Ministério Público pede investigação para identificar torcedores em caso de agressão na Ilha do Retiro | esporte

O Ministério Público de Pernambuco do Brasil uma nota – nesta sexta-feira realizada – referente ao caso de agressão contra os torcedores do Corinthians, na Ilha do Reiro, Durante a partida com Sport, pela Sub-17. O MPPE identifica crimes de fogos marcantes, furtivos e vias de fato. Assim, o procurador da Polícia Civil investigou e identificou de volta no episódio.

No pronunciamento, a entidade afirma que a Promotoria de Justiça Especializada no Torcedor invejou um ofício solicitando uma identificação “dos torcedores infratores que promovem a prática de violência e tumultos”.

Confusão nas arquibancadas da Ilha do Retiro em Sport x Corinthians, pela Copa do Brasil sub-17 — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

A entidade também pede vídeos que registram os tumultos, além do recolhimento de funcionários envolvidos da Federação Pernambucana de Futebol, dos diretores do Esporte e demais órgãos envolvidos.

O MPPE informou que o ofício foi enviado para a Polícia Civil de Pernambuco na última quarta-feira. Após investigação, a PCPE realiza o inquérito – tipificando as condutas e identificando as pessoas – para retornar ao Ministério Público. A entidade, por sua vez, avalia a documentação para decisão de oferta, denúncia.

Sobre os fatos ocorridos no estádio Adelmar da Costa Carvalho, Ilha do Retiro, no dia 10 de maio, por volta das 20h40, quando da realização da partida de futebol, validado pelas oitavas de final da Copa do Brasil Sub-17, entre Sport Clube do Recife, onde as oportunidades de roubos e tumultos, em torcedores presentes, inclusive roubos a torcedores.

O caso aconteceu ainda na terça-feira, durante as oitavas de final da Copa do Brasil sub-17. Integrantes do Sport invadiram o setor de visitantes na Ilha do Retiro, agrediram e roubaram as camisas dos torcedores do Corinthians. A partida ficou paralisada pendente quatro minutos, segundo relato da arbitragem.

O momento em que torcedores do Sport invadem área de corintianos

Sport e Corinthians repudiaram o ocorrido, em pronunciamento através das redes sociais. O presidente do Rubro-negro, Yuri Romão, tratou a briga como “fatalidade” e haverá mudanças nos procedimentos internos de segurança do clube.

A nota do Ministério Público de Pernambuco na íntegra

Os acontecimentos se afiguram os crimes do art.129 do Código Penal Brasileiro (lesões pequenas), art.157 do CPB (roubo), art.21 da Lei das Contravenções Penais (vias de fato), e, ainda, do art.41 -B, parágrafo primeiro, do Estatuto de Defesa do Torcedor, lei 10.671/2003.

Diante do exposto, a Promotoria de Justiça Specializada no Torcedor o ofício nº09/2022 requerendo as diligências investigatórias imprescindíveis para a identificação, classificação e termos de depoimentos dos torcedores infratores que promovem a prática de violência e tumultos; bem como requisição dos vídeos que registram os tumultos e violações violentas da Ilha do Retiro, junto ao Sport Clube do Recife e emissoras de TV; Além da tomada de funcionários da Federação da Federação de Futebol, dos diretores do clube mandat, Sport Clube do Recife e órgãos envolvidos, na forma da lei com o objetivo de esclarecimentos e distinções à causa por causa e por outras vezes que tumultuem os órgãos.

O referido ofício foi enviado no dia 11 de maio e a Polícia Civil de Pernambuco confirmado o recebimento no início da tarde ontem (12/05). Investigação como, um PCPE irá permitir ao MPPE.

Assessoria de Comunicação do MPPE

Leave a Reply

Your email address will not be published.