Ex-preparador do Paysandu analisa falhas dos goleiros: “Não acho que deva colocar a culpa só no Ronaldo” | paysandu

Gabriel Leite, Paulo Ricardo, Victor Souza, Elias Curzel…o Paysandu tem uma lista de goleiros que não passam confiança. Alguns torcedores lembram de Ronaldo Willis, preparador de goleiros da equipe, para tentar ouvir o foco dos problemas. O ge conversa com Mauro Cezar, preparado de goleiros que já passou por vários grupos paraenses, para explicar os possíveis motivos dessas soluções.

Ronaldo Willis, goleiro que esteve na época de ouro do Papão, é o atual treinador de goleiros da equipe. Com as falhas recorrentes dos arqueiros, alguns torcedores começaram a olhar para quem prepara esses profissionais. Apesar de estar muito tempo no clube, esse é o primeiro ano de Ronaldo como líder da preparação de goleiros. Mauro acredita que existe um único não entregue.

– Não acho que deva colocar a culpa só no Ronaldo, acho é um todo. Tem que descobrir o que pode estar emocionalmente, se tem que trocar o interior, manter ou recuperar elemente. Essa resposta só pode ser respondida por eles. Vejo o Ronaldo como um grande profissional, faz um grande trabalho, é um estudioso do futebol.

Goleiros Thiago Coelho e Elias Curzel, Paysandu — Foto: John Wesley/Ascom Paysandu

Mauro Cezar explicou que vários fatores podem influenciar a atuação de um goleiro. Alimentação, gramados e peso são pequenos detalhes que podem fazer um goleiro salvar o tempo ou cometer um erro. Além disso, a falta de sequência é outro fator.

– Muitas trocas de goleiros não Paysandu, isso prejudica, em tese, pois deixa de estar jogando. Existe um período de adaptação, recuperação, manutenção, todo um trabalho de fisiologia, um trabalho nutricional. Existem goleiros que têm problemas de sobrepeso, esses precisam ter um acompanhamento. Os gramados do campo paraense têm certas dificuldades.

Com muitas falhas, é normal que exista um ambiente de pressão. É uma posição que não possibilita erros. O fator psicológico é muito importante para esses jogadores. Mauro Cezar fala sobre a importância de uma boa saúde mental.

– O fator emocional influência. O jogador pode ter um problema financeiro, familiar, sentimental. Isso interfere no rendimento dele, não sei se é o caso do Paysandu. Essa falta de regularidade se deve pelo momento, o Muralha teve uma fase ruim no Flamengo, o Marcos teve uma má fase. O emocional do goleiro é 80%. O nível de atenção do goleiro precisa ser muito maior. Precisa de um psicólogo, isso é um fator predominante.

A importância da preparação dos goleiros

Mauro fala sobre importância do preparador de goleiro. São profissionais que constroem um vínculo maior com as atletas, é quase um relacionamento familiar.

– O preparador de goleiro passou a ser um pai, estamos o tempo inteiro com os goleiros. É um treinamento específico. fundamentos, força e velocidade. Existe um convivio. Muitas vezes viajamos com os goleiros. Existe um problema de ir com os quartos dos goleiros, reunir com eles. O jogo do goleiro está relacionado com temperatura, alimentação.

Ronaldo Willis e Silvano Austrália goleiro Paysandu Adaylton, Gabriel Leite, Afonso e Paulo Ricardo — Foto: Vitor Castelo/Paysandu

Desde 2020, o tempo bicolor sempre tem um titular contestado. Gabriel Leite, goleiro do Paysandu esse ano, caiu em lanças únicas. Paulo Ricardo, que passou muito tempo na base do Papão conseguiu, fazer boas defesas, mas apresentou nervosismo em lanças. Ele ficou marcado em um Re-Pa, o goleiro não saiu bem em um escanteio e o Paysandu levou um gol do Remo.

Victor Souza chegou em 2021, ele tem experiência na Série B e era a esperança de um goleiro confiável. Não foi o caso, Victor passará bolas defensáveis. Para solver esse problema, o Paysandu fé buscar um goleiro no maior rival. Thiago Coelho bons Série B 2021. Mesmo sendo um goleiro do Remo, boa parte da jogos de jogadores a contratação.

O goleiro teve uma contusão antes do primeiro jogo e foi substituído por Elias Curzel, que teve um bom início de temporada. Thiago Coelho voltou e precisou esperar, mas não demorou muito para as críticas. O levou 11 gols em três jogos, fé no período das derrotas para Castanhal e CSA. O goleiro bicolor ficou muito marcado, ele ainda apresentava falhas nas rodadas finais do Parazão, foi quando o goleiro voltou.

Thiago Coelho ganhou tem titularidade no último jogo do Parazão. Ele fez uma boa defesa no primeiro jogo da final e no prazo. Na Série C, no jogo contra o ABC, o goleiro espalmou a bola para frente, isso acabou rendendo em gol para o tempo de Natal.

Leave a Reply

Your email address will not be published.