gringos que jogaram no Brasil e estão desempregados

A Futebol Os brasileiros estão cada vez mais internacionalizados. Além dos treinadores gringos, que estão em alta por aqui, os clubes nacionais costumam trazer jogadores nascidos em outros países.

Mas o que acontece com esses atletas quando deixam o país pentacampeão mundial?

Alguns acabam se dando bem em outros cantos, como o colombiano Yerry Mina (ex-Palmeirasagora no Everton) e o argentino Manuel Lanzini (ex-Fluminense, agora no West Ham). Mas nem todo mundo está em um caminho tão legal.

A “Blog do Rafael Reis” apresenta abaixo sete estrangeiros que passaram por clubes brasileiros nos últimos anos e que atualmente estão desempregados. Será que eles terão uma equipe para defender nos próximos meses?

Autor do gol que deu o título mundial a Corinthians Em 2012, o atacante peruano passou nove anos jogando no Brasil. Depois de defender o FlamengoGuerrero rescindiu seu contrato com o Internacional, Outubro passado. Desde então, a camisa 9 nunca jogou uma partida oficial. Recentemente, o jogador foi apontado como um possível reforço do Alianza Lima, de seu país natal, e especulava-se que ele poderia passar para a norte-americana MLS (Major League Soccer). Guerrero está com pressa para encontrar um clube, pois ainda tem esperanças de participar da Copa do Catar 2022 no final do ano – o Peru disputará as eliminatórias mundiais contra a Austrália ou os Emirados Árabes Unidos em junho.

Ariel Cabral
Metade
34 anos
Argentino

Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Bicampeão da Copa do Brasil cruzeiro, é o jogador estrangeiro que mais vezes vestiu a camisa do clube. O argentino defendeu o time mineiro de 2015 a 2021, com um curto período de empréstimo de quatro meses no Goiás entre. No ano passado, Cabral estrelou a Série B brasileira. Mas, sem a mesma capacidade física do início da sua passagem pelo clube, perde espaço e termina a temporada no banco de reservas. Com isso, optou por não renovar seu contrato e seguir a carreira com outro time. Mas até agora, esta nova equipe não seguiu o caminho dos veteranos.

DOIS SANTOS DE JULHO
Metade
38 anos
paraguaio

Julio dos Santos (Vasco) - Paulo Fernandes/Flickr do Vasco - Paulo Fernandes/Flickr do Vasco
Imagem: Paulo Fernandes/Flickr do Vasco

O meio-campista, que inclusive atuou em Bayern de Munique lá no início de sua carreira, ele defendeu três clubes brasileiros: Guilda (2008), Atlético-PR (2008 e 2009) e basco (2015 a 2017), onde ganhou destaque. Mas o clube onde Julio dos Santos viveu seu apogeu foi o Cerro Porteño, pelo qual foi pentacampeão paraguaio e uma vez artilheiro da Libertadores (2014). Este casamento terminou em junho passado. Desde então, o paraguaio tem se comportado como um torcedor do Cerro nas redes sociais, mesmo não estando oficialmente aposentado.

MAURO ZARATE
meia-atacante
35 anos
Argentino

O argentino Mauro Zárate vestirá a camisa 99 do América-MG e realizará o sonho de jogar no futebol brasileiro - América-MG/Divulgação - América-MG/Divulgação
Imagem: América-MG/Divulgação

Comparado a Carlos Tevez no início da carreira, não conseguiu o mesmo sucesso do craque argentino, mas chegou a defender alguns clubes relevantes no cenário europeu, como Lazio, Inter de Milão e Fiorentina (Itália) e West Ham e Watford (Inglaterra). Em meados do ano passado, ele desembarcou em América-MG para participar da última reta do Brasileirão. Pouco conhecido em Belo Horizonte, foi liberado em fevereiro para ser transferido para Juventude. Mas um mês depois, invocou problemas particulares (o estado de saúde de seu pai) para romper o contrato e retornar à Argentina.

JEFFERSON OREJUELA
Vôo
29 anos
equatoriano

Orejuela em ação com a camisa do Fluminense - GettyImages - GettyImages
Imagem: Getty Images

O meia chamou a atenção do Fluminense depois de se destacar na campanha de vice-campeonato da Libertadores-2016 pelo Independiente del Valle, mas nunca conseguiu se firmar no futebol brasileiro. Assim, foi emprestado à LDU e posteriormente negociado com o Querétaro, do México. No ano passado jogou pelo Emelec. No entanto, suas atuações não foram boas o suficiente para convencer o clube equatoriano a mantê-lo na equipe nesta temporada. Nos últimos meses, surgiram rumores de que Orejuela poderia retornar ao Del Valle ou jogar no Brasil novamente. Mas até agora, nada disso aconteceu.

FABIEN MONZON
lado esquerdo
34 anos
Argentino

Fabián Monzón (Fluminense) - Bruno Turano/Câmera - Bruno Turano/Câmera
Imagem: Bruno Turano/câmera

Parceiro de Messi na seleção argentina que conquistou o ouro nas Olimpíadas de Pequim em 2008, teve um ótimo início de carreira e chegou a jogar pelo Bétis e pelo Lyon. Monzón veio para o Brasil quando as coisas começaram a dar errado para ele na Europa e jogou pelo Fluminense durante o primeiro semestre de 2013. Depois voltou para o Velho Continente e rolou, rolou, rolou. Entre 2018 e 2019, ficou um ano inteiro desempregado, situação que está prestes a se repetir. Afinal, o contrato de Monzón com o Atlético Tucumán, o último time que defendeu, terminou em junho passado.

MICHAEL ARROYO
meia-atacante
34 anos
equatoriano

Michael Arroyo (Grêmio) - Divulgação - Divulgação
Imagem: Divulgação

Destaque do futebol mexicano em meados da década passada, teve uma passagem que durou miseráveis ​​sete partidas pelo Grêmio. Mesmo assim, dá para perceber que ele fez parte do time que foi campeão da Libertadores-2017. Depois de deixar o Rio Grande do Sul, Arroyo voltou ao Equador e passou três temporadas defendendo o Barcelona de Guayaquil. Sua última experiência profissional terminou no final de 2020. No início do ano, o meia-atacante reapareceu jogando competições internacionais em nível amador e abriu rumores de que poderia buscar os holofotes para retomar a carreira.

Leave a Reply

Your email address will not be published.