Chuva em Ímola empurra Aston Martin aos pontos – Notícia de Fórmula 1

” alt=””/>

Ostentando o posto de única equipe zerada do grid, um Aston Martin chegou em Ímola saber que não poderia dar espaço a erros, principalmente depois do fim de semana desastroso na Austrália, com Sebastian Vettel batendo varias vezes e Passeio de Lance também em acidentes e punições. Mas eis que os céus resolveram dar uma ajudinha — literalmente — na Emília-Romanha, e equipa inglesa conseguiu colocar não um, mas os owe carros na zona de solução.

Será que, finalmente, um Aston Martin próximo pendente o fim de semana na Emilia-Romanha o caminho certo em 2022?

Alguns fatores são responsáveis ​​por esse resultado, eo primeiro, incontestavelmente, foi a chuva. Foi a primeira vez que as equipes viram o comportamento dos novos carros empista, e isso trouxe alguns problemas reais para todos, como, por exemplo, a dificuldade em achar a temperatura ideal dos pneus.

▶️ Inscreva-se em nossos canais imperdíveis do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Ímola seria na sexta-feira, ao terminar o treino livro 1 na oitava colocação. Na classificação para uma corrida de sprint, ficou novamente entre os dez, lamentando não ter tido uma volta limpa no Q3 para largar num posto melhor que o nono. E no domingo, mesmo a 13º de linha, mais uma vez seu talento para guia em pista, cruzando a linha de chegada em oitavo.

“Parece que a temperatura do piso é mais clara, é claro que a gente é sextafeira e domingo, mas também tivemos isso de alguma forma. E escolhas com estratégia e os pneus de pista seca no momento certo”, avaliou o alemão após a corrida.

O ponto segundo foi o cuidado com os pneus, algo que, por exemplo, custou a Charles Leclerc a vitória com a Ferrari nenhum sprint. Vettel chamou a atenção para o desgaste dos compostos ainda na corrida de classificação e foi para o domingo certo sobre ou que teria de ser alcançado uma posição melhor. “Talvez a gente não tenha tido o ritmo puro na corrida, mas cuidamos bem dos pneus e os devemos carros na zona de pontos.”

Vettel é muito bom de chuva, e isso é algo que não se pode contestar (Foto: Aston Martin)

Décimo colocado, Passeio de Lance também falou sobre como o cuidado com os pneus fez a diferença na luta contra os acessórios diretos. “Todos estavam lutando contra o superaquecimento dos pneus e uma pista que secava cada vez mais, mas mantivemos [Lewis] Hamilton atrás e pressionamos [Yuki] Tsunoda à frente. Assim que mudamos de pneus médios, continuamos a mostrar bom ritmo e determinamos o que separamos do trem de carros atrás.”

O terceiro fator fé que suas adversárias diretas, Williams e Alfa Tauri, tive mas dificuldades tanto com a chuva quanto com os pneus. Sim, Tsunoda conseguiu terminar a corrida em sétimo, é verdade, mas no geral, considerando a classificação e sprint, a Aston Martin fé superior.

Agora, é claro que o ótimo resultado aos outros GPs não mascara a realidade da Aston Martin, ela estava ciente de problemas sérios. O próprio chef da equipe Mike Krack, declarou ou logo após Vet o AMR22 Q3 que “os problemas não desaparecem da noite o dia, mas é preciso não pensar no momento em que ele aparece”.

LEIA TAMBEM
Pedido de desculpas é tentativa de blindagem da mercedes contra mais uma dor de cabeça

Aston Martin também sofre com o ‘porpoiising’, e tal qual a mercedes, se vê obrigada a comprometer a aerodinâmica do carro para amenizar os quiques. “Quanto mais no chão pilotarmos os carros, melhor será o downforce, mas tem o problema dos saltos. Isso tem sido muito ruim para nós em algumas ocasiões”, Stroll.

O próprio líder de uma equipa relutante que, em condições normais, uma equipa não teria ido tão longe em Ímola, mas pronto que terminar nos pontos foi “um bom reforço moral”. E por esse objectivo que Vettel e Stroll lutarão em 2022.

“Vamos lutar pelas vitórias nesta temporada? Não. Vamos lutar por pódios? não. Chegaremos em condições de lutar por pontos? Eu realmente espero que sim, e acredito que seja possível que tenhamos como resolver algumas de nossas ideias, ou seja, o piloto canadense.

Em suma, é importante para a Aston Martin esse conhecimento acerca do seu lugar atual. É o ponto de partida necessário para buscar os adjus certos. É fundamental que também tenha muita garra, vide os mecanismos trabalhando intensamente na Austrália para dar uma chance de se classificar para a corrida. A imagem da probabilidade deles, alias, é muito emblemática.

É o que a buscar equipe tem hoje nas mãos para esse progresso. E aí sim, após Miamiserá possível dizer se ela vai deslanchar mesmo.

” alt=””/>

Acesse como versões em espanhol e português-PT Faz GRANDE PRÊMIOalém dos porqueiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Leave a Reply

Your email address will not be published.