Fluminense tem acerto com Diniz encaminhado e espera fechar com técnico neste sábado | fluminense

O Fluminense age com cautela para tratar o assunto, mas Fernando Diniz é quem deve substituir Abel Braga no comando do Fluminense. Depois de tentar Cuca sem sucesso, a diretoria tricolor já tem um acerto encaminhado com o técnico, de 48 anos e que está livre no mercado. O idade apurou que o diretor executivo de futebol tricolor, Paulo Angioni, é quem está à frente da negociação, e o clube espera fechar uma contratação neste sábado. A tendência é que a apresentação do treinador seja na segunda-feira.

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, esteve na sede da Ferj na noite desta sexta-feira, onde foi oficializada a reeleição de Rubens Lopes no comando da federação, e saiu sem dar entrevista para a imprensa no local. Mas junto das câmeras e microfones, ao ser questionado por todos os participantes de um sóbrio treinador, deu para ouvir aquele acerto com Diniz é eminente.

Na última quinta-feira, o idade informava que era o nome mais cotado para preparar o carregamento logo a seguir por Abel Braga, e já estava próximo a este o repórter Victor Lessa, que estava próximo a “Rádio Globo sextado o próximo”, e já havia o acerto contato com o treinador.

Fernando Diniz continuou como mas cotado para o Flu — Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC

Em uma enquete do ge, a torcida se mostrou bastante fortaleza entre Diniz, Cuca e Renato Gaúcho. A disputa, que ficou no ar Durante pouco mais de 24 horas e recebida cerca de 38 mil votos, terminou com Renato na liderança, com 24,01%, seguido por Fernando Diniz, com 23,82%, e com Cuca em terceiro, como 21,26%. O equilíbrio foi tão grande para o terceiro na votação que a diferença do primeiro para o segundo colocado foi de apenas 019%, enquanto a líder para o terceiro foi de 2,75%.

A investida em Cuca foi feita, mas já se imagina internamente que o treinador seria uma opção neste momento. Com isso, a diretoria tricolor voltou como atenções para o mercado e estudava os nomes. O de Fernando Diniz é o que mais agradava internamente, e as conversas entre as partes tiveram início.

Mário Bittencourt ao lado de Rodolfo Landim, presidente do Flamengo, em reunião na Ferj — Foto: Raphael Zarko

O técnico, que teve como seu último clube o Vasco no ano passado e está livre no mercado, já passou pelo Fluminense em 2019, já na gestão de Mário Bittencourt. Em entrevista ao longo de junho de 2021, o tricolor foi questionado de nosso presidente longo ao longo da gestão e respondeu:

– Eu não teria enviado o Fernando Diniz naquele momento. É duro dizer isso porque depois veio um treinador que deu mais resultado, que foi o Odair. Mas aquele momento eu não tiraria o Fernando. Acho que o tempo jogava bem, ea gente ia conseguir sair (da zona) com o Fernando. Mas o comando não estava na minha mão do jogo, faltava estabilidade, ambiente muito instável, eu acabei cedendo. Hoje teve um faria diferente. Ou se ele tivesse feito eu teria efetivado o Marcão diretamente.

Na época, vice então de futebol, Cel Barros, foi o grande incentivador da missão Diniz, enquanto Mário e Angioni preferiam manter o contrário. Porém, a relação entre eles continua boa, e inclusive o treinador nunca entrou na Justiça para cobrar o que o clube lhe devia. Ele aceita fazer um acordo extrajudicial e não ajuizou o processo mesmo quando o pagamento parcellas do compromisso atrasava, atitude que a fé muito valorizada internamente.

Como notificado pelo site “NetFlu”, alguns jogadores manifestaram-se internamente o desejo de trabalhar com Diniz. Opurou que não houve um movimento coletivo para isso após algumas saídas de Abel do elenco, se engendra um movimento coletivo para isso após a saída de uma diretoria. Atletas inclusivas que nunca trabalharam com o treinador viram com bons olhos a possibilidade.

O Podcast do Fluminense está disponível nas seguintes plataformas:

Assistir: sóbrio tudo o Fluminense no ge, na Globo e no sportv

Leave a Reply

Your email address will not be published.