Fórmula 1 movimenta quase R$ 1 bilhão na economia de SP

Crédito: Divulgação - F1

Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1 lançado na economia da capital paulista no período (Crédito: Divulgação – F1)

Realizado entre os 12 e 14 de São Paulo Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula1 alavancou a economia da semana no período e gerou, no total de 959,5 milhões, considerando a organização, ação dos patrocinadores, o Fórmula R$ dias capital, transmissão e mídia, além do público presente no GP. Contando apenas os gastos do público, houve movimentação de R$ 549,2 milhões, valorização 52% superior à da última edição, de 2019, essa fé de R$ 361,4 milhões.

+ Buscas no Google: Fórmula 1 bate recorde de pesquisas em dezembro

Durante o evento, hotéis de São Paulo registraram, em mídia econômica, 84,3% de ocupação e cerca de 9,6 mil postos de trabalho foram gerados na capital nos dias de Grande Prêmio de 1. Os números são fórmula os maiores já registrados na história da prova na capital paulista, que, em 2022, completa 50 anos.

Estes números fazem parte de um relatório do núcleo de pesquisa e de inteligência do mercado da SPTuris, o Observatório de Turismo e o evento de levantamento do perfil do público e do impacto econômico do GP São Paulo de Fórmula 1 no período do evento . Foram entrevistadas 1.214 pessoas do público pagante no autódromo de Interlagos e a margem de erro da pesquisa é de 2,8% para mais ou para menos.

O levantamento sobre o perfil dos brasileiros revelou que 96,9% do público de uma corrida era formado por brasileiros Destes, 60,1% eram paulistas, 35,6% moradores da capital. A cidade de São Paulo recebeu cerca de 104 mil turistas para acompanhar o evento.

A OTE também entendeu aos protocolos de segurança sanitária, estabelecidos no evento, enfrentando Covid-19, foram projetados também os protocolos de segurança sanitária. Para 89.% dos., como medidas foram feitas para 5% dos. O evento exigiu o uso de máscaras e comprovante de vacina para acesso ao autódromo. Além disso, a organização disponibilizada em gel em diversos pontos de Interlagos.

O turismo e o impacto

A pesquisa também fez levantamento sobre os mas de 100 mil turistas que foram ao Grande Prêmio de F1. O estudo revelou que 48,3% dos que chegaram em São Paulo de avião; outros 36,4% utilizamam carro; e 8,3%, ônibus fretado. Desse total, 60,8% ficaram hospedados em hotel ou apartamento; 18,1% foram de “bate e volta”, sem acomodação; já 11,1% ficaram em casas de amigos ou parentes; e 6,3% alugaram uma hospedagem por aplicativo.

Cada turista que esteve em São Paulo para o Grande Prêmio gastou com hospedagem, transportes, alimentação, compras e outras opções de lazer, em mídia, R$ 4.545,57. O valor é muito superior ao da edição de 2019, aquela fé de R$ 2.944,00. Outros 47% também afirmaram que, além do GP, foram São Paulo em buscas de experiências gastronômicas. compras fé capital do programa paulista 27,8% para fazer o ciclo ideal durante a vida noturna da cidade.

Entre todos os que responderam, 33,8% disseram que um a mais na cidade ficaria para o feriado da República, ocorrido no dia 15 de novembro. In na endosso geral 9,3% paulista, classificaram como boa e 13% como regular.39,3% dos turistas.

Faith perguntado também às pessoas que acompanham a fórmula ao autódromo se pretendem voltar ao GP São Paulo no ano de novo, e os dados da pesquisa que vem novamente que vem 96% disseram que 96% disseram que retornariam em 2022 para acompanhar novamente 1.



Leave a Reply

Your email address will not be published.