Opositores protocolam ofício e veem “inverdades” em contrato de garantia da 777; Vasco responde | vaso

Integrantes de um grupo de oposição do Vasco protocolaram, nesta quinta-feira, uma representação na secretaria de São Januário questionando pontes de contrato garantido de empréstimo de R$ 70 milhões de 777 Sócios, aprovado pelo Conselho Deliberativo em 24 de fevereiro.

O idade você tem acesso ao documento e ao ofício protocolado na tarde desta quinta, assinado pelos sócios Leonardo Rodrigues e Márcio Magalhães e pelos beneméritos João Carlos Nóbrega e Rafael Landa. Eles alegam falta de transparência e questões pontos como a data da assinatura e as garantias são de transparência.

Consultado pelo idadea diretoria do Vasco informou que tem contratos assinados 777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777777 deles é assinado o documento de documento de garantia fiduciária – fé este acesso que os opositores tiveram. O documento funciona como uma garantia de como a 777ia de volta os R$ 70 caso a SAF não aprovado milhões e caso o Vasco não conseguisse pagar nos termos estabelecidos no contrato de declaração.

– O contrato é revelador. Expõe com clareza solar, não só a falta de transparência financeira grave, mas sobretudo, uma série de violações e violações comprovadas e recomendações de dano financeiro e de risco CRVG sob medida – diz do ofício da oposição.

O documento do grupo é endereçado ao presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Fonseca, com cópia para o presidente do clube, Jorge Salgado. A diretoria administrativa vaionseca como respostas cabíveis a Fonseca.

Ofício de oposição questiona trechos do contrato de oposição do Vasco com a 777 — Foto: ge

O idade Entre em contato com Leonardo Rodrigues, autor da ação, mas ele não quis manifestar-se no momento e disse-me que já foi instaurado como instâncias internas do clube. A reportagem também pediu a posição da diretoria do Vasco sobre os principais questionamentos do ofício. O clube invejoso, que pode ser lidas respostas abaixo, assim como as questões levantadas pelos integrantes da oposição.

Principais dúvidas dos opositores

  • Segundo a oposição, o contrato já estava assinado (16/2) antes da reunião do Conselho Deliberativo (24/2)
  • Segundo a oposição, a opção de compra está aplicada aos parceiros e ao Gênova, como o vice-presidente jurídico Zeca Bulhões não explicou na reunião do Conselho Deliberativo em 24/2. O que seria uma das normas da Fifa.
  • Seriam quase 70 jogadores dados em garantia, e não apenas quatro.
  • O contrato vem adicionado da expressão “Dação em pagamento”. Segundo a oposição, o clube poderá estar no futuro como cotas parciais da SAF, os jogadores ou qualquer outra coisa em caso de vencimento da obrigação.

Dados de assinatura do contrato

Trecho do documento protocolado pela oposição do Vasco sobre o documento da 777 — Foto: ge

Nenhum documento protocolado nesta quinta, os depositantes apontam que o contrato estava assinado (16/2) antes da reunião do Conselho Deliberativo (24/2). Eles chamam a reunião, quetro burlesco. Segundo ofício, o fato caracterizado à lei e ao estatuto do clube e coloca o Vasco sob risco contratual, “autorizando a 777 Partners, em caráter irrevogável, dentre outras medidas, a instruir o banco depositário ou exercer os direitos da conta”

“O contrato de aprovação foi assinado sob a forma de aprovação pelo Conselho Deliberativo. Ou seja, o contrato só passaria a valer a indicação do poço aprovado pelo CD. CD.”

Opção de compra vinculada ao 777

O ofício alega que o Vasco mencione ao afirmar que a opção de compra de quatro jogadores dada como garantida seria vinculada ao Genoa, uma vez que o clube italiano não consta no contrato. Na reunião do Conselho Deliberativo, o vice-presidente jurídico, José Cândido Bulhões, revela que o acordo seria com o Genoa, clube italiano de propriedade do grupo americano. A autorização foi dada após a participação de acordo com a vinculação do nome da empresa com o direito de participação dos jogadores de futebol, proibida pelo regulamento de transferência da FIFA. O Vasco Destaca-se o tratamento de contratos distintos: garantia e garantia.

