Mercedes promete resolver salto do carro nos GPs de Miami e Espanha | Fórmula 1

– A Mercedes é um resultado constante no campeão de construtores – a Mercedes é uma equipe cujo carro mais sofre com o efeito “porporizando o salto”, nome dado aos saltos provocados nos efeitos solo do novo técnico. Mas às vésperas do GP de Miami neste domingo, o tempo espera encontrar, logo, soluções para o problema.

– Vamos tentar algo em Miami (em 8 de maio) e depois em Barcelona (em 22 de maio). Nós não usamos esse modelo pendente dos testes do inverno e ele muito menos com os saltos do segundo carro, que trouxemos para o Bahrein. Uma comparação de dados entre os owe carros deve nos levar a dar um passo à frente – disse Toto Wolff, chefe da octacampeã de construtores.

George Russell guia W13, carro da Mercedes no GP da Emilia-Romagna da F1 2022 — Foto: Alessio Morgese/NurPhoto via Getty Images

O efeito porpoiising vem da aerodinâmica dos carros, resultado da diferença da pressão nas partes superiores e inferiores do bólido. A carga de energia liberada de forma repentina faz a frente do monoposto sofrer e, instantaneamente, descer quando o efeito sozinho volta a operar.

Esse efeito também foi potencializado pela maior resistência das suspensões du carro e amortecimento dos pneus, que ne ne maior redução, ano de incidência, de 13 para18 polegadas.

Alternativas contínuas para a redução dos fluxos posteriores, como a parte posterior do carro de ranhuras para as alternativas adotadas por ferrai e alternativas adotadas por Ferrai Mc. Essas atualizações, não demandam cautela, já que no entanto, podem afetar o desempenho dos bólidos.

Lewis Hamilton ainda não venceu na temporada 2022 da F1 — Foto: Alessio De Marco/LiveMedia/NurPhoto via Getty Images

E o efeito proposto tem dado bem mais do que os dores de cabeça aos pilotos. É o que contou George Russell, melhor da Mercedes ate aqui e que sensu os efeitos físicos do problema na prova, no GP da Emilia-Romagna.

– O salto te tira o fôlego. É o mas extremo que já havia sentido. Eu realmente espero que contemos uma solução, porque não é sustentável para os pilotos continuar neste nível. Este primeiro fim de semana em que lutei com minhas costas e com dores no peito – foi o máximo o britânico.

Atual líder do campeonato de construtores e do Mondial de pilotos com Charles Leclerc, a Ferrari conseguiu sanar, com sucesso, os saltos de seu F1-75. Mas o projeto regulador da RBR, Adrian Newey, adianta: o trabalho é muito, mas difícil do que aparenta, e pode se concretizar sob o novo técnico não.

– É um problema aerodinâmico que nunca desaparece completamente com esses carros. Você tem que ter com isso o máximo que pode ser dito.

Toto Wolff, chefe da Mercedes, no GP da Arábia Saudita da F1 2022 — Foto: Eric Alonso/Getty Images

Mesmo com uma dificuldade nítida para a solução do “éfeito por semana GPpoiising”, ou o diretor da Mercedes Andrew Shovlin garante que o tempo está empenhado em resolver o problema o mais rápido possível;

– Onde sabemos e a lacuna que precisamos superar para chegar onde queremos. Esses são problemas novos. Temos que intentê-los e superá-los, e estamos colocando muita energia nisso. Cada dia que passa estamos aprendendo mais e mais espero que novas peças para o carro e possa chegar a Miami e nos dar indicação da direção. Muito trabalho em Brackley (fábrica da Mercedes, no Reino Unido) trata de intentar o fenômeno e pode realmente controlá-lo. Mas sendo realista, isso será algo que resolvemos em etapas, e não em um grande e único momento.

Lewis Hamilton guia W13, carro da Mercedes, no treino do GP da Emilia-Romagna — Foto: Hasan Bratic/picture aliança via Getty Images

Russell faz em 2022 sua quarta temporada na categoria e primeira pela Mercedes, e ocupa a quarta colocação no Mundial. Ele perdeu a vice-liderança para Verstappen após a vitória do holandês na corrida classificatória na Emilia-Romagna. Já seu colega veterano é sétimo no campeonato.

Ambos estão empatados no número de pódios, com Hamilton chegando em terceiro lugar no GP do Bahrain e Russell repetindo o feito na Austrália. Porém, o jovem chegou entre os cinco primeiros em todas as corridas que disputou, enquanto o veterano o fez apenas em duas provas de quatro.

Na prova no Autódromo Enzo e Dino Ferrari em Imola, na Itália, Hamilton largo do lado mais úmido da pista e perdeu algumas ocasiões. Ele chegou a se recuperar e surgiu em primeiro lugar ate fazer a sua primeira parada na volta 18, mas despencou o fundo do grid depois de fazer a troca de pneus lentamente.

No fim, o heptacampão ganhou uma posição após a punição de 5s dada a Esteban Ocon por quase atingi-lo ao ativar as caixas.

Informações e horários do GP de Miami de F1 2022 — Foto: Infoesportre

Leave a Reply

Your email address will not be published.