carros novos, Ferrari forte e criptomoedas

De bolso cheio e nova temporada da série Netflix, F1 segue em busca dos jovens e das rivalidades.

A Fórmula 1 começa 2022 com regulamento novo, carros muito parecidos e uma coleção de novos patrocinadores, sinal de que a categoria máxima do automobilismo tem dinheiro e público o ano da Copa do Mundo da Fifa no topo do classificação costas grandes eventos esportivos globalizado.

A 1ª grande novidade do ano nos negócios da F1 foi o anúncio da Red Bull de um contrato de patrocínio de US$ 150 milhões, assinado com um Bybit. O teto de gastos com competição de cada equipe na F1 é de US$ 140 milhões por ano. O contrato RB e Bybit é o maior da história da F1 e provavelmente o maior do mercado esportivo global.

Desde a era do mecenato dos cigarriteiros nos nossos 80 e montadoras após o ano 2000, onde o contrato da Red Bull escancara invadiu as empresas de criptomoedas na F1. A Aston Martin recebe dinheiro da Crypto.com; Para Alpine (Renault), da Binance; a Mercedes, da FTX; a McLaren, da empresa turca Bitci e a Ferrari, da suiça Velas. Isso significa que, do ponto de vista de recursos disponíveis, já está pronta a 1ª lista de favoritos para o campeonato deste ano.

Além das empresas de criptomoedas a F1 atrai novos patrocinadores em diferentes segmentos. Na Red Bull ampliou a sua relação com a Oracle cuja marca aparece em destaque no carro de Max Verstappen e Sergio Perez. A Williams ganhou o apoio da Duracell e Alpine da BTW, a marca de água mineral que já pintou os carros da antiga Aston Martin de rosa.

Parte da justificativa encontrada pelas empresas para investir na F1 vem do crescimento do público interessado sem touradas. O mundial de 2021 atraiu uma público acumulado por 1,55 bilhão de pessoas. Mídia de 70,3 milhões de telespectadores por prova e 108 milhões assistindo à decisão do título em Abu Dhabi. O geral aumento da fé pública de 4% e ainda há espaço para mais. Em 2020, a mídia de audiência da F1 em cada prova fé de 87,4 milhões de pessoas.

estes torcedores esperavam em 2 todos os lançamentos pela temporada de lançamento das máquinas 202 fevereiro que começou a apresentar 4 de novos núcleos da equipe Haas.

Com uma mudança completa no regulamento planejado, para tornar a corrida completa mais equilibradas, várias equipes seguirão ocultando as novidades de testes pré-temporada, programadas para começar em Barcelona no período 25 de fevereiro. O segredo ajuda atrasa o processo de cópias das soluções mais efetivas.

Red Bull, Haas, e Williams primeiro como novos núcleos e os novos patrocinadores em carros de exposição. Aston Martin, McLaren, Alpha Tauri e Ferrari têm seus modelos definitivos. Até agora só os da Alfa Romeo, Aston Martin e Williams foram a track com a regulamentação de que iriam participar das sessões “filmagem”.

No caso da Williams, o carro novo não foi apresentado, mas segue direto para a pista de Silver, Inglaterra, onde eou pela 1ª vez.

De todos os carros sinalizados até agora o mas impressionante e radical é a nova Ferrari F1-75. Williams, Mclaren e Aston Martin trouxeram muitas novidades mesmo com um regulamento restritivo. A espera agora é pelo Red Bull verdadeiro, o novo Alpine ea Mercedes. O burburinho do mercado técnico indica que e Ferrari serão como surpresas positivas do ano que contém novos motores que vêm sendo enviados por Alpine como “foguetes” por quem é do ramo.

E como ninguém de mexer em tempo que está sendo ajudado, a F1 segue com uma estratégia de atrair o público jovem com a série gosta “Conduzir para sobreviver”, produzido pela Netflix. A 4ª temporada estreia marcada para 11 de março, mas não vai contar com a temporada do campeonato mundial em exercício, Max Versta Campeonato Mundial em Exercício.

filme alegor voador que participar das rivalidades Netflix fomenta rivalidades falso. Mal sabe ele que este ano será o centro de todas as rivalidades. Max é o homem a ser batido na F1. Todos querem ver pelo retrovisor no mundial que larga dia 20 de março no Bahrein.

Leave a Reply

Your email address will not be published.