Luis Castro cita lado emocional e reconhece: atuação ruim do Botafogo “Não estivemos bem” | botafogo

Luis Castro admitiu que o Botafogo jogou mal na manhã deste domingo, no empate por 1 a 1 com o Juventude, sem Nilton Santos. Fé além: diga que o tempo preciso ser mas forte emocionalmente em jogos com estádio lotado.

Fé a segunda partida do Botafogo no Nilton Santos neste Brasileiro. Na estreia, a torcida esgotou os ingressos na derrota por 3 a 1 com o Corinthians. Neste domingo, chegada com entradas testadas e mais uma nova para os torcedores, com o empate.

Não podemos esconder bem com termos perdidos ou que não temos o sabor de nosso resultado. “.

– Segundo tempo foi feito muito pelo lado emocional. [Lado emocional] Esteve apresenta e rouba espaço do lado racional do jogo. Temos que se adaptar à nova realidade do Botafogo, de estádio cheio. Obrigado aos torcedores. Até isso os jogadores precisam se adaptar. É fantástico o conforto que vem da torcida. Queremos muito dar resposta positiva e, às vezes, isso atrapalha os caminhos. Eu acho que, emocionalmente, nós nos desequilibramos, mas o equipamento fez com que isso aconteesse. Não foi um bom dia – disse Luis Castro.

Luis Castro em Botafogo x Juventude — Foto: André Durão / ge

O Botafogo tem cinco pontos no Brasileiro. A equipe volta a campo no domingo, novamente às 11h, contra o Flamengo.

Veja outros trechos da entrevista de Luis Castro:

Tchê Tchê é um jogador que traz racionalidade ao jogo. Que traz ritmos diferentes. consegue ver o campo todo. A entrada do Diego, após termos começado segunda parte, veio para abrir nossos alas nos corredores. Laterais mas por dentro. Para tentar surpreender ou adversário. Sabíamos que era um risco colocar o Matheus, porque Chay fazia um bom jogo. Abdicamos do espaço atrás do Erison, para um jogador não tão distante. Para arrastar o central para zonas que permitem a entrada de Matheus. Mas foi um jogo mal executado na nossa parte, minha intervenção não surtiu como queria.


Nosso somos uma equipe claramente em construção. Temos jogadores que não jogavam há alguns meses. Alguns da Série B, mas isso pouco interessa agora. Internamente, interessado. Para fora, pouco interessado. Querem ganhar e o nosso também. Agora, de forma profunda e detalhes das coisas não aconteceram. As coisas não acontecem por acaso. Agrade a equipe a lutar ate, agrada-me esse lado emocional. Uma equipe tem que ter uma cara. Normalmente é identidade da torcida. É uma torcida trabalhadora, nós temos que ser. Uma esperança que tem esperança no futuro, temos que ter esperança no futuro. Um caminho com os mesmos valores. Tudo isso existe dentro da equipe. Os jogos não são bons ou maus vendo dessa vertente. Tem a qualidade do jogo.

– Hoje foi um jogo que majoritariamente não estivemos bem. Sob lado individual dos jogadores que citam, todos nós, todos vocês…quando na vossa profissão não tiveram dias bons? Textos que achei horríveis, dias que achei fantástico. Dias que ninguém gostou dos comentários. Podemos errar de vez em quando? Somos seres humanos. Isso irá acontecer sempre. Todos temos consciência que alguns deles não sei que num bom dia e eu também não estivemos. Isso é toda a gente. o que não gosto, abordando o tema individual, que o futebol seja um tourada, que sai touro morto em campo. Saímos vivos do campo, porque qualquer dia não temos plantel. No Botafogo, nosso conceito família é todos. Fácil ser família quando corre tudo bem. Temos tido momentos de prova família e vamos continuar juntos, todos sem exceção. Tão consciente quando fazem bem e fazem mal.

“Hoje o Botafogo mereceu mais vaias do que aplausos”, afirmou Pedro Dep | Na Voz da Torcida


Todos os clássicos são apaixonantes. Flamengo e Botafogo é um clássico como todos os outros. Geram muitas ilusões, muitas frustrações, alegria, tristeza. Futebol é isso. Com certeza vai ser um clássico cheio de paixão. Agora, o que vai acontecer lá, não sabe. Não sabemos como será a semana, tem desgaste físico. Não sabemos com quem contar. Mas a emoção do jogo, sempre fantástica. Jogar clássico é ótimo para nós treinadores. Calmante São Jogos.

Já abordamos jogos em determinados momentos em 3-4-3. Já abordamos jogos em 4-4-2. Já vou tentar algumas vezes em 3-4. Já percorremos muita coisa. Isso só é possível pelo foco e concentração dos jogadores. Tem sido fantástico no trabalho. Há uma entrega. Tem vezes não aparece bem como hoje. Mesmo equipe que estão trabalhando, tem instabilidade. Espera do céu no futebol, não existe.

Leave a Reply

Your email address will not be published.