Atlético vence Real no dérbi de Madri e encaminha vaga na Champions

O Atlético de Madri ganhou a faixa de campeão do Real Madrid e venceu o clássico por 1 a 0 na tarde de hoje (8), no Wanda Metropolitano, válido pela 35ª rodada do Campeonato Espanhol. O gol colchonero fé marcado por Carrasco, de pênalti.

Com resultado o Atleti deixa bem, uma vaga na Liga dos Campeões O time de Simeone ocupa uma quarta, com 64 pontos, seis à do Betis, o quinto partidas do fim da competição frente a três. O Real, inalcançável na liderança e escalado com equipe praticamente toda reservada, permanente com 81 pontos.

Na próxima rodada do Espanhol, o Atlético de Madri visitará o Elche na quarta (11), às 16h30 (de Brasília). O Real, por sua vez, segue cumprindo a tabela no torneio nacional e receberá o Levante na quinta (12), também às 16h30.

Quem fé bem: Carrasco

O belga Faith ou Cara da Vitória do Atlético de Madri no Clássico. Participou de todas as jogadas ofensivas e marcou o gol do jogo, de pênalti, abrindo caminho para a vitória dos colchoneros.

Quem fé mal: Camavinga

A oportunidade recebida como titular no d’água de Madri, entro em campo d’água mais avançada dos demais. Perde bolas que geraram oportunidades para o Atlético e pouco na criação. Vallejo, por ter destaque o pênalti, é outro negativo do Real.

Cronologia do jogo

Organizado e ofensivo, o Atlético de Madri enviou no primeiro tempo do início ao fim. Depois de empilhar chances, os colchoneros abriram ou placar com Carrasco, que converteu o pênalti preso por Matheus Cunha, aos 39 minutos.

Na fase final, a partida fé mas equilibrada, movimentada e com boas chances para ambos os lados – as melhores e mais claras para o Atlético. placar, porém, o mesmo. Vitória Mérida do Atleti.

O Jogo do Atlético de Madri

Quando você pensa em si mesmo em Simeone, geralmente ou que quer enfrentá-lo, às vezes você se destaca defensivamente. No clássico, exatamente o oposto aconteceu. O Atleti pressure or o Real do início com linhas altas de marcação ao fim intensidade e organização para se sar e dominar o rival no primeiro tempo.

Com a vantagem, os resultados para a operação são executados, mas com as chances finais.

O Jogo do Real Madrid

Escalado praticamente sem reservas, exceto Militão e Casemiro, ou Real entre o retiro de campo e aparentemente de “ressaca” após o título e classificação para uma final da Champions. No geral, o time não conseguiu segurar o ímpeto do Atlético, nem manter a posse de bola. A falta de entrosamento pesou, e o tempo de Ancelotti não rendeu.

A entrada dos titulares, a equipe melhorou e teve ótimas oportunidades, mas parou em Oblak e não conseguiu o empate.

Início eletrizante do Atlético

Antes mesmo dos 10 minutos de jogo, o tempo de Simoene já havia balcão que não estava para brincadeira. Correa e Carrasco perdem chances claras como 3 e como 8, respectivamente.

Vontade de Matheus Cunha foi premiado

O pênalti convertido por Carrasco teve um toque brasileiro. Foi Matheus Cunha quem alterou a falta dentro da área, logo após a velocidade entre a marcação de Militão e Vallejo. O ataque foi pisado por Valle, ea arbitragem marcou uma penalidade após a checagem do VAR.

Caminhão de gols perdidos

O Atlético teve diversas chances para “matar” o jogo no segundo tempo, mas desperdiçou oportunidades claras para ampliar o placar. Carrasco teve uma travessia, Griezmann e Matheus Cunha também variam entre cara a cara Lunin. O time de Simoene brincou com o perigo, ainda mais com o Real Madrid do outro lado.

Pressão do Real no fim, mas Oblak salva

Apesar de ter sido dominado Durante a maior parte do jogo, o Real Madrid buscou o empate na final. Nos últimos minutos, teve muitas chances com Valverde, Nacho, Asensio e Vinicius Junior, mas Oblak fez ótimas defesas para assegurar a vitória.

Campeão, Real tem titulares poupados e banco de luxo

Apesar de ser um clássico regional, o pouco jogo valia para o Real Madrid, que daqui a 20 dias enfrentará o Liverpool na final da Liga dos Campeões. Dos titulares habituais, apenas os brasileiros Éder Militão e Casemiro começaram jogando. Courtois, Benzema, Modric, Mendy, Carvajal e Vinicius Junior iniciaram como opções no banco.

Sem “pastilha”

Como já havia adiantado – e gerado muita polêmica – Durante a semana, o Atlético de Madri não fez o “pasillo”, corredor de jogadores tradicionais na Espanha parabenizar campeões nacionais. O título faz real Madrid fé confirmada no último fim de semana, com quatro rodadas de antecedência.

FOLHA TÉCNICA:

ATLETICO DE MADRI 1 X 0 REAL MADRID

Concorrência: Campeonato Espanhol, 35ª rodada
Estádio: Wanda Metropolitano, em Madri, na Espanha
Data e programação: 8 de maio de 2022, às 16h (de Brasília)
Árbitro: César Soto Grado
Assistentes: Por Francisco Grijalba e Alvarez Fernandez
VAR: Juan Martinez Munuera
Mapas amarelos: Llorente, Savic (ATM); Jovic, Lucas Vázquez, Vallejo, Nacho (RMA)
Gols: Carrasco, aos 40 minutos do primeiro tempo (ATM)

ATLÉTICO DE MADRI: Oblak; Vrsaljko, Savic, Giménez e Reinildo (Felipe); Llorente, Koke, Kondogbia e Carrasco (Renan Lodi); Correa (Griezmann) e Matheus Cunha (De Paul). Técnico: Diego Simeone

REAL MADRID: Lua; Lucas Vázquez, Éder Militão (Mendy), Vallejo e Nacho; Casemiro (Valverde), Camavinga e Kroos (Modric); Asensio, Jovic (Vinicius Junior) e Rodrygo. Técnico: Carlos Ancelotti

Leave a Reply

Your email address will not be published.