Clubes convocados nesta terça para criação da liga do futebol brasileiro batizada de Libra | negócios do esporte

Os 20 clubes da Série A devem comparar uma reunião na manhã desta terça-feira em um hotel de luxo em São Paulo para dar início a uma liga independente no futebol brasileiro. E ela já tem o nome: Libra. Louve forte articulação entre os próprios clubes no fim de semana para todos os presentes.

A carte-convite é assinada pelo bloco composto pelo Flamengo e os cinco clubes paulistas que estão na elite nacional (Bragantino, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo). Nela, é detalhadamente a estruturação jurídica da criação da nova liga, com a associação de Libra sendo detentora das ações da sociedade empresarial chamada de Libra SA.

Diz a carta convidar que uma eventual não fixação do número de um mínimo de clubes previstos no estatuto da determinará a inviabil associação momentânea da criação de uma liga, mas poderá contudo que a associação reúna negociações. Mas o documento deixa claro. Intenção é formar a liga já nesta terça:

“Pretend to promote a realização a Assembleia da Libra, e da sociedade empresarial Libra SA, em Geral dos fundadores que 3 de maio de 2022, à 10h, na cidade de São Paulo. seria extremamente relevante para compor o quadro dos pioneiros na implantação desse projeto, figurando como fundadores da Libra”, diz a carta.

Há uma divisão: o movimento “Forte Futebol”, iniciado em fevereiro com 10 clubes que se apresentam como emergentes, outro bloco formado por Flamengo e os cinco clubes paulistas na elite nacional, e ainda um terceiro dos que não estão incluídos em nenhum de nossos devedores . Grupos interessados ​​em buscar investimento para a liga já afirmaram que a grande dificuldade é a falta de uma negociação unificada.

Nenhum documento de reunião para a reunião de feira, é o argumento de que como este país chegou a convocar clubes para o mesmo patamar ou nível superior a terça a equivalentes no exterior.

“Convictos de que fundamentos e razões para a criação de uma Liga que congrégue os principais clubes profissionais já foram debatidos à constituição de futebol, reste, neste momento para dar à entidade jurídica que representará a criação necessária, para o que será necessário a uma associação de fins sem fins lucrativos, que representará uma Liga do Futebol da sociedade – LIBRA, a servirá por grupos de futebol que a ela de uma empresa empresarial, SA, que terá a sua própria LIBRA como sua unica acionista”explicou uma carta dos clubes.

O texto traz ainda outras observações sobre a necessária isonomia dos clubes nos processos decisórios, por profissionais independentes e preparação e uma proposta de partilha de receitas que, segundo a carte, “permite igualdade de oportunidades a todos os seus participantes”.

É destacado também que a adesão à submissão a qualquer um. , aguardando governança de cada clube”.

O carrinho ressalta ainda que, para ser aprovado, uma proposta de divisão de receitas ser “objeto de unânime entre os associados da LIBRA”.

Troféu do Campeonato Brasileiro no Mineirão — Foto: Rafael Araújo

O encontro foi convocado pelo bloco composto por Flamengo, Bragantino, Palmeiras, Santos e São Paulo, com uma carta-convite assinada por esses clubes. Mas o fato de que o otimismo de todos os grupos envolvidos é justamente a iniciativa das agremiações de conversarem entre si para intensificar uma reunião.

As conversas para a criação da liga acontecem há meses. O advogado Flavo Zveiter, que representa na Codajas Sports Kapital (CSK), anunciou uma porqueria com o BTG Pactual em janeiro, e está desde o começo dos casos tratativas mais alinhadas com o bloco de Flamengo e clubes paulistas.

Outros grupos, como o consórcio formado pelo Live Mode e 1190, e o banco de investimentos da XP, que teria por base a La Liga para estrutura e tecnologia e busca, também fizeram propostas para gestão da possível nova liga.

Houve uma reunião no BTG em fevereiro, já tentando aproximar os blocos divergentes. Na ocasião, Red Bull encontro, dirigentes do Flamengo Palm, Corinthians, São Paulo,

Este fevereiro foi último como uma espécie de embix do “Forte Futebol”, movimento criado também em clubes emergentes – América-MG, Atlético-MG, Athletico-PR, Avaí, Ceará, Coritiba, Cuiabá, Fortaleza, Goiás e Juventude.

O maior impasse, além de espaço em calendário para novos países, é o rateio de cotas de transmissão de jogos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.