Estreia de GP de Miami de F1 fez mais barulho fora do que dentro da pista – 09/05/2022

A estreia do GP de Miami foi um final de semana em que aconteceu um pouco de tudo, mas talvez não da maneira como a Fórmula 1 sonhava. Desde do mundo do mundo seus fazendo protesto por uma pista por cima da categoria de lançamento da macacão, por uma briga para sair da fase de piercings. Na pista, em um mesmo evento de VIP, ocorreu um número sem número de público, não houve tanta ação quanto se esperava, em prova, em que houve um número de sucesso de público. Como resultado, a Holanda diminui uma desvantagem em relação ao líder do mundial Charles Leclerc, que foi segundo, para 19 pontos.

O paddock estava pegando fogo com Michael Jordan de um lado, as irmãs Williams de outro, David Beckham, Shawn Mendes e muitos personagens da F1 radicados nos USA. Mario e Michael Andretti estavam por lá, com o filho se movimentando na tentativa de convencer uma categoria a abrir uma vaga para sua equipe no futuro. Andretti já tentou comprar um Alfa Romeo e Haas, em um momento encontrado como portas de valorização franca do esporte, e agora sabe que seu caminho seria conseguir uma nova licença fechada. Para isso, contudo, ele precisa do apoio dos outros tempos, que resistem porque terão que dividir seus ganhos com os direitos comerciais em mais uma parte.

celebridades miami - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter

Lewis Hamilton, Michael Jordan, David Beckham e Tom Brady no paddock do GP de Miami

Imagem: Reprodução/Twitter

Mas o crescimento da categoria tinha nos EUA, que já tinha conhecido 1 vez claro na primeira vez que a categoria tinha corrido no país, em Austin, e que mais uma vez ajudou blatant Faith, pode Michael. Tanto, que ele conversou com o presidente da FIA, Mohamed ben Sulayem, em Miami e ganhou o apoio público de Christian Horner, além de estreitar seus laços com a Alpine, que deve proporcionar motores caso o projeto saia do papel.

Quem também apareceu Faith Romain Grosjean, que acabou sendo um personagem interessante por seu testemunho sobre uma das polêmicas do momento. O recurso não estava usando as mãos em um acidente no 202, e contava que não estava usando a aliança no dia (não deixou de usar em operação depois). E a região em que a joia estava escapou quase ilesa.

Isso virou assunto de uma nova direção de prova da F1 decidiu aplicar com rigor uma regra que consta há anos e que proíbe o uso de quaisquer joias por questões de segurança – e o fogo é a grande preocupação. Lewis Hamilton não está fazendo nada dessa nova norma gosta, ele ouve e é apoiado por Sebastian Vettel nessa visão, é direcionado a ele. Hamilton não tirou o piercing que tem no nariz em Miami e disse que não vai tirar. A FIA lhe deu ate o GP de Mônaco para voltar atrás.

Outra norma que está sendo levada mas à risca é a obrigatoriedade das cuecas dos pilotos serem anti chamas, um exemplo do resto de sua roupa. Muitos com a situação e Vettel desfilou pelo pit lane com sua cueca normal em cima do macacão, já que ele não pode mais brincar-la por baixo.

Toda tentou endurecer acabou pegando mal para a direção de prova depois dos problemas de segurança da pista de Miami, vistoriada também pela FIA. O asfalto estava se soltando em alguns trechos e foi refeito duas vezes em pouco mais de 24 horas. Mas a grande queixa dos pilotos era com uma parede de concreto ao invés de um material que absorve mais a energia em caso de acidente na saída da curva14. Carlos Sainz percebe que havia uma proteção de ser trocada. Seu pedido não foi atendido e Esteban Ocon bateu ainda mais forte no sábado.

Tudo parece meio surreal para todo lado que se prepara. Atrás do que a TV mostrava, a Fórmula 1 estava acomodada de um jeito diferente. Caixas e mais caixas de equipes de materiais das equipes enfileiradas nas rampas de acesso do estádio Hard Rock, ou guardadas dentro do próprio estádio, cujas arquibancadas atendem ao escritório para as equipes. Curiosamente, uma equipe de técnicos que trabalhava não transmitiu sua pode ser alojada dentro de um dos vestiários.

equipamentos - Julianne Cerasoli/UOL Esporte - Julianne Cerasoli/UOL Esporte

Caixas das equipes da Fórmula 1 guardadas dentro do estádio Hard Rock em Miami

Imagem: Julianne Cerasoli/UOL Esportes

No início da semana, falou-se muito nas extravagâncias dos preços e da marina falsa, e inclusive o jornalista que levou bronca por brincadeiras com o fato de barcos aparentem “ancorados” em uma cobertura de plástico.

Miami promete ser um grande evento, e não apenas uma corrida, e de fato Chamou a tenção uma quantidade de convidados nas equipes até mesmo na quinta-feira, em que não há qualquer atividade de pista. Era tanta gente que chegou a faltar comida para os convidados.

Mas, pelo na TV e para os fãs que esgotaram os 80 mil ingressos, o show funcionou. Agradou o lado a várias áreas da pista, que foi projetada justamente para que mesmo quem não tinha acesso a uma arquibancada pudesse se locomover a outro e ter acesso a várias atividades diferentes. Tudo isso faz com que a F1 veja em Miami um exemplo para provas no calendário – o que, para algumas outras temporadas, como Mônaco, serve mais como um aviso.

Leave a Reply

Your email address will not be published.