Paulo Sousa expõe seu desconforto com especulações sobre a volta de Jesus ao Flamengo: ‘Não parece respeitoso’ | Flamengo

Explicações táticas, elogios ao que funcionou e reconhecimento dos ajustes necessários. A coletiva de imprensa de Paulo Sousa após a vitória por 3 a 1 sobre o Talleres, no Maracanã, pela segunda rodada da Libertadores, na noite de terça-feira, foi instrutiva como sempre. O técnico, por sua vez, escapou do esquema e deu a entender especulações sobre a possível volta de Jorge Jesus, que virá ao Brasil no final do mês de férias.

Paulo Sousa na vitória do Flamengo na Libertadores — Foto: Alexandre Durão

Paulo Sousa mostrou-se incomodado com as campanhas e até com as notícias que envolveram o seu treinador compatriota nos últimos dias. Sem dar nomes, criticou a parte da imprensa que promove esta situação e disse:

“Você tem que entender que é normal que os torcedores tenham simpatia por alguém, o que não é normal é ter uma certa direção apaixonada por A ou B, pelo técnico A ou pelo jogador B. Isso nem parece respeitoso para você. (imprensa). Mas isso não nos afeta. Somos um grupo que foi claro desde o início com a ideia do jogo.”

Sobre a atuação, Paulo Sousa elogiou a forma como o Flamengo construiu a vantagem inicial no placar, mas lamentou ter diminuído o ritmo, colocando os argentinos de volta ao jogo antes mesmo do intervalo com o 2 a 1. No final, o saldo foi positivo.

Destaques: Flamengo 3 x 1 Talleres, pela Copa Libertadores 2022

– Tivemos facilidade, principalmente quando fizemos 2 a 0. Isso obrigou a equipe a diminuir a intensidade e perder mais bolas soltas. Deve-se reconhecer que cada vez que não completamos nossas ações e as distâncias entre as linhas mais avançadas e mais baixas nos fizeram sofrer nas transições. Sofremos um golo e demos expectativas aos nossos adversários. Tornou nosso início de segundo semestre mais impactante, mas fomos crescendo aos poucos, encontramos os espaços estratégicos e conseguimos estender esse mesmo resultado.

Com a vitória, o Flamengo é o líder isolado do Grupo H da Libertadores, com seis pontos, e volta a disputar a competição no dia 28, contra o Universidad Católica, em Santiago, no Chile. No próximo domingo, a partida é contra o São Paulo, às 16h (GMT), no Maracanã, pela segunda rodada do Brasileirão.

Conheça outros excertos da conferência de imprensa

Posicionamento de Everton Ribeiro

– Fora os primeiros jogos do Everton Ribeiro na esquerda, numa ideia de construir sistemas e dinâmicas que sempre entendi e falei com ele várias vezes sobre a importância de ter jogadores de qualidade técnica em todos os espaços do campo, considero importante ter esses jogadores à direita ou à esquerda. Não é a primeira vez comigo que todos os quatro jogaram nas mesmas posições hoje. Eles já chegaram.

Elogios disponíveis para a equipe

– A vontade foi decisiva, a equipe foi humilde e unida. Ele tentou trabalhar por resultados. Tática e tecnicamente podemos não ser perfeitos, mas quando temos essa percepção de humildade e união, as coisas definitivamente vão acontecer.

Menção especial a William Arão

– Principalmente alguns elementos que ajudam muito nessa mesma chegada de bola. Tem a ver com o início da nossa construção. E sem dúvida uma palavra extraordinária é para Arão porque a sua interpretação nestes dois jogos… Claro que ver o jogo de frente é completamente diferente de estar no meio. E ter dinâmica de busca de posição para continuar assistindo o jogo como de costume, para acelerar o jogo e verticalmente. Mas o adversário de hoje tomou decisões onde as interpretações, principalmente do nosso flanco direito com o Arão, foram bastante extraordinárias e ajudaram-nos a comunicar com os jogadores nas entrelinhas com o Everton. Seja um pouco maior, em ambientes internos ou externos, essa mobilidade posicional permitiu que a equipe crescesse e chegasse mais rápido para encontrar mais espaços.

– Os oponentes não tiraram a profundidade, e precisamos melhorar quando os oponentes tiraram a profundidade de nós. E disso já falamos. Temos que encontrar soluções com a qualidade que temos de jogadores em espaços curtos para sermos decisivos e podermos marcar golos que nos permitam ter esse mesmo espaço. Uma palavra muito positiva para toda a equipa, mas sobretudo para o nosso extremo direito com o Arão.

Everton Ribeiro, Filipe Luís, João Gomes e Bruno Henrique – Flamengo x Talleres – Libertadores — Foto: Staff Images/CONMEBOL

Evolução de João Gomes

– É um jogador que tem uma característica única em nosso time nas disputas de bola ofensivas e defensivas. É muito forte fisicamente. É preciso associar a dinâmica com bolas mais rápidas, seja nos passes curtos, médios e longos. É aqui que você precisa melhorar para se tornar um jogador de nível muito mais alto. Acreditamos e temos a ideia de criar uma dinâmica que o possa ajudar.

Avaliação do andamento do trabalho

– Os processos de construção têm momentos que parecem estagnar, momentos que parecem mais rápidos, e eu posso ver isso. O resultado envolve muita avaliação (externa). Mas em termos de dinâmica e processo de jogo, os conceitos estão lá. Na final contra o Fluminense, estávamos muito longe do que queríamos fazer. Nos outros jogos, esses conceitos ainda estavam lá, alguns melhores e outros piores. Em tempos de construção, é natural que isso aconteça.

Gabigol e Paulo Sousa – Flamengo x Talleres – Libertadores — Foto: Staff Images/CONMEBOL

Ajustes do sistema tático

– É uma equipa que desenvolveu uma dinâmica com e sem bola nas transições com princípios muito fortes. Continuaremos a trabalhar neste sentido, porque temos convicções para cristalizar esta dinâmica. Depois disso, certamente teremos sistemas alternativos que nos permitirão surpreender os adversários no início do jogo ou durante o jogo.

Novo banner flamengo — Foto: Propaganda

Leave a Reply

Your email address will not be published.