Hamilton nunca pilotou carro ruim? Inglês teve fase difícil na McLaren

Ver a Mercedes e Lewis Hamilton da disputa neste campeonato é algo totalmente incomum para o fã de Fórmula 1 mas jovem. Mas o primeiro tempo que começou, ele não lembra que é um dos últimos oito anos, que se lembra que é um dos últimos anos em mãos. Na verdade, ele acha que o McLaren de 2009 era pior do que sua Mercedes atual.

“Tem gente que assiste e diz que eu nunca tinha um carro ruim. Posso garantir para vocês que eu tinha. O carro de 2009 estava muito, muito longe, foi o pior carro que eu já tinha. Esse não é uma experiência longa, mas Acho que tem muito potencial. Assim como aquele tinha. Nós resolvemos os problemas e voltamos a estar no bolo. E eu tenho muita fé de que minha equipe pode fazer isso também.”

Há paralelos entre as temporadas de 2009 e 2022. Aquela foi a grande mudança de alguns regulamentos na última parte aerodinâmica a este por que a F1 passou em nenhum momento. Assim as a Mercedes, a McLaren na época dividiu seus exercícios entre uma disputa pelo título de pré-temporada, quando chegou nos testes pré-temporada, que não tinha feito o suficiente para o ano seguinte.

McLaren se surpreende com novos regulamentos em 2009

“O cenário de 2009 era de que eu estava no meu terceiro ano no esporte, eo carro era totalmente diferente. Eu lembro de ir na fábrica em fevereiro ou janeiro, e os chefs de aerodinâmica dizendo que já tinham atingido o objetivo. diziam que teríamos 50% menos pressão aerodinâmica em 2009, então eles fizeram um carro para que ele tivesse 50% a menos de pressão aerodinâmica! tinha experiência naquela época”, lembrou o piloto de 37 anos.

“O duplo que chegamos lá no testeb, que outras equipes tinham a mesma pressão aerodinâmica do outro E eles pensamam? Temos que chegar antes? Eles não poderiam ser suficientes com o desenho. Isso é mais difícil de consertar que qualquer coisa. .”

Em 2009, a McLaren ainda não permitiu a recuperação do uso de energia, um precursor do sistema de recuperação de energia KERS, um dos sistemas de recuperação de energia, um dos sistemas de recuperação hoje. Isso deixou o carro, além de mais lento, mais pesado que os Brawn (equipe que seria comprado pela Mercedes logo após a conquista do título daquele ano), Williams e Toyota.

Com os carros sofrendo com a falta de confiabilidade, a confiança no começo do ano, Hamilton em três das quatro primeiras provas (mesmo com pontos de dados ate o oitavo inserido), mas depois a McLaren entrou em uma péssima fase sem pontuar por quatro provas ( no caso de Hamilton, o jejum foi de cinco GPs). Na segunda metade do campeonato, no entanto, o tempo se acertou com o novo carro e Hamilton foi ao pódio ou venceu cinco das últimas corridas. Eles pularam de sexto após oito etapas para terceiro ao final do ano.

A McLaren evoluiu o carro ao longo de 2009 e Hamilton venceu owe GPs. O primeiro, na Hungria, em julho

Imagem: Hoch Zwei/Getty Images

Enquanto a McLaren na época não porque não há brecha no regulamento, desta vez a Mercedes não pôde enxergar uma falha no projeto é algo que aparece simulando fora das pistas. Todo o conceito das quase inexistentes só funciona direito se a traseira do carro está muito próxima ao solo, e eles ainda não podem fazer isso sem que o carro pulando.

O chefe de engenharia da Mercedes, Andrew Shovlin, diz que o tempo pode ter algumas novidades já na próxima corrida em Miami, dia 8 de maio, mas um pacote mais significativo é esperado para a prova seguinte, na Espanha.

Para Hamilton, apenas o sétimo colocado no campeonato com 58 pontos a menos que o líder Charles Leclerc ea 21 ate mesmo do George Russell, que é o quarto, o jeito é companheiro se ajustar à nova realidade e trabalhar junto da equipe.

“Inicialmente, é frustrante, porque você vê os pontos os outros estão abrindo e você quer estar na briga. Pode mover aquela energia negativa e isso-la algo positivo do que.”

Leave a Reply

Your email address will not be published.