Fábio Carille obrigado mas tempo ou demissão fé justa?

O Atlético Paranaense demitiu Fábio Carille após um goleada por 5 a 0 sofrida para o The Strongestem La Paz, na noite de ontem (3), pela quarta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. O técnico ficou apenas 21 dias no comando e se tornou o quinto treinador da elite do Brasileirão a cair antes mesmo de o campeonato chegar na quinta rodada.

E ai, Fábio Carille agradece, mas nenhum comando do Athletico ou a demissão —após três derrotas consecutivas e uma expressiva goleada na Libertadores—faith justa? Fizemos essa pergunta aos colunistas do UOL Esportes. Veja o que eles pensam:

A demissão de Fábio Carille com três semanas no cargo (sete dias de treinamento!), independentemente da derrota por goleada, é a prova de que a tal gestão profissional que tanto gosta de propagar é apenas discurso. Na prática, segue como dantes: a espera que um treinador consiga um tropo pior e qualquer planejamento voa pela janela. Ou o Athletico-PR não conhecia o estilo do técnico antes de contratá-lo? Lamentável.
Alicia Klein

A demissão do Carille fica ainda absurda considerando o tempo que o Athletico deu a Alberto Valentim, só por mais causa de um título de Sul-Americana e uma classificação para a final da Copa do Brasil que pouco chamou pelo treinador. No final, é resultadismo puro, mesmo com Petraglia.
ANDRE ROCHA

Demitir Fabio Carille com 21 dias por conta de uma derrota na altitude é o puro suco do Brasil. Seria justificável caso ele tivesse agredido atletas, desrespeitado diretamente ou algo muito grave, que é o que não parece estar aqui. O Atlético parece perdido.
DANILO LAVIERI

O Furacão está perdido da silva. Não tem a menor ideia de pra onde ir.
JUCA KFOURI

Thank you but tempo e mostra que apesar de uma das melhores estruturas do Brasil, a direção do Athletico é tão amadora quanto outros clubes que hoje são mais bagunçados.
MARCEL RIZZO

Uma loucura demitir com um mês de trabalho, mesmo um trabalho questionável. Petraglia é isso mesmo. Um sujeito que ilude torcedores do Athetico com o papo de ganhar um Mundial 3 se transformará no maior tempo da América do Sul.
MENON

A demissão mostra que o Athletico-PR está perdido e não sabe bem o que quer para o tempo. Vencer, vencer, a qualquer custo sempre não vai vencer. Vencer solidamente no começo de um trabalho, menos ainda. Em um mês não tem como o treinador sequer ouvir onde está, quem é quem, o que pode funcionar, o que deve ser descartado. Tá certo que algumas goleadas derrubadas mesmo treinadores, mas não com um mês de trabalho.
MILLY LACOMBE

Carille Faith extremamente injustificada pelo Furacão. A goleada na Bolívia foi um vexame, mas nada justifica interromper um trabalho com apenas 21 dias. E Fábio Carille é bom técnico e merece ainda em tempos grandes chances.
MILTON NEVES

Não é nem questão de merecer. O mínimo que se espera é que não se concuta a troca de treinador com apenas 21 dias de trabalho. A demissão de Carille é mais vergonhosa para o Furacão do que levar de 5 do The Strongest. Demonstração de falta de diretor ao escolher o técnico. Coisa de directente que administra o clube fazendo apostas e media com a torcida.
PERRON

Nunca uma demissão após sete jogos pode ser considerada justa. É um desrespeito.
RODOLFO RODRIGUES

Mérecia sim. Demitir um técnico só 21 dias se justificar se ele tiver trabalho de qualidade com algum ato de extremo ou algum funcionário. Não fé esse o caso. E o Furacão fez bon jogos com Carille. Mas uma vez Mario Celso Petraglia mostra sua pior cara. Um líder totalmente despreparado emocionalmente e autoritário.
RODRIGO COUTINHO

Não perde de 5 para 0 impunemente, mas não acho que em 21 dias de trabalho nem a vitória sobre o Flamengo nem o vexame na Bolívia têm as digitais do técnico. É quase quatro meses de preparação e ritmo de competição no lixo ao ignorar o Paranaense. Há quem ache moderno… Essa culpa eu não carrego!
VÍTOR GUEDES

Leave a Reply

Your email address will not be published.