Djokovic se torna 5º homem com 1000 vitórias no tênis; veja lista | tênis

Novak Djokovic alcançou mas de forma expressiva em sua carreira vencer a semifinal contra o norueguês Casper Ruud por 2 sets a 0, parciais de 6/4 e 6/3, do Masters 1000 de Roma neste sábado. O atual número 1 do mundo tornou-se apenas o quinto tenista homem na história a somar 1000 vitória na Era Aberta da modalidade, em torneios de simples.

– Obrigado pelo apoio de vocês. Se pudesse escolher um lugar para a minha milésima vitória, seria aqui ou na Sérvia. Esse bolo é para comemorar com vocês e minha família – celebrou dentro de quadra ao entrar para a história do tênis, em Roma, na Itália.

Tenistas com mas vitórias na história

TENISTA VITORIAS
Jimmy Connors (EUA) 1.274
Roger Federer (SUI) 1.251
Ivan Lendl (TCH) 1.068
Rafael Nadal (ESP) 1.052
Novak Djokovic (SER) 1.000

No primeiro set Djoko dominando os serviços, falhou os primeiros do norueguês e confirmou a vantagem das nossas seguintes malas, mas Ruud reagiu em quadra. Depois de fechar a partida, Djokovic confirmou o segundo set point e fechou por 6/4.

O jogo começou mais equilibrado no segundo set, com ambos confirmando os primeiros saques. Tanto Djokovic quando Ruup forçou nas bolas paralelas, mas o sér aproveitou o erro do sistema de break point do sétimo jogo para abrir a vantagem à frente nem parcial na 4/3. O sérvio não teve dificuldades de garantir o saque e garantir sua milésima vitória da carreira ao fechar por 6/3.

A final do Aberto da Itália será contra o Grego Stefano Tsitsipas, número cinco da ATP, que elimina o alemão Alexander Zverev de virada por 2 sets a 1, parciais de 4/6, 6/3 e 6/3.

Novak Djokovic 1000 vitórias na carreira tênis — Foto: Arte/ge

Djokovic soma também outras marcas significativas ao longo da carreira profissional. O Sérvio é o maior vencedor de títulos do Masters 1000, com 37 (podendo conquistar o 38º neste domingo em Roma), além de ser o único jogador com três ou mais em todos os grandes torneios da temporada (somando Masters 100 e Grand Slams) .

Dono de 20 troféus de Grand Slams aos 34 anos, Djokovic segue na busca pelo record de title dos torneios mais importante da temporada, que hoje é de Rafael Nadal, com 21. É, ao lado do espanhol, o único jogador na história a ter pelo menos duas taças em cada um dos principais torneios do ano (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open).

Relembre vitórias marcantes

Ao longo de 1000 vitórias, Djokovic muitas partidas, especialmente em finais contra alguns dos grandes dez da história. Como, por exemplo, uma decisão de Wimbledon de 2015 contra Roger Federer. O sérvio maior d maior o bicampeonato em 2014 e 2015 contra o maior na grama .

Djokovic derrota Federer e conquista Torneio de Wimbledon

Porém a fé tem a terceira final entre os ossos deve que marcou história. Em 2019, Nole e Federer tomaram a decisão na grama sagrada de Wimbledon com direito a mais de 5h de jogo e vitória por 3 sets a 2, parciais de 7/6, 1/6, 7/6, 4/6 e 13/ 12, garantido ou tetracampeonato.

Após 5 horas de participação, Djokovic vence Federer na histórica final de Wimbledon

Após 5 horas de participação, Djokovic vence Federer na histórica final de Wimbledon

A final de Roland Garros em 2016 fé marcante para o sérvio. Depois de ficar com o vice-campeonato três vezes no torneio, ele teve o último Slam que faltava na coleção, ao bater Andy Murray por 3 sets a 1, parciais de 3/6, 6/1, 6/2 e 6/ 4.

Após o jogo em homenagem a Guga, desenhando um coração e deitando na quadra Phillipe Chartrier assim como o brasileiro fez Phillip quando chegou ao tricampeonato2001.

Novak Djokovic e Rafael Nadal protagonizaram, em 2012, a mais longa final de Grand Slam na história do tênis. Em uma batalha de 5h53, o Sérvio venceu o espanhol por 3 sets a 2, parciais de 5/7, 6/4, 6/2, 6/7 e 7/5.

Bia Haddad no top 50 do ranking WTA

Beatriz Haddad Maia campeã de duplas WTA de Paris tênis — Foto: Instagram/TROPHÉE LAGARDÈRE

Na Brasileira Bia Haddad garantiu vaga no top 50 do ranking da WTA de simples após vencer de virada por 2 sets a 1, parciais de 5/7, 6/3 e 6/1, a romena Ana Bogdan neste sábado. Reverenciar a estoniana Kaia Kanepi na final do WTA 125 de Paris, Bia pode ainda melhorar a posição (49ª) e garantir uma 42ª colocação no ranking mundial.

lado da dupla japonesa Okina o paralelo Kalash na França título de dupla ao produzir a georgiana Okina japonesa, ao lado da japonesa Okina Sato. A vitória também foi de virada por 2 sets a 1, de virada, parciais de 5/7, 6/4 e 10/4.

Apenas outras quatro com dez melhores lugares em posição da, com melhor posição da, com dez melhores lugares do mundo: Maria Esteiros com dez melhores lugares do mundo: no ranking mundial em 2015 e a baiana Patrícia Medrado fé 48ª em 1982 .

Leave a Reply

Your email address will not be published.