Honda começa com pé direito em dia 1 molhado da MotoGP em Portimão – Notícia de MotoGP

Marc Márquez colocou a Honda na ponta em Portimão (Foto: Gold & Goose/Red Bull Content Pool)

” alt=””/>
EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Com frio, vento e chuva. Faith assim que a Europa recebeu a MotoGP pela primeira vez na temporada 2022. A Hondaporém, não se deixou abalar pela nada calorosa acolhida de Portimão e tratou de formar uma dobradinha na ponta da folha de tempos desta sexta-feira (22), com Marc Marquez liderando Pol Espargaró por uma diferiu de 0s041.

O hexacampeão da MotoGP cravou 1min50s666 ainda na sessão matinal, quando a maioria dos pilotos cravou os melhores tempos do dia. Pol, por outro lado, conseguiu o registro mais rápido na parte da tarde, quando chegou a 1min50s707. Apenas ou Catação, Andrea Dovizioso e Franco Morbidelli melhorar o tempo na atividade vespertina.

PREVIA MOTOGP
▶️ Dados e curiosidades sóbrias ou GP de Portugal

GP | GP2

No topo da tabela, Marc fez um balanço positivo do início dos trabalhos para esta quinta etapa de 2022, mas contorno que optou por evitar o risco de uma pista encharcada na segunda sessão do dia.

“No geral, estou feliz, pois foi um dia sólido”, resume. “Desde o início, a sensação foi boa no molhado, o que é importante, pois às vezes sai, não se sente bem e aí começa a ter mais e mais dificuldade. Mas eu saí, me senti bem, mesmo com os usados ​​de manhã pneus, saí para checar a pista e para me sentir bem, mas uma vez, e o tempo chegou bem. Aí começou uma chuva forte, tinha muita água na pista, então prefiro ficar nos boxes para evitar o risco, pois porque domingo será [com pista] é isso. Vamos ver”, conforme.

“Amanhã teremos de manter o mesmo nível. É verdade que não dá muitas informações no molhado, mas é melhor estar nas pontas do que atrás”, disse.

Questionado sobre o quão difícil o passado se tornará um touro com pista molhada, Marc ressaltou que será difícil entrar em uma motocicleta e escolher nossos pneus, por não ter que depois ter participado do GP do Algarve do ano passado. por causa de um episódio de diplomacia resultante de uma queda em um treino de enduro.

“É difícil chover, mas provavelmente vai ser difícil ver amanhã você não, então será provável que venha a acontecer um dia de amanhã novo, então será difícil escolher os pneus, então vai ser difícil, provavelmente não vai acontecer amanhã. “Os outros pilotos correram aqui há quatro, cinco meses, mas eu não estava lá, então não temos referências, mas precisamos começar com o nosso acerto base e ver. Mas, primeiro, temos de passar pelo sábado. Estou para seguir este jeito”, completou.

VR46 confirma para Portugal primeira visita de Rossi em MotoGP pós-aposentadoria

Pertinho do companheiro de equipe, Pol destacou uma dificuldade bastante das condições, mas destacou que, de uma manhã mais problemática, conseguiu se sentir melhor com a RC21V na parte da tarde.

“Não foram as melhores condições. O vento, o frio, a chuva, um clima que não é muito normal aqui em Portimão. Normalmente, enfrentamos um clima muito mas quente aqui, mas, de qualquer forma, é a mesma coisa para todo mundo”, começou o piloto da Honda. “A tarde foi complicada, a manhã também. Também alguns problemas, agora, sim, tudo isso, melhorariam muito, pois me sentiriam facilmente, rapidamente, pois, agora, tudo me mudaria muito, pois não sei o que o vento, mas sim tudo mudará por causa do vento. pronto para tudo”, garantiu.

Pol mesmo, as condições da tarde foram um pouco piores, mas, assim como o balanço geral é positivo.

“No início da sessão tinha um pouco mais de água do que estava pela manhã, mas não estava muito, muito diferente, então pude forçar, então bom. Depois de alguns, as condições começaram a piorar mais minutos e mais complicada no final da sessão”, recordou. “Ficar um treino de equipe e ficar completamente confortável para enfrentar as condições pesadas, mas ficar em segundo, depois do meu companheiro de equipe, então é bonito como se estivesse preparado para enfrentar, mas ficar em segundo lugar, depois do meu companheiro de equipe, então é bonito como o Repsol Honda na ponta”, encerou.

