Jean Carlos foi denunciado por tentativa de ataque a árbitro e desfalcar o Náutico por 90 dias | náutico

O meia Jean Carlos pode desfalcar o Náutico na Série B por no mínimo 90 dias por conta do desacordo com a árbitra Déborah Cecília na final do Campeonato Pernambucano. Segunda-feira, o procurador do Tribunal de Justiça Desportiva de Pernambuco, Roberto Ivo, denunciou o camisa 10 alvirrubro tanto pela expulsão na final contra o Retro, quanto pela suposta tentativa de agressão à arbitragem, após receber o cartão vermelho. Em ambos os casos, no artigo 254 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. O ocorre na próxima segunda-feira.

Dessa forma formada, pela expulsão (cotovelada no volante Yuri Bigode, do Retrô), Jean Carlos pode uma punição outra competição da Federação Pernambucana. Já pela “tentativa de assalto” Débora Cecília, pena mínima de 90 dias. E com isso, seja punido, o jogador pagaria imediatamente.

Jean Carlos parte para cima de árbitra aós expulsion na final do Pernambucano — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Pesou na denúncia ou na denúncia da árbitra ter sido relatada uma tentativa de agressão de fato por parte do meio virrubro.

– Aos 22 minutos do primeiro tempo expulso com cartão vermelho direto o senhor Jean Carlos Vicente, número 10 da equipe do Náutico, por desferir uma cotovelada da disputa da bola no rosto do cartão postal (…) vermelho, o jogador expulsou em agressão, enviado por seus próprios companheiros de direção, enviado por seus companheiros de direção, além disso, relutou a sair do de direção, enviado por seus próprios companheiros de direção – diz a súmula do jogo.

Árbitra Deborah Cecília comenta postura de Jean Carlos: “Espero que tenha punição”

Jean Carlos, por sua vez, negou ter tentado agredir a árbitra após uma expulsão.

“Eu não fui agredido. Meu movimento com o braço foi para mostrar a ela o que eu tinha feito com o jogador para sair dele e não dar cotovelada. Não quis agredir nem ela nem o jogador do Retro. Never had partieria pra cima dela, o movimento ali foi da emoção e revolta pela expulsão e eu questionaria qualquer desenvolvimento”, explicou.

João de Andrade Neto analisa atitude de Jean Carlos, do Náutico, na Central do ge

João de Andrade Neto analisa atitude de Jean Carlos, do Náutico, na Central do ge

O que diz o Código Brasileiro de Justiça Desportiva:

Arte. 254-A. Praticar agressão física durante uma partida, prova ou equivalente. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: suspensão de competições, ou quatro provas, se praticada por atleta, mesmo prazo, se suplente, treinador, suspensão médica, membro de trinta a cento oitenta, pelo mesmo prazo, se praticada por qualquer outra pessoa, pelo mesmo prazo, a trinta a cento oitenta natural, se praticada por qualquer outra pessoa natural a este Código. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

§ 1º Constituem exemplos da infração prevista neste artigo, sem prejuízo de outros:

I – de golpes dolosamente soco, coçados, cabeçada ou similares em Outrem, de forma contundente ou arriscado ao risco de causar dano ou atingido; (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009)

Pela denúncia de tentativa de agressão

Arte. 254-A. Praticar agressão física durante uma partida, prova ou equivalente. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

Se a ação for praticada contra demais 3ºs, assistentes ou membros da equipe de arbitragem, uma penalidade mínima será de suspensão por cento e oitenta dias. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

Arte. 157. Diz-se a infração:

§ 1º Salvo em contrário, pune-se a tentativa a pena corresponde à infração consumida, com intenção da metade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.