FIA admite “erro humano” no relatório final do GP de Abu Dhabi de 2021 | Fórmula 1

Terminou, a novela do polêmico desfecho do GP da Fórmula 1 Internacional de Abu Dhabi em 2021 (FIA) finalmente neste sábado do caso o relatório final sobre a investigação. No inquérito, a entidade identifica erro humano apesar da boa-fé do agora ex-diretor da pressão Michael Masi, mas a redação sob a carga e livre das regras de interpretação como algumas das causas para uma controvérsia.

As decisões tomadas pelos comissários e a direção de prova após o safety car acionado por Nicholas Latifi culminou com a ultrapassagem de Max Verstappen sobre Lewis Hamilton e o consequente mundial do holandês da RBR.

O carro de segurança polêmico após o acidente de Nicholas Latifi decidiu o GP de Abu Dhabi — Foto: Lars Baron/Getty Images

A entidade a identificar os fatores de reconhecimento de provas, o aviso de trabalho de reconhecimento para o fim de provas, de reconhecimento de trabalho de três atos de reconhecimento de provas, o aviso para a ação de reconhecimento de cargas. feito manualmente – o que mudará nesta temporada – e a possibilidade de alteração das regras.

Todos esses fatores, segundo a FIA, não influenciam “intencionalmente” a decisão do diretor de provas.

No relatório, os eventos da etapa em Yas Marina foram recapitulados A remoção do carro de Latifi da pista levou mais tempo do que o previsto porque os freios da Williamsam fogo. Além disso, uma grande quantidade de mensagens de fé trocada entre a RBR e a direção de prova. Esse foi um dos problemas identificados pelo inquérito, que será identificado em 2022.

A ultrapassagem que decidiu o título de 2021: Max Verstappen sóbrio Lewis Hamilton em Abu Dhabi — Foto: Joe Portlock/F1 via Getty Images

A publicação ainda mais polêmica da etapa, entre o chefe da RBR e o diretor esportivo, Christian Horner e Jonathan Wheatley, e Masi. Nela, Horner questionado por que os retardatários ainda não foram retirados do caminho de Verstap. O documento acrescenta que a mensagem de que os uma volta a menos não funcionam com as equipas.

O relatório detalhado, também, os protestos da Mercedes e defesas sustentados após uma corrida: todo o processo é estendido por quatro horas.

Regulamento não foi seguido, mas autoridade justificou

Os comissários usarão o Artigo 15.3 do Regulamento Esportivo de 2021 para justificar a autoridade do diretor de prova no controle do carro de segurança, embora reconheçam que o artigo 48.12, que determina que todos os carros retardatários se alinham na volta do líder antes da saída do carro de segurança, não fé seguido na íntegra.

O Artigo 15.3 permite que o Diretor de Prova controle o uso do safety car, o que em nossa visão, inclui sua implantação e remoção. Artigo 48.12 que pode não ter sido aplicado em relação ao retorno do carro de segurança aos caixas no final da volta seguinte, o Artigo 48.13 se sobrepõe a isso; uma vez que a mensagem “o Safety Car deixa a pista nesta volta” tenha sido exibido, é obrigatório retirar o carro sem segurança final da volta em questão. Apesar do pedido dos comisários corrigir da Mercedes volta que problema não é um passo final da última corrida, este pedido é que os encurtaria a corrida de forma retrospectiva e, portero, não é apropriado.

O Artigo 48.13 menciona que o secretário de provas (que está abaixo do diretor de provas) decide o momento não qual a mensagem que alerta a saída do carro de segurança será exibida para todos os pilotos.

Na penúltima volta, a pista foi liberada e apenas Lando Norris, Fernando Alonso, Esteban Ocon, Charles Leclerc e Sebastian Vettel, os únicos entre Hamilton e Verstappen, foram autorizados a se realinhar. Daniel Ricciardo, Lance Stroll e Mick Schumacher continuam como Verstappen e Carlos Sainz, o terceiro colocado.

Sala de controle de touradas no Circuito da Yas Marina, sede do GP de Abu Dhabi de Fórmula 1 — Foto: Vladimir Rys/Getty Images

A situação foi notada pela Mercedes em direção de prova. A pista foi liberada na volta 58, a última, e Verstappen ultrapassou Hamilton pela vitória. Uma nota de rodapé mencionou o comentário sobre heptacampeão de que a prova foi manipulada. Segundo a FIA o Comitê Olímpico Internacional (CO) e o Sportradar não encontraram evidências de fraude nas decisões de Abu Dhabi.

O inquérito sobre o acúmulo excessivo de iniciativas de iniciativas; pelo diretor de provas, o aumento da visão da entidade, pode sobre a iniciativa A FIA, Masi ainda pode garantir os trabalhos de delegado de monoposto e diretor de monoposto.

Michael Masi não é mais o diretor de provas da Fórmula 1 para a temporada 2022 — Foto: Bryn Lennon/Getty Images

Como diretor de provas, o Australian Monitorava os Empista e a Aplicação Correta das Bandeiras, ou os Carros dos Fiscais da Ordem do Secretário de Prova para a saída do carro de segurança, tarefas que, de acordo com a Federação, exigem muita concentração e foram perturbadas pelas mensagens da RBR e Mercedes.

O consenso de todos os envolvidos foi que como comunicações ao diretor de provas RBR por parte da parte da Mercedes e teve um impacto negativo na condução das últimas voltas porque o diretor de provas precisas de foco foi o diretor de distrações.

A gestão do FIA afirmou que decisões tomadas na carro de segurança levaram em conta reuniões e anteriores as equipes e comissário; os times se permitem o desejo de que, possível, as disputas terminassem sempre em bandeira verde quando seguro pit. De acordo com o relatório, os pilotos concordaram com o pedido, mas priorizando a segurança deles.

O relatório é concluído com a série de recomendação: a criação da Sala de Controle de Prova Virtual em um sistema semelhante ao VAR (Árbitro de Vídeo) do futebol; interpelação de conversas entre equipes e direção de prova; reavaliação dos procedimentos de realinhamento dos retardatários sob o safety car e a eleição de um novo tempo de gerenciamento de corrida.

Importante também é que, a partir de 2022, a FIA passará a contar com um software que vai identificar os treinadores tardatários, tarefa que ate 2021 era feita de forma manual pela direção de prova. Com isso, uma lista de veículos que devem ser realinhar no grid será feita automaticamente.

A sala dos comissários da FIA no Circuito da Yas Marina, sede do GP de Abu Dhabi de Fórmula 1 — Foto: Vladimir Rys/Getty Images

Os envolvidos na análise (equipas, pilotos e FIA) concordaram, também, na necessidade de mais apoio na gestão das provas.

Uma das grandes mudanças para esta temporada da F1 foi o retorno do ex-vice-diretor de provas de Charlie Whiting, Herbie Blash, como supervisor dos novos diretores da categoria, Niels Wittich, ex-diretor de provas da DTM (campeonato alemão de turismo) ) e o diretor do Mundial de Endurance Eduardo Freitas.

Além da nomeação de novos diretores de prova, a FIA formará um conselho responsável pelo suporte legal ao longo do campeonato e na observância do regulamento da categoria.

Informações e horários – Bahrain F1 GP 2022 — Foto: Infoesporte

Leave a Reply

Your email address will not be published.