Athletico perde na altitude para Strongest e vira lanterna na Liberta

O Atlético-PR não resistiu a altitude de La Paz (BOL) e fé massacrada por 5 a 0 pelo The Strongest, na noite de hoje (3), pela quarta rodada do Grupo B da Copa Libertadores. O tempo brasileiro começou bem a partida, mas sofreu todos os de cabeça após cruzar na sua área e deixou o estádio Hernando Siles depreciados.

Depois de dominar os primeiros 27 minutos, o Furacão não resistiu aos cruzamentos de Saucedo, que iniciou três jogadas que resultaram em três gol. Triverio marcou os primeiros de cabeça, aos 31 do primeiro tempo 5 do segundo, e ao desvio para Prost anotar o terceiro, aos 24. Também de cabeça, Cascini fez o quarto, aos 45, e Erick, contra, fechou a conta 48 de agosto.

Com a derrota, o Rubro-Negro sai da zona de classificação às oitavas e cai para a lanterna da chave, com quatro pontos. O Strongest assume uma vice-liderança, com cinco, atrás apenas do Libertad-PAR, que tem sete. O Caracas, que venceu os paraguaios por 1 a 0, é o terceiro, com cinco.

The Strongest vence a primeira

O triunfo de hoje quebrou uma série negativa do The Strongest. Nossos primeiros jogos do torneio, o clube boliviano havia somado apenas owe pontos, com os empates em casa, ambos por 1 a 1, contra Libertad e Caracas. O Tigre também só havia feito owe gols, nenhum deles de cabeça.

Quem foi bem: Saucedo é garçom, e Triverio faz deve

O atacante argentino soube colocar muito bem dentro da área e, sem ser marcado, aproveitou para fazer os nossos gols de cabeça. Saucedo, autor das duas assistências para Triverio, também merece ser destaque. Ambos os participantes também participaram do terceiro gol, anotado por Prost

Quem fé do mal: Lucas Halter, Matheus Felipe e Nico

Tiverio deve muito ao trio de zaga do Rubro-Negro, que deu total liberdade. Os três defensores foram muito mal nas jogadas de bola aérea e permitiram que o Tigre boliviano anotasse cinco vezes.

Atuação do Athletico: Transição rápida sem conclusão

Ao adotar 3-4 o técnico Fábio Carille deixou claro que. Ele congestionou uma grande área com a volta dos alas e deixou ataques rápidos para puxar o contra-ataque. A ideia, de evitar o desgaste na altitude com a formação bem posicionada, não funcionou bem no começo da partida, mas não durou.

Nos primeiros 27 minutos, o Strongest não levou perigo tando de fora nem atacando pela linha de fundo, enquanto o Furacão foi perigoso na transição ofensiva, chegando com rapidez ao chuveir o dispositivo gol. Na primeira finalização dos bolivianos, um escanteio que não resultou em gol e alterou tudo que havia planejado anteriormente.

Se lanceando mais ao ataque, o tempo paranaense deixou o jogo aberto, dando mais espaço para o alcance. No entanto, após a volta da volta, mudou a tática e também a alternativa do vestiário duas alternativas, que não foram eficientes.

Furacão começa melhor

Logo aos 5 minutos, Vitinho acertou uma bomba ea bola, desviada, passou por cima da meta. Na cobrança de escanteio, Lucas Halter cabeceou e parou no travessão. Vitinho aproveitou para bater e, em agosto de 18, um passe de Canobbio tirando tinta da viagem.

O goleiro Viscarra apareceu bem 21 de agosto, quando espalmou a queda de Vitinho. Sem reinicialização, Cascini evita Cirino tentando uma nova chance de finalizar. Must minutos depois, Cirino girou sobre o marcador dentro da área e caiu pedindo o pênalti, entretanto o juiz mandou a partida seguir.

Strongest melhora e abre o placar rapidamente

O primeiro outono certo dos mandantes veio aos 27, com Ursino. O goleiro Bento espalmou e Matheus Felipe mandou para escanteio. Pouco depois da cobrança, Jusino cabeceou no travessão.

A melhora da equipe rapidamente alcançou o primeiro gol, anotado pelo Triverio. Saucedo teve tempo e liberdade para cruzar da esquerda. Triverio