Navarro marca quatro e Palmeiras vence I. Petrolero por 8 a 1

A equipe mista Palmeiras teve mais dificuldades do que imaginávamos na largada, esta noite (12), no Allianz Parque. Mas na segunda etapa, ele se desencantou. Com gols de Zé Rafael, Rony, dois de Raphael Veiga — duas bolas do ângulo de Arancibia — e apenas quatro de Rafael Navarro, o artilheiro do Copa Libertadores com seis gols, o Alviverde venceu o Independiente Petrolero por 8 a 1, na virada, para ficar isolado na final do Grupo A do torneio continental, com seis pontos.

O resultado mantém o Palmeiras no rumo da melhor campanha da fase de grupos do torneio que, se alcançada, dará ao time a vantagem de decidir a sorte em casa até uma possível semifinal da competição – a final será disputada em partida única, na cidade de Guayaquil, Equador, em 29 de outubro.

A próxima partida do Verdão será contra o Goiás, no sábado (16), às 16h30, pela segunda rodada do Brasileirão. Através de Libertadores, as duas equipes entram em campo em duas semanas. Alviverde visita Emelec, Equador, no dia 27 (quarta-feira), às 21h. Petrolero recebe Táchira-VEN no dia 26, às 19h15.

linha do tempo do jogo

Faltando apenas cinco minutos para o final, os visitantes abriram o placar com um golaço de Correa, que pegou no primeiro chute e acertou o ângulo de Weverton. O Alviverde foi superior durante toda a fase inicial, porém, só conseguiu empatar aos 40 minutos, com Zé Rafael.

Navarro voltou inspirado para o segundo tempo e marcou quatro vezes. Aos 2′, inverte o negócio numa jogada de Breno Lopes. Aos 8′, aproveita a bola que resta na área e só tem de a rematar para a rede. Aos 11′, fez o hat-trick após cruzamento de Veron. Aos 32′, o camisa 29 aproveitou um cruzamento rasteiro de Mayke para fazer o quarto. O quarto veio aos 32, aproveitando cruzamento de Mayke.

Rony fez o sexto pelo Palestra aos 34, chegando a 12 na história da Libertadores e empatando a marca de Alex. Para completar, Veiga ainda marcou mais duas vezes, aos 41 e 45.

Quem foi bem: Navarro

A camisa número 29 está afrouxando lentamente e começando a dar esperança à torcida de que ele possa se tornar o centroavante que o time precisa desesperadamente. Com oportunismo, presença na área, quatro gols e uma assistência, Navarro já marcou seis gols na Libertadores para ser temporariamente o artilheiro do torneio.

Desempenho do Palmeira

O Palmeiras teve um primeiro tempo de muito volume, mas também de muitos erros. Com o placar aberto aos 5 minutos, o Independiente recuou e viu o Palmeiras ter 85% de posse de bola. Mas foi inútil. Atuesta e Wesley, os nomes mais envolvidos no ataque, erraram vários cruzamentos e chutes. O gol de Zé Rafael, aos 41, premiou o jogador que menos cometeu erros.

No jogo de volta, um gol com um minuto e meio mudou todo o panorama do jogo para o Palmeiras. O time boliviano rompeu com a virada e viu o Palmeiras ampliar o placar com extrema facilidade em uma noite inspirada por Rafael Navarro, que marcou quatro vezes. Vale destacar também a grande noite de Gabriel Veron, que desceu ao vestiário com atuação modesta por conta e brilhou na segunda etapa.

O Independiente Petrolero surpreendeu no início do jogo.

Um toque despretensioso foi colocado na área para Cristaldo, aos 5min. O atacante acerta bem o pivô e solta Correa, que estava sozinho devido a um erro de posicionamento de Gustavo Gómez. O boliviano chega primeiro pela trocação. A bola entra no canto de Weverton, sem chance. E o Independiente faz 1 a 0. Seria o único chute do time boliviano no primeiro tempo.

Palmeiras perde assistências

Com o gol, o time boliviano recuou suas linhas, mas isso não criou grandes dificuldades para o Palmeiras, que chegou tranquilo na entrada da área e na zaga. Mas, sistematicamente, ele errou os últimos passes e perdeu chances claras. Navarro perdeu duas boas chances no primeiro tempo.

Zé Rafael descarrega a equipe

O Palmeiras errou os últimos passes em todas as chegadas, seja de cima ou de chão. Atuesta errou quase todos os passes que tentou montar o ataque da equipe. E embora muito superior, o Palmeiras não podia correr nenhum perigo. Até os 41min do 1º tempo, Jorge cruza, Chiatti empurra e Zé Rafael, o melhor em campo, pega o rebote. O camisa 8 dominou e acertou o canto direito do goleiro Arancibia, para empatar e aliviar o clima.

Palmeiras vira e alarga no início da segunda mão

Breno Lopes começou o segundo tempo e, com um minuto e meio de jogo, fez excelente jogada pela direita e cruzou com perfeição para Navarro antecipar o poste mais próximo e virar para o Palmeiras, com um cabeceamento. O gol levantou o ânimo do Verdão, que decolou como trator na Petrolero. Jorge cruza, Gómez e Kuscevic não dominam, mas Navarro faz o segundo.

Namoro de Navarro

Inspirado, o atacante do Palmeiras jogou solto e marcou o terceiro gol com grande oportunismo. Veron dobrou a defesa do Petrolero para a direita do ataque e avançou. Mais uma vez, o atacante assumiu a liderança, na primeira trave, e fez o quarto do Palmeiras de carrinho, a 10 minutos de distância.

Veiga marca dois gols

O Palmeiras ficou muito empolgado e continuou matando o Independiente Petrolero. Navarro fez o seu quarto no jogo e fez o 5 a 1. Pouco depois, ele fez a jogada para a direita e cruzou a cabeça de Rony para marcar o sexto. Para completar a conta, Raphael Veiga marcou um golaço, pegou na entrada da área e mandou a bola para o canto do goleiro. Quase nos acréscimos, novo gol de Veiga. Errando a borda da área, o camisa 23 bateu na esquerda e bateu no ângulo direito da Arancibia.

FOLHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 8 x 1 TAÇA DE ÓLEO INDEPENDENTE
Dados:
12/04/2022, terça-feira
Programa: 21h30 (de Brasília)
Local: Allianz Park, em São Paulo (SP)
Árbitro: Derlis Lopes (BY)
Auxiliares: Eduardo Cardozo (PAR) e Julho Aranda (DE)
Público: 26.409 pagando
Receita: R$ 1.669.269,93
Metas: Correa, aos 5′ do primeiro tempo, para Petrolero; Zé Rafael, aos 40′ do primeiro tempo, pelo Palmeiras; Navarro, 2′, 8′, 11′ e 32′, Rony, 34′ e Raphael Veiga, 41′ e 45′ do segundo tempo, pelo Palmeiras.
Cartões amarelos: Folleco, Juan Rioja, Cristaldo, Gimenez (IPE)

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Kuscevic, Gustavo Gomez (Murilo) e Jorge; Zé Rafael (Gabriel Menino), Atuesta (Danilo), Veron, Wesley (Rony), Breno Lopes (Raphael Veiga) e Navarro. Técnico: João Martins

ÓLEO-BOL INDEPENDENTE: arancibia; Velázquez, Silva e Chiatti; Folleco, Acuña (Rivas), Joel Bejarano (Alejandro Bejarano), Avilés e Alaca (Giménez); Cristaldo (Manteiga) e Correa (Rainha). Técnico: Juan Robledo

Leave a Reply

Your email address will not be published.