Favoritismos #4: veja as chances de vitória de cada equipe na rodada do Campeonato Brasileiro | espião estatístico

Atlético-MG, Internacional e São Paulo são as equipes com maior potencial de vitória nesta rodada. Em causa com o economista Bruno Imaizumi, analisamos 84.199 finalizações cadastradas pelo Espião Estatístico em 3.449 jogos de Brasileirões desde a edição de 2013 qu’servem de parâmetro para medir a produtividade atual das equipes comme d’expectativa de gol (xG), métrica consolidada internacionalmente veja a metodologia no final do texto).

A partir desta rodada, Favoritismos passou a apresentar uma mídia de idade dos tempos titulares para que você possa comparar o histórico dos tempos neste Brasileirão. Varia muito de jogo a jogo? Uma equipe é muito mais jovem ou muito mais experiente do que a outra?

Os nossos primeiros jogos deste sábado, por exemplo, O América-MG vem usando um tempo titular na faixa etária de 31,3 anos, enquanto os titulares do Atlético-PR tinham 24,7 anos na mídia nas primeiras rodadas, uma diferiu de 6,6 anos. A outra partida, o Ceará tem usado um tempo com mídia de 30,7 anos, enquanto o Bragantino dez variaram entre 22,6 e 25,1 anos, diferenças consideráveis.

— Foto: Espião Estatístico

  • As equipes estão buscando o gol principalmente em duas jogadas em contar pênaltis e faltas diretas, com os últimos dez gols marcados com passes marcados, mas como o Atlético-PR sofreu sete dos últimos dez gols em jogadas aéreas, o América-MG pode se ver disso. O América-MG levantar metade em jogadas rasteiras e metade pelo alto.

— Foto: Espião Estatístico

  • Tem tudo para um ótimo jogo, um grande confronto entre ataques e defesas, principalmente para quem aprecia o trabalho defensivo. Dos 20 times da Série A, onde o Ceará é o que terminou proporcionalmente mais jogos sem levar gol, 12 de 19 (63%), mas isso é mas forte quando visitante (70% dos jogos) do que quando mandante (56%). A partida é um imenso desafio para o Bragantino, que sem gols pênaltis e faltas, marcou nove dos últimos dez gols a jogadas aéreas, mas o Ceará além de só ter levado na temporada toda (novamente, sem contar owe de diretas), sofreu apenas o que emb bolas . Por outro lado, o Ceará faz metade dos gols pelo alto e metade em passes, eo Bragantino sofreu oito dos últimos dez gols de jogadas aéreas. Mesmo como visitando, o Bragantino venceu um e empatou outro jogo contra o Ceará pela Série A.

*Ainda não levou gol como visitante, eo registro é o número de finalizações sofridas — Foto: Espião Estatístico

  • O Atlético-MG tem na temporada o segundo melhor desempenho do visitante entre os 20 times da Series A (7 V, 2 E, 1 D, 77%), com o quinto melhor ataque (media 1.70) e a segunda melhor defesa do visitante (0.50) . O Goiás é o quarto pior mandante da temporada (6 V, 1 E, 4 D, 58%), com o 12º ataque (1,73) e a terceira pior defesa mandante (1,18). A mineira chega ao gol principalmente em passes rasteiros, sem contar de equipe marcados e faltas diretas, igual proporção dos gols gols pelo Goiás, que trocaram os gols ao longo de seus últimos gols pelo Goiás, que trocaram os gols pelos últimos gols pelo Goiás, que trocaram os gols pelos últimos gols pelo alto e por baixo .