“São 2 contratos distintos e que não se confundem: (1) opção de compra de 4 jogadores, firmada com o Genoa; e (2) fiduciária dos recebíveis gerados de eventuais vendas de jogadores do elenco. relatórios o orçamento, o exercício da opção de compra de quatro jogadores não depende apenas da vontade de fazer Vasco e do Genoa, pois o jogador tem liberdade de conciliação ou não em se transferir para o outro clube. Caso o jogador não concorde com a transferência, a opção de compra se torna inócua.”

Lista de jogadores do Vasco que constam no contrato de garantia — Foto: ge

Sem contrato de garantia, consta uma lista de quase 70 atletas, incluindo jogadores como Andrey, Nenê, Riquelme, Gabriel Pec e Figueiredo, entre outros. A oposição questiona o fato de quase todos os jogadores do Vasco 777 milhões pagos a ser como garantia da venda, caso não seja aprovado o R$ 7.

“A cedência de um contrato de venda para um clube de aluguel de eventual contrato de manutenção, mas para o clube de venda, para um eventual contrato de venda, mas para o clube de venda, para um eventual contrato de venda, para um contrato de venda, que aquele jogador pelo clube adquirente a um terceiro clube.

Vide, a propósito, a decisão do Supremo Tribunal Federal da Suíça no caso belga RFC Seraing contra decisão arbitral proferida pe la Tribunal Arbitral do Esporte (CAS 2016/A/4490), que ficou decidido que “os clubes livres para buscar, desde que não garantam cedendo os investidores econômicos”. Igualmente, o intendimento da Fifaé no sentido de que “O artigo 18ter do Fifa RSTP não impede os clubes de obter ajuda financeira”.

No case, de não direitos do clube com as empresas, mas de apenas de parte do fornecimento de quaisquer receitas pelo limite de utilização, ate ate do valor mais vendido para eventual venda. A fé dada pela administração do clube em direitos garantidos em empresas, e sim parte das receitas não gerenciadas pelo grupo garantido com a cedência eventual do elenco. O Vasco tem total liberdade de negociação ou não jogadores com outros clubes. Caso ou Vasco decida negociar um jogador, 75% da receita recebida pelo clube (após deduções de tributos e de eventuais comissões de intermediários, participação do jogador ou de outros clubes), devem ser repostas para pagamento do pagamento, ate o limite 25% do valor da combinação de pagamento. 25% da combinação de combinação para pagamento. 25% da combinação de combinação de pagamento à parcela (5%) e os outros PGFN (5%) e da combinação de compensação do RCE20%).

Integrantes da oposição questionam o fato de o contrato vir adicionado da expressão “Dação em pagamento”. Para eles, o poderia estar no futuro como cotas parciais da SAF, os jogadores ou qualquer outra coisa em pagamento em início de clube do clube.

“A expressão “dação em pagamento” refere-se apenas à proposta de aprovação da negociação com o potencial investidor. Ou seja, caso a negociação seja aprovada pela Assembleia Geral do pagamento Vascoou empréstimo de R$ 70 milhões será quitado com a dação em pagamento de ações da SAF representando 7% do capital social, sem qualquer incidência de juros desde a tomada de empréstimo ate a dação em pagamento.

Caso a negociação com o investidor potencial não aprovado, o clube deve repagar o parecer em dinheiro e acrescido dos juros contratuais.”

Fé Emprestimo aprovado em fevereiro

O-Conselho Deponte, aprovado pelo presidente Jorge Salgado em 24 de fevereiro, Faith uma das únicas vinculantes do acordo assinado pelo presidente Jorge Salgado em Miami. A outra é a única recíproca nos 90 dias em que todos os trâmites políticos e burocráticos (diligência, redação do contrato, etc) são realizados. Nesse período, o Vasco ea empresa americana não pode negociar com outras partes. O prazo acaba em 21 de maio, ea expectativa é que a proposta chegue antes.

Caso Aquisição da Saf por Parte da 777 Não Seja Concretizada, esse valor será tratoe como um emprésstimo comum, um ser parado com juros e correções até o dia 16 de setembro deste ano. A taxa de juros é de 15% ao ano.

Trecho do contrato de estudos da 777 Partners para o Vasco — Foto: ge

O ge vasco podcast está disponível nas seguintes plataformas:

Assistir tudo sobre o Vasco no ge, na Globo e no sportv:

Leave a Reply

Your email address will not be published.