Chefe da Mercedes diz que carro dado a Hamilton não é digno de campeão | Fórmula 1

O casamento nove anos de Lewis Hamilton com a Mercedes passa neste ano de crise do campeonato de W13, carro time no atual da F1. E depois de se culpar pelo monoposto “indirigível” dado ao heptacampeão no GP da Emilia-Romagna, no qual ele chegou em 14º no último domingo, o chef da equipe Toto Wolff afirmou que o bólido não está a altura do piloto.

– Não somos dignos de um campeão mundial. Só precisa consertar o carro. Falei com ele quick pelo rádio e pedi desculpas pelo carro que ele precisar guiar no momento, e vamos isso – disse o austríaco.

Lewis Hamilton fé 13º no GP da Emilia-Romagna da F1 2022 — Foto: Alessio De Marco/LiveMedia/NurPhoto via Getty Images

A heptacampeão chegou a duas posições na largada, partindo do 14º lugar, e alcançou uma decima posição ainda nas primeiras voltas. No entanto, ele caiu de volta para seu posto inicial com um pit stop lento no 18º giro e não conseguiu recuperar.

Hamilton terminou em 13º após uma penalidade de 5s dada a Esteban Ocon por não ter certeza de um pit lane, num lance com o próprio piloto da Mercedes.

Rafael Lopes e Luciano Burti analisam o GP da Emilia-Romagna de Fórmula 1

Essa foi a primeira de um total de quatro corridas que Hamilton ficou fora da zona de avaliação. Setimo colocado no Mundial, o britânico não sofreu nenhum pódio com um terceiro lugar no Bahrein e, desde então, visto o novo colega de equipe George Russell obter melhores resultados.

– Alpine espremido por os carros não são o que são, mas sim, móveis, para a que você não é, mas sim, móveis, para ser bem guiado, mas Vimos com e que pode ser bem guiado. o suficiente para um campeão mundial – Wolff contínuo.

O carro de Hamilton tem usado certos e menos conservadores que adotam diferentes no monoposto de Russell. Além disso, o heptacampeão ainda vem sofrendo com trocas lentas de pneus e mau timing da entrada do safety car nos últimos incidentes registrados nas provas até aqui.

Toto Wolff, chefe da equipe Mercedes na F1, durante o GP da Arábia Saudita — Foto: Lars Baron/Getty Images

Enquanto isso, Russell chegou perto de um segundo pódio na prova deste domingo após largar em 11º. Eleva uma quinta colocação ate Charles Leclerc rodar sozinho e despencar na classificação da corrida, alçando o britânico para o quarto posto na disputa.

Recém-chegado na Mercedes, George ocupou o quarto posto no campeonato de pilotos e terminou todas as corridas até aqui entre os cinco primeiros.

– George realmente se saiu bem, considerando o carro que ele tinha. Perdemos o ad da aba da como a frente, o que tinha um carro configurado para a pista e não para a seca, mas aguentou bem – aguentou bem da Mercedes.

A Fórmula 1 encara um intervalo de duas semanas até o inaugural GP de Miami, no recém-construído Autódromo Internacional de Miami.

George Russell chegou em uma posição excepcional no GP da Emilia-Romagna, em Imola — Foto: Clive Mason/Getty Images

Wolff evita chorar expectativas para o desempenho da Mercedes na primeira de duas provas nos Estados Unidos em 2022, mas prometeu que o tempo funciona para solver seus problemas – dentre os quais o sacolejar do carro (efeito proposito) que tem potencial para o desempenho de Hamilton e Hamilton Russel:

– Vamos analisar as coisas para Miami. Se tentar dar um passo na compreensão do carro, parecer outro dia. Mas nós realmente compreendemos-lo mais, podemos trazer e trazer desenvolvimentos para o reparo do carro ou problema dos saltos.

Leave a Reply

Your email address will not be published.