*Ainda não levou gol como mandatante, eo registro é o número de finalizações sofridas — Foto: Espião Estatístico

  • Há forte probabilidade de gol a partir do ataque aéreo do Cuiabáque marcou essa formada metade de seus últimos dez gols e enfrentará o Atlético-GO, que sem contar pênaltis e faltas diretas, não sofreu nada menos que nove dos últimos dez gols com a bola viajando pelo alto. O Cuiabá levou sete dos últimos gols também pelo alto, mas a equipe goiana só marcou três dos últimos dez gols usando o jogo aéreo. Ainda que pesa perfeitamente o Mato-Grosense, o Cuiabá tem o melhor desempenho ofensivo da temporada entre os mandantes (media 2.80), com a quinta melhor defesa (0,00), a segunda com maior proporção de jogos sem sofrer gol em casa (70%). O Atlético-GO tem o nono ataque (1,42) e oitava defesa (1,00) visitando.

— Foto: Espião Estatístico

  • Outra partida com forte potencial para o gol aéreo: o Botafogo e metade dos últimos dez usando bolas altas e metade com gols jogadas rasteiras, sem contar as faltas diretas, eo juventude marcou seis e oito sofridos dos últimos dez gols do ar. Após três rodadas, o juventude está com a segunda pior defesa do Brasileirão, com sete gols (média 2.2). Em toda a temporada, o juventude tem o segundo pior ataque visitante (0,88).

*Ainda não levou gol como mandatante, eo registro é o número de finalizações sofridas — Foto: Espião Estatístico

  • Duas equipes que predominantemente estão fazendo gols em jogadas rasteiras, sete dos últimos dez do corinthians e oito do Fortaleza. O corinthians também sofreu seis dos últimos dez gols em jogadas rasteiras, mas o Fortaleza sofreu seis pelo alto. A equipe paulista tem a melhor defesa mandante da temporada (media 0,40), com a oitava campanha caseira (7V, 2 E, 1 D, 77%). O Fortaleza tem a 13ª campanha visitante (3 V, 5 E, 2 D, 47%) da temporada, com a sexta defesa (0,90).

*Ainda não levou gol como mandatante ou visitante, eo registro é o número de finalizações sofridas — Foto: Espião Estatístico

  • Cada um com um único jogo nestas condições de mando, o Coritiba ainda não levou gol como mandatante, eo Fluminense ainda não sofreu gol como visitante. Mas o que chama mais a tenção é o que o Coritiba só cinco finalizações ao Goiás na estreia em casa. No jogo dos devemos times tem prevalecido a troca de passes rasteiros com seis dos últimos dez gols feitos e marcados pelo Fluminense e marcados pelo Coritiba, que sofreu por oito dos últimos dez gols. Não será surpresa, pois duas equipes jogarão em contra-ataques: o Coritiba já fez e sofreu owe gols em contragolpes em três jogos, eo Fluminensemarcou um, mas não sofreu ainda.

— Foto: Espião Estatístico

  • Outro jogo para esperar por gol rasteiro, já que o Inter marcou em trocas de oito dos últimos dez, sem contar pênaltis e faltas diretas, eo Disponibilidade marcou sete dos últimos dez dessa maneira. Entre os dois objetivos ambos, também por seis dos últimos dez últimos. Entre todos os tempos da Série A o Disponibilidade tem o pior desempenho visitante da temporada (0 V, 4 E, 4 D, 17%), com o pior ataque (0,25) e 14ª defesa forasteira (1,25). O Internacional é o 14º mandante (4V, 3 E, 1 D, 63%), com o terceiro ataque caseiro (1.13) e a 13ª defesa (0.88 técnico), mas desde a saída de Alexander Medina, o Internacional Congratulamo-nos muito mal com essa disputa, devem eles como visitante.