Com 1min51s031, Joan Mir colega de quarto tem Suzuki no terceiro posto no combinado das duas sessões livres, 0s365 mais lento do que Marc.

Bagnaia aproveitada queda e coleta de dados de problemas com brita de Portimão

“Não foi um dia difícil, pois me muito bem com a moto logo de cara, mas foi meio que um dia ‘desperdiçado’. É uma pista que eu sempre curto e estou satisfeito de já estar me sentindo bem com a minha GSX-RR, foi só uma pena que as condições, pois foi a única coisa ruim”, comentou. “Esta tarde, especialmente, não foi possível fazer um tempo de volta rápido, então não fiz tantas voltas, porque não podia forçar. Mas estou em terceiro no combinado no top-10 do momento, o que hoje em dia é mais importante do que nunca, então vamos olhar para amanhã”, acrescentou.

Novato na MotoGPMarco Bezzecchi, ficou136 forte com 1min51s na sessão da manhã e, mesmo após a queda do quarto tempo do dia, 0s47 atrás do ponteiro.

“Faith uma sexta-feira positiva: não me parece um bom trabalho com a equipe, mas sinto muito bem com a moto e muito satisfeito mesmo com a queda no TL2 necessária”, comentou Marco. “Tivemos algumas dificuldades na trade, come mais um pequeno erro, mas estou fisicamente bem, apesar de uma grande queda”.

“Continuamos nesta direção, precisos de um pequeno passo em termos de eletrônica para sermos ainda mais competitivos e esperamos por um clima favorável para a classificação de amanhã”, torceu.

Líder do Mundial, Enea Bastianini fechou a sexta-feira apenas em 16º. O italiano da Gresini completou um total de 18 voltas em Portimãoàs melhores delas em 1min51s847, e ficou em 1s181 do ponteiro.

Fabio Quartararo fechou o dia como a terceira melhor Yamaha, atrás de Andrea Dovizioso ― 14º ― e Franco Morbidelli ― 18º ―, apenas em 20º. O francês cravou 1min52s061 na melhor de 22 voltas em Portimão e ficou a 1s395 da Honda por Marc Márquez.

“Quando temos, mas nós sofremos, e hoje a minha posição é muito ruim, as nossas sensações não são tão ruínas”. “Eu sou um piloto muito sensível na parte traseira. Sinto que ela desliza para longe de mim muito facilmente. Tenho que me adaptar um pouco melhor e a ouvir isso hoje. Atenciosamente, a posição é muito ruim, mas as minhas sensações não eram tão ruínas. Sinto que temos muito a fazer, mas diria que o motociclismo não é fácil”, sublinhou.

‘El Diablo’ demorou o 3º segundo setor da pista como o trecho da maior dificuldade, onde perdeu metade do tempo que assegurou um atraso de 15.

“Vi que dia sete decimos em três curvas, e são curvas que não são fáceis, mas estou mais ao limite e estouro tempo”, pontuou. “Posso economizar tempo rodando com mais tranquilidade e pensando mais na possibilidade, colocando mais potência. Sinto que estou mais ao limite no que faço do que deveria. Por isso acho que a posição é muito ruim, mas as minhas sensações não são tão ruins”, encerrou.

Uma classificação de MotoGP para ou GP de Portugalem Portimão, acontece no sábado, às 10h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanhe todas as atividades da quinta etapa do Mundial de Motovelocidade 2022.

LEIA MAIS
# MotoGP abre temporada com 4 vitórias de fábricas europeias pela 1ª vez em 50 anos
# Márquez entretém com reação nossos EUA e mostra que está presente na MotoGP
# Yamaha melhorar moto para equilibrar relação com Quartararo
# Aleix Espargaró agradece reconhecimento por levar Aprilia ao topo da MotoGP
# MotoGP desembarca na Europa e inicia nova etapa na temporada 2022
# Rins traduz bom desempenho da GSX-RR e faz brilhar os olhos da Suzuki em 2022

” alt=””/>
DIOGO MOREIRA CHEGA BEM PREPARADO NA MOTO3 E SE DESTACA LOGO DE CARA

Acesse como versões em espanhol e português-PT Faz GRANDE PRÊMIOalém dos porqueiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Leave a Reply

Your email address will not be published.