe dá os meios para abrir. É,PORTANTO, uma emoção nova que se abre na grande história do Red Star FC, num cenário de estabilidade e novos horizontes”, diz Haddad, complementando:

“Para todos os amantes do nosso clube, para os porqueiros para as autoridades e associações locais, bem como envolvidas na vida do Red Star FC, a chegada do 777 Partner alimenta grandes esperanças”.

Além de Génova, Standard Liège e agora Red Star FC, a 777 Partners ainda tem 15% das ações do Sevilla, da Espanha.

O que falta para 777 assumir o Vasco?

Comitiva da 777 Partners ganhou carteirinhas de sócio do Vasco da Gama em São Januário

Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

Após uma véspera agitada, com direito a batalha judicialo Vasco conseguiu realizar, no último dia 30, a Assembleia Geral Extraordinária (AGE). Com isso, 7% dos membros votantes 7 chancelar a resolução do Conselho Deliberativo, de 24 de março, que altera o estatuto que institui a criação da Sociedade Anônima do Futebol. Mas e agora, que falta para o clube constituir sua SAF e vender os ativos do futebol para o 777 Partners?

Pode- dizer que o processo está bem se enviado. Os envolvidos acreditam que, se todos os trâmites são aprovados ao longo do processo, a finalização dos ritos será na segunda quinzena de junho. Ou seja, ainda antes da segunda janela de transferências no futebol brasileiro, que vai de 18 de julho a 15 de agosto.

No dia 3, o Vasco publicou em seu site oficial o estatuto já com a alteração de sua proposta na última AGE. Agora, o clube aguarda a chegada da proposta vinculante da 777 Partners.

Sem memorando de compreensão assinado em 21 de fevereiro, ficou estabelecido em 21 de duração por 90 dias, mesmo dado para os apresentar uma proposta. No momento, os departamentos jurídicos de ambas as partes estão no processo de diligência e trocas de documentos, e a tendência é a de que a empresa entregou uma oferta vinculada ao limite de dados, em 21 de maio.

Vez com a proposta em mãos, o Vasco proposta para apreciação dos conselhos, Delibera e Fiscal, além da comissão em proposta não Deliberativo e Fiscal. Somente com o parecer deles é que o clube convocará a derradeira Assembleia Geral Extraordinária, onde os sócios votarão pela vendido de 70% da SAF par a 777 Partners.

Como a agenda tem sido neste sentido, acredita-se que a passagem da diretoria para os positivos aconteceria com a grande margem.

Promessa de investimento de R$ 700 milhões no futebol

Da esq.  para dir.: Steven Pasko (sócio da 777), Josh Wander (sócio da 777), Nenê e Carlos Osório (vice-geral do Vasco) - Rafael Ribeiro / Vasco - Rafael Ribeiro / Vasco

Da esq. para dir.: Steven Pasko (sócio da 777), Josh Wander (sócio da 777), Nenê e Carlos Osório (vice do Vasco)

Imagem: Rafael Ribeiro / Vasco

No memorando de compreensão assinado entre as partes, há uma promessa da 777 Partners de investimento de R$ 700 milhões no futebol nos próximos anos. Além disso, há um compromisso de assumir as dívidas do clube também na casa dos R$ 700 milhões, o que dará aporte final de R$ 1,4 bilhão.

Neste inicial, os americanos também adicionaram um acordo-ponte de acordo com 70 milhões, onde o Vasco utilizou a parte quitar dívidas com fornecedores e o Federal, de R$ os Governo de funcionários e funcionários em dia.

Leave a Reply

Your email address will not be published.