Por que a “destruição” do Pacaembu é uma ótima notícia