Pavón e Jemerson no Atlético-MG? Diretor aguarda fim de contrato de ataque e analisa zagueiros | Atlético-MG

Além de sair em defesa do trabalho de Antonio Mohamed, no momento da oscilação do tempo do Atlético-MGRodrigo Caetano aconteceu o elenco para a temporada de 2022. O Galo manteve uma base que aconteceu tudo o que disputou no futebol brasileiro Copa do Brasil).

– Não se faz reformulação com time, com equipe que teve bom desempenho. Pode se falar em mudança em equipe rebaixada. Não vamos recomeçar eternamente. Por isso que os clubes têm essa imensa dívida a ser paga.

O Atlético deve ter novidades na janela de transferências do meio do ano. Mas serão oportunidades de mercado. Uma delas pode ser o atacante Cristian Pavón, que fica sem contrato com o Boca Juniors. O Galo também tem equipes com o atleta, mas é alvo de alvo.

– Vamos esperar ele cumprir o contrato dele lá e para onde será essa tomada de decisão. Um grande jogador. Queremos os grandes do nosso lado – comentou Rodrigo Caetano.

Atlético tem o ataque argentino Cristian Pavón como alvo — Foto: Reprodução

A zaga do Atlético é um setor que receberá especial atenção. Rever, Igor Rabello e Godín ficam sem contrato no fim do ano, assim como Junior Alonso, cujo detalhe se encerra em dezembro. Nathan Silva é valorizado. Diante disso, o nome de Jemerson, revelado pelo Galo e livre no mercado, pode entrar em pauta. Caetano fé questionou isso sóbrio.

– Temos hoje zagueiros, sendo que não temos controle de como será a situação de Alonso, situação de Godín, que encerra, ou Réver a gente controla, ou Nathan é um jogador visto pelo mundo inteiro. Temos que estar atentos a esse setor da equipe. Mas não é para esse ano – disse o directente.

“Não tenho definição sobre o interesse, se tiver algum movimento, ele pode pensar nos próximos anos.

O grupo de jogadores do Atlético foi um tema recorrente na entrevista de Rodrigo Caetano, nesta quinta-feira, os meias Nathan e Hyoran e os atacantes Diego Costa, Dylan Borrero e Savarino.

Chegaram o técnico Antonio Mohamed, o zagueiro Godín, o volante Otávio e os atacantes Ademir e Fábio Gomes. Em 2022, o tempo já fé campeão mineiro e da Supercopa do Brasil. No Brasileiro, vive uma fase de instabilidade, com quatro jogos sem vitória.

Atlético-MG campeão da Supercopa do Brasil — Foto: Pedro Souza/ Atlético-MG

Caetano diz que o clube optou por manter os jogadores da base da equipe titular campeã, argumentando que houve uma mescla de experiências e mais novos. Ele aumenta a redução de opções no elenco, mas refutou o enfraquecimento do tempo.

“Talvez a gente diminuiudo o número de atletas. Não posso achar que enfraquecemos.”

– Tinhamos mais opções, mas com isso a gente não atingiria aquele outro objetivo que temos que também dar mais espaços para os jovens – completou Caetano. Em 2022, jogadores como Flying Bones Neto e Guilherme Castilho e Bones Meias Rubens e Calebe ganharam mais espaço.

Há ainda a questão da saúde financiará o Atlético. O clube não pode fazer grandes investimentos e atletas precisos para aliviar a caixa.

– Muitos acompanharam o Galo Business Day. Tinhamos que fazer, questão de necessidade. Tentamos preservar ao máximo aqueles que mais jogaram.

Assistir: sóbrio tudo o Atlético no ge, na Globo e no sportv

Além disso, segundo Rodrigo Caetano, alguns jogadores manifestaram o desejo de ativar o Galo em 2022.

– Renovamos contratos de quase todos. Identificamos os jogadores com fome de vitória. Pode ter certeza que se alguém não quis ficar ou manifestou desejo de sair, saiu.

O podcast do Atlético está disponível nas seguintes plataformas:

Galo na Veia – Programa de sócios do Atlético-MG — Foto: Divulgação

Leave a Reply

Your email address will not be published.