O que é o ”meio-espaço” no futebol

O uso de novos termos para explicar alguns detalhes em um jogo de futebol americano é a realidade real. Não adianta ridicularizar essas expressões. Quem trabalha com comunicação tempo por obrigação estudar para intentê-los e traduzir ao da maneira pública que mais se aproxima do entendimento geral. Hoje é dia de aprender o que é o que vem sendo chamado de ”meio-espaço” por alguns comentaristas e analistas.

Se fizermos a leitura bem criteriosa das palavras utilizadas pela imprensa e pelos profissionais do futebol nos últimos 100 anos, descobrimos que transformações nas linguagens são comuns.

Só para citar um exemplo bem simples: o ”centro-metade”’ dos primórdios virou cabeça-de-área, que passou a ser chamado de volante, e hoje, é o meio-campista defensivo. Renegar a utilização de novos termos e, mais grave ainda, não tentar compreendê-los, é uma demonstração de pouco apreço e respeito ao jogo.

O ”meio-espaço” é um livro de tradução do inglês ”meio espaço”, e significa um fracasso do campo nas costas dos volantes rivais e entre zagueiros e laterais da equipe adversária. Foi explicado hoje para detalhar o ”jogo de posição” utilizado por várias equipes do final desta década retrasada e mais popular no Brasil. Por isso o termo vem sendo mais citado aqui.

01 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

Nesta simulação de um time(azul) que joga num 4-3-3 atacando o outro. Pontas flutuando para o ”meio-espaço” e laterais bem espetados na amplitude ofensiva

Imagem: Rodrigo Coutinho

Num futebol de defesas mais fechado e fisicamente preparado, encontrar tempo para pensar e espaço para executar está cada vez mais difícil. É por isso que um requisito para detalhar esse tipo de posicionamento torna os jogadores e torcedores necessários.

É muito comum vermos pontas que fazem esse trabalho. Partem dos lados do campo, mas flutuam para o ”meio-espaço” do gramado. Um dos objetivos é abrir o lado para a ultrapassagem do lateral. O time ganha amplitude para inverter a bola de um lado a outro e ”mexer” a defesa adversária. Ganha também mais uma opção de passe entre as linhas de meio e defesa do rival, o que costuma ser o ”mapa da mina” para entrar na área em condições de finalização, seja com passes ou conduções de bola.

02 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

No City, de Guardiola, neste momento do jogo contra o Newcastle, as pontasvam o ”meio-espaço” e os laterais estavam na amplitude

Imagem: Rodrigo Coutinho

O ”meio-espaço” não precisa ser um setor ocupado necessariamente por pontas. Pode ser ocupado por owe atacantes em dupla, um de cada lado. Por laterais que entram em diagonal enquanto as pontas ficam bem abertas, ou por meias no caso de um 4-3-3, novamente com as extremidades em amplitude no ataque.

03 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

No Red Bull Bragantino por Mauricio Barbieri, laterais se dirigindo ao meio-espaço, em determinados momentos ocupam este setor

Imagem: Rodrigo Coutinho

A bola ali ou simplesmente se mexer no setor, induz os zagueiros a receberem no combate ou em perseguições, e as lacunas se abrem na última linha defensiva defensiva. É comum também jogadores que se fixam no setor e atacam a área para profundidade. Outro tipo de movimento a partir do ”meio-espaço” é traçado uma diagonal rumo à linha de fundo, atacando as costas do setor lateral.

04 - Rodrigo Coutinho - Rodrigo Coutinho

No Avaí, com Eduardo Barroca, os meias Bruno Silva e Eduardo ocupam constantemente o ”meio-espaço”

Imagem: Rodrigo Coutinho

Audiência que é ”meio-espaço” é apenas um fator de ataque entre o controle coletivo de uma equipe para compreensão do que um fator de determinação com o funcionamento determinado. Deveria ser algo mas debatido e frequente. Claro que teríamos mais embasamento para analisar trabalhos e partidas.

Leave a Reply

Your email address will not be published.