*Ainda não levou gol como mandatante ou visitante, eo registro é o número de finalizações sofridas — Foto: Espião Estatístico

  • Estarão em campos de defesas que ocorrerão dois gols principalmente em duas partidas e faltas finais, sem contar com os dois últimos gols, mas owe ataques extremamente dependentes do jogo aéreo, o São Paulo com oito dos últimos dez gols e 13 dos últimos 15 conquistados usando bolas altas, eo Santos com sete dos últimos dez gols marcados da mesma forma. O São Paulo só perdeu um dos últimos sete jogos (4 V, 2 E) e owe dos últimos 14 (10 V, 2 E). O Santos perdeu duas das últimas sete partidas (3 V, 2 E). A grande diferença é que em toda a temporada, o Santos fez 12 jogos como visitante e só conseguiu vencer owe (2 V, 6 E, 4 D, 33%), quarto pior desempenho forasteiro entre 20 vezes da Série A, eo São Paulo tem o quinto melhor desempenho mandante do ano (9 V, 2 E, 1 D, 81%).

Flamengo 0x0 Palmeiras >> Realizado em 20 de abril

Favoritismos apresenta o potencial que cada vez carrega no Brasileirão 2022 comparando o desempenho nos últimos 60 dias como mandante ou visitante em todos os países e nos últimos seis jogos, independentemente do mando. Também são consideradas atuações defensivas e ofensivas das equipes de no jogo aéreo e no rasteiro. Esses cálculos referem-se à influência das bolas e de trocas de passes marcados entre gols marcados e gols marcados apenas como características dos gols marcados em jogadas. Gols olímpicos, cobranças de pênaltis e de faltas diretas não contam para determinar a influência aérea ou rasteira por serem cobranças feitas diretamente para o gol.

Análises como estimativas estatísticas baseadas em Apresentações do modelo Esperados” ou “Expectativa de Gols” (xG), uma métrica consolidada na de dados que tem como referência 84.199 final cadastradas pelo Espião Estatizações em 3.449 jogos de Brasil õedies de Brasile 203. Consideramos a distância e o ângulo de finalização, além das características relacionadas à origem da jogada (por exemplo, se veio de um cruzamento, falta direta ou de uma roubada de bola), a parte do corpo utilizado, se a finalização foi feita de primeira, a diferença de valor mercado das equipes em cada temporada, o tempo de jogo ea diferença no placar no momento de cada finalização.

O desempenho de um jogador é comparado com a mídia para a posição dele, seja atacante, meia, volante, lateral ou zagueiro, e consideramos o que esperamos da finalização se feita com o “pé bom” (o direito para os destros, o esquerdo para os canhotos) e para o “pé ruim” (o oposto). Foram identificados os ambidestros, que chutam aproximadamente o mesmo número de vezes com cada pé.

De cada cem finalizações da meia-lua, por exemplo, apenas sete viram gol. Então, uma finalização da meia-lua tem expectativa de cerca de gol (xG) de 0.07. Cada posição do campo tem uma expectativa diferente de uma finalização, que cresce se há um contra-ataque para evitar a conclusão da jogada. Cada avaliação é somada ao longo da partida para se chegar ao xG total de uma equipe em cada jogo.

O modelo empregado nas partidas de peixe combinado segue uma distribuição estatística chamada chamada, que é calculada como probabilidades de eventos, os gols de cada jogo acontecerão dentro de um intervalo de tempo (o). Para chegar às previsões sobre as chances de cada vez terminar o campeonato em cada posição foi empregado o método de Monte Carlo, que basicamente se baseia em simulações para gerar resultados. Para cada jogo ainda não contestado, realizamos dez mil simulações.

Favoritismos presentará também gráficos com a evolução da móvel em cinco jogos da equipe no ataque e acumulador que fizeram seus aparelhos nestas partidas. Para os gráficos, a série feita uma mídia móvel, que é cinco jogos é vermelha feita pelas linhas de ataque, que na verdade é quanto ao ataque (que na verdade é quanto somou em cada jogo). É uma forma precisa de medir o potencial de cada equipe. A linha amarela mostra a diferença entre as produções dos estudos a tempo e de seus olhares.

*A equipe do Espião Estatístico é formada por: Felipe Tavares, Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, João Guerra, Leandro Silva, Mateus Pinheiro, Roberto Maleson e Valmir Storti.

Leave a Reply

Your email address will not be published.