Com quase 200 mil pessoas, F1 de Interlagos trouxe R$ 1 bilhão para São Paulo

Ó governador de São Paulo, João Doriagostou neste domingo, 14 Grande Prêmio F1 São Paulo. Ao lado do prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, de Alan Adler, CEO do GP São Paulo, e de Stefano Domenicali, CEO e presidente da Fórmula 1, Doria também verá um troféu em homenagem a Kimi Raikkonenque vai se aposentar das pistas ao final desta temporada.

O evento marcou uma história retomada muito importante pós-pandemia nos conjuntos esportivos e turísticos, e também faz pelo projeto e organização na área de Segurança Pública. “A fé Segurança objeto de um projeto especial. Nós temos 5 mil policiais em Interlagos, no entorno dele, sendo o maior esquema já montado na história do rodovia. Além dos funcionários, também temos cães, cavalarias, devemos helicópteros e 5 drones. Fé estruturada para fazer um sistema de monitoramento por GPS para garantir a segurança das equipes, dos pilotos, dos profissionais, do público e do entorno da região”, afirmou Doria.

Além disso, o evento traz para São Paulo cerca de R$ 1 bilhão no período de uma semana, gerando emprego, oportunidade e renda, além de um impacto muito grande na economia da cidade e do estado. Cerca de 8 empregos temporários gerados.500 negócios diretos na realização do evento. “São Paulo é um exemplo de sua capacidade de realizar grandes eventos internacionais. Tenho muito orgulho desse evento internacional de grande importância”, diz Nunes.

Stefano Domenicali, CEO e presidente da Fórmula 1 considerou este evento de grande importância, sobretudo numa altura difícil, marcando uma retomada desportiva depois de grandes perdas desportivas na pandemia. Já Alan Adler, CEO do GP São Paulo de F1, elogia o evento e considera os investimentos positivos pela primeira vez. “O público presente está incrível, casa cheia e com uma energia bacana. Vamos investir em manutenção este ano e em 2022, cada vez mais, porque a Fórmula 1 merece e São Paulo merece”, afirmou Alan.

Homenagem em Raikkonen

O governador João Doria homenageou o piloto Kimi Raikkonen, 42 anos, com um troféu em comemoração à longa e vitoriosa carreira da Finlândia na Fórmula 1. em 2007 em Interlagos ao lado de outro grande piloto à época, nosso Felipe Massa. Homenagem essa merecida e de grande alegria ao piloto Kimi Raikkonen”, diz Doria.

Aos 42 anos, Raikkonen deixou Interlagos como piloto de F1 e desembarcou no final da carreira. A peça entregue por Doria a Raikkonen é a escultura chamada “Victory”, em referência ao campeonato mundial de 2007 e à mais longa carreira de um piloto na F1. Neste domingo, o atual piloto da Alfa Romeo completa 350 GPs na categoria – ele estreou em 2001, aos 21 anos, e ficou em 2009 na F1, retornando em 2012 um hiato em outros países.

A obra em aço inox fé moldada pelo artista plástico grego Nicolas Vlavianos, de 92 anos e que vive há seis décadas na capital paulista. A indicação do escultor referendada pela Pinacoteca de São Paulo, um dos museus de arte mas importantes do mundo.

“A obra de Vlavianos é um emblema da vitalidade das artes visuais de São Paulo. Uma imagem arrebatadora que expressa plenamente a emoção do impacto da Fórmula 1. Sua escolha de orgulho do setor cultural de São Paulo e demonstra a potência da relação arte-esporte”, afirmou o Secretário de Cultura do Estado, Sérgio Sá Leitão. Uma réplica em menor escala “Victory” também da Fórmula Governador ao CEO 1, Stefano Domenicalli.



Leave a Reply

Your email address will not be published.