Irritado, Abel assume o vexame. Palmeiras se desgasta, faz jogo angustiante contra Juazeirense, hora da quarta divisão – Prisma

São Paulo, Brasil

A aceitação de Abel Ferreira era nítida.

As palavras saíam com dificuldades, tensão, raiva.

Deu tudo errado ontem na Arena Barueri.

O treinador havia poupado Dudu, Gustavo Gómez e Raphael Veiga da partida contra o Emelec, na Libertadores, para que entrassem diante do Juazeirense, time baiano da Quarta Divisão. O plano era massacrar o próximo, golear e fazer no dia 11 de maio em Londrina, um jogo protocolar, só constar. Garanta um vaga para as oitavas da milionária Copa do Brasil ainda ontem.

Mas a vitória foi um sofrimente. O Palmeiras jogou muito mal diante da previsível retranca do limitadíssimo Juazeirense. O treinador Barbosinha fez o que tanto vê pela tevê nas transmissões de jogos europeus. Duas linhas ‘baixas’, perto de sua área. Uma com quatro jogadores e outra com cinco. E apenas um ataque mas com a frente.

Básico fazer básico.

Para piorar, em um contragolpe rudimentar, com o sistema defensivo palmeirense desorganizado, Nildo Petrolina marcou 1 a 0, aos quatro minutos.

Fé o que bastou.

O poderoso Palmeiras se complicou. Tentando marcar sob pressão, mas jogadores fundamentais como Raphael Veiga e Dudu, inspiração, e sem tentativa de dribles com seus filhos. E pouquíssimas triangulações pelas beiradas do campo. O que facilitou, e muito, o trabalho de marcação.

Aos poucos, o tempo baiano fé confiança. E o grande favorito, se enervando. A partida virou um sufoco. Embora Rafael Navarro tenha ficado angustiante, Bruno Lopes livre para em 12 minutos, o primeiro tempo foi angustiante. O Palmeiras segue se sentindo a ausência de um grande definidor. A zaga nordestina, da Série D, não sofreu alterações como a lógica indicava.

No segundo tempo, o panorama não se alterava, com a marcação travando o Palmeiras. Foi o Gustavo Scarpa no meio. O tempo paulista passou a ter os chutes de fora da área como arma. E foi em um deles, preciso, que o meio-campista foi definido a 26 minutos, aos 26 minutos. 2 a ampliar Com a torcida, impulsionando mais, a avançar1 em Barueiri para ampliar a vantagem. Em vão.

O resultado foi mal sucedido, mas para trazer o resultado para o dia 11ndrina.

E o pior, de tudo, o desgaste na luta pela vitória contra um tempo da Quarta Divisão.

A seguir de Abel.

“Dos serviços de jogo obrigatórios, e que protegem isso.

Sem argumentos, Abel chegou a citar Corinthians, São Paulo e Santos para tentar alivar as cobranças ao Palmeiras.

“Olhando São Paulo, todos tiveram dificuldades em ganhar uma maior responsabilidade.

Diante das críticas ao tempo e, principalmente, a Atuesta, jogador custou caro, R$ 20,7 milhões. E não consegue render, o treinador ficou ainda mais tenso. Não é obvio. E teve que assumir uma responsabilidade. Afinal, a escolha da contratação do colombiano fé do português.

“Sim,(Atuesta) não está no seu melhor momento de forma. Não gosto de esconder. Você gosta de meter o dedo em um jogador, são todos. Não é só um. É verdade, ele está um pouco complicado do jogo dele. , que passa fácil que enervam a todos que não pode falhar.

“Quando os jogadores vão mal, é responsabilidade, eu que não passei as minhas certas exigências, o feedback que não passei foi o mesmo mais. Temos que dar carinho a todos da mesma forma, e dar tempo. O que não é igual para todos. Tem uns que se adaptam facilmente, outro que demora mais tempo. Temos que dar confiança.”

A verdade é que ontem em Barueri, quase foi uma terceira repetição de 2021, quando o tempo alagoado do CRB eliminou o Palmeiras, exatamente na fase da Copa do Brasil. Se desdobrando em campo, fazendo da superação física uma forma de trabalhar em uma equipe muito mas qualificada.

Para isso, no elenco de Abel Ferreira faltam critérios definidos, definitivos. Não tem. Há um rodízio de jogadores do lado de campo e meias marcando gols. Contra equipes retrancadas, mesmo da Quarta Divisão, as partidas são angustiantes.

E tome desgaste.

Depois de treino rápido, o Palmeiras viaja ainda hoje para a Bolívia, em voo fretado. Terça-feira jogará com o Oriente Petrolero, pela Libertadores. Na primeira partida fé 8 a 1, no Allianz Parque.

Poderia ir mas confiante, mas tranquilo em relação à Copa do Brasil.

Não vai.

Pelo contrário.

Viaja desgastado, cobrado.

E conhecimento do futebol decepcionante contra um time da quarta divisão…

Rigoni no podio! Veja contratações mas caras da história do São Paulo

.

Leave a Reply

Your email address will not be published.