Ferrari e Red Bull compartilham qualidades. Mercedes é pego no salto

Charles Leclerc liderou o dia: Ferrari chega forte na Arábia Saudita (Foto: AFP)

” alt=””/>

Assim como no Bahrein, o Ferrari move para o topo da planilha de horas novamente. Charles Leclerc definir o tempo mais rápido em um dos dias mais tensos da história recente dado Fórmula 1. A explosão de uma refinaria de petróleo perto da pista, alvo de um ataque de rebeldes iemenitas, quase provocou o cancelamento do fim de semana na Arábia Saudita. Os pilotos questionaram sobre a continuidade das atividades, mas, no final, acabaram aceitando a direção do Mundial.. Assim, o cenário saudita caminha mais uma vez para uma disputa entre os italianos e os Red Bull.

Os carros vermelhos foram muito rápidos no circuito rápido de Ele come. O ritmo da classificação já coloca a dupla da Ferrari, notadamente Leclerc, como favorita para a pole position neste sábado. Mesmo em baixas temperaturas, o F1-75 não perdeu aderência e mostrou equilíbrio nas seções de alta velocidade. A Ferrari até conseguiu controlar o “porpoiing” sem comprometer a configuração geral.

A única pergunta sem resposta do dia era: desempenho na corrida. A equipe não conseguiu realizar a simulação do GP. E isso nunca é bom. Os problemas de Leclerc e também de Carlos Sainzque tocava os muros da estreita via urbana, acabou prejudicando o programa técnico do Ferrarique começa quase no escuro para a corrida de domingo, muito diferente do que aconteceu no Bahrein.

generalista | GP2

“Foi o final infeliz de um bom dia. No TL2 cometi um pequeno erro, mas não foi o que me fez perder a confiança. Eu esperava que a frente escorregasse mais e batesse na parede na curva 4. Pensando que amanhã eu acho que temos algum ritmo, pena que não pudemos fazer mais voltas com o tanque cheio mas estamos no saco para amanhã . , disse o monegasco.

Sainz também expressou preocupação com o ritmo da corrida e vê a escolha dos pneus como chave para as ambições dos italianos em Ele come. “Como esperado, os carros se comportam de forma diferente em relação ao Bahrein, então temos que continuar aprendendo. Como no ano passado, entender o melhor pneu para a corrida é importante na estratégia. Infelizmente, não fizemos corridas longas no final do TL2 depois de bater na parede, tivemos que ficar na garagem, mas vamos ver o que o amanhã traz.

UMA Red Bull também chamou a atenção para a noite saudita. O RB18 continua muito rápido no ritmo de pontuação. Max Verstappen estava a apenas 0,140s da marca do líder do campeonato, o que o coloca em uma forte posição para a pole position no sábado. O carro Taurus se sai bem nas seções de velocidade – o Bahrein também mostrou essa faceta. Mas talvez a maior arma no momento seja o desempenho nas corridas. Ao contrário do Bahrein, onde o Ferrari foi melhor, agora Verstappen jogou de forma consistente e foi muito melhor que o resto do grid.

Além dos pneus médios, o campeão mundial foi o de melhor ritmo, rodando na faixa de 1min35s2. o companheiro Sérgio Pérez foi o mais próximo, com 1min35s4. Como efeito de comparação, o mercedes Foi a equipe que chegou mais perto: Lewis Hamilton deu a volta em 1min36s0. george russell acompanhou o heptacampeão, em 1min36s1.

“Os dois treinos livres correram muito bem, hoje terminámos o nosso programa e experimentámos todos os pneus diferentes. Parecia novamente que o Ferrari tem sido muito competitivo e teremos que trabalhar um pouco mais para alcançá-los. Mas temos uma boa margem de evolução”, avaliou Verstappen.

Uma câmera de bordo mostra como o carro da Mercedes oscila em alta velocidade no circuito de Jeddah (Vídeo: F1)

Falando da frota alemã, o W13 continua a dar trabalho aos multi-campeões. Mais uma vez, os engenheiros tiveram que modificar a configuração geral para encontrar um equilíbrio mínimo entre velocidade e eficiência aerodinâmica. O carro continua a sofrer com saltos, e isso ficou mais visível no ritmo da qualificação. A compensação para encontrar esse desempenho também tem um preço alto. “Foi um bom dia, ainda temos muitos problemas da última corrida, mas estamos trabalhando nisso. Foi um pouco mais difícil com as curvas de alta velocidade, mas a aderência na pista é boa e nós só precisa de mais velocidade nas retas.

Andrew Shovlin, engenheiro da mercedes, estava na mesma linha de Lewis, acrescentando que o equilíbrio parece melhor do que no Bahrein. De fato, a simulação de corrida foi mais sólida, mesmo que a distância para os dois rivais continue importante. “Tentamos mais alguns experimentos para entender o problema do salto aqui, alguns que pioraram, alguns que ajudaram, mas ainda não temos uma solução para fazer o problema desaparecer. Podemos reduzir um pouco isso para amanhã porque afeta os pilotos em certas curvas e faz com que percam tempo”, disse Shovlin.

“Comparado com o Bahrein, o equilíbrio do carro é melhor e em termos de degradação estamos muito felizes com o que vimos hoje. Nossa única volta ainda precisa de um pouco de trabalho, mas temos a sessão de amanhã para fazê-lo. Apesar de tudo, é foi um dia razoável, mas claramente ainda temos algum trabalho a fazer antes de perturbar o Red Bull ou tem Ferrari“, concluiu.

No sábado, o terceiro treino livre está marcado para as 11h (horário de Brasília). A classificação começa às 14h. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Arábia Saudita HABITAR e DENTRO TEMPO REAL.

Acesse as versões em espanhol e Português-PT Faz GRANDE PRÊMIOalém de parceiros Nossa conferência e guiado.

Leave a Reply

Your email address will not be published.