Campeão do Jungle Fight Willian Colorado ganha foto do Contender Series, faz projeção ousada: “Em sete lutas, serei campeão do UFC” – 13/04/2022

O campeão peso galo do Jungle Fight Willian Colorado, que também foi campeão peso pena da organização, vai lutar no “Dana White’s Contender Series” por um contrato com o UFC. A partida será no dia 26 de julho, em Las Vegas, contra o afegão Farid Basharat. Com confiança inigualável, Sergipe de São Cristóvão já trabalha duro para conquistar o título de maior evento de MMA do mundo.

“O campeão peso galo (atualmente Aljamain Sterling) pode cuidar dele, porque eu estou chegando. O pai aqui vai fazer o terror na categoria. E vou contar quantas lutas vou ser campeão do UFC: em sete lutas”, desenhos. “Vou trazer o caos para o peso galo. Pra mim é uma guerra. Acho que nasci na época errada, era pra ter nascido na época medieval, quando só um saía vivo da arena. Eu sinto quando entro no octógono.”

Aos 25 anos, Colorado tem um recorde de 11 vitórias e apenas um resultado negativo, obtido justamente durante sua estreia profissional no MMA em 2017. Desde então, o lutador do Team Figueiredo não tem conhecimento de seus adversários e venceu todos rapidamente. maneira. O mais recente foi Pacceli Afonso, nocauteado no segundo round em luta que conquistou o cinturão peso galo do Jungle Fight no dia 27.

“Eu nem fiquei surpreso com essa oportunidade, e tenho certeza que os caras comigo também não, porque pelo que eu fiz no MMA… são 11 vitórias seguidas, nenhuma luta nas mãos do juízes, nove nocautes e duas finalizações… ninguém nunca passou do segundo round comigo. Eu sou uma máquina. Já era hora de lutar contra os melhores do mundo, porque já lutei contra os do Brasil . Eu adoraria vencer esses gringos e ganhar muito dinheiro com isso”, exclama.

Invicto no MMA, Farid Basharat venceu todas as sete lutas que disputou, a maioria por finalização. Apesar dessa história, William Colorado minimiza o desafio.

“A única coisa que sei é que ele está morto. Ele nunca enfrentou um psicopata como eu, que não tem nada a perder. Subo no octógono para lutar, não me importo com pontos, quero a cabeça dele numa bandeja É isso que importa E é isso que vai acontecer Quando eu chegar nessa pesagem vou tocá-lo com tanto terror que vou dizer a ele o que vou fazer com ele e ele vai ficar maravilhado; vai comê-lo até nocauteá-lo. E vai ser um nocaute brutal”, promete.

Antes de se tornar um lutador, William Colorado tentou uma carreira no futebol, mas não conseguiu avançar financeiramente devido às altas despesas de viagem que teve que carregar. Para se sustentar, fazia de tudo um pouco: vendia sorvete, entregava água, embalava lanches, remendava pneus e consertava motocicletas. As coisas melhoraram um pouco quando ele começou a ensinar jiu-jitsu, muay thai e MMA.

Antes da consagração do Jungle Fight, ele pensa em desistir, mas é impedido por um torcedor que se tornou amigo. Proprietário de uma pequena empresa de serviços de manutenção e segurança especializada em condomínios, Anderson Barreto dedica parte do que recebe à reforma de campos esportivos e apoio a jovens atletas locais. Graças a ele, Colorado reavaliou sua aposentadoria precoce e agora poderá representar todo o Brasil no maior palco de MMA do mundo.

“Sou um simples microempreendedor, também venho de baixo e sei da importância de acompanhar jovens sonhadores. Vi potencial no Colorado assim que o conheci. Quando ele pensou em desistir, também fiquei tenso na época , mas falhei compromissos para impedi-lo dessa loucura. Sei que ele tem potencial para ser um grande campeão, para entrar para a história. ‘UFC’, avalia o chefe da ANC Serviços.

Leave a Reply

Your email address will not be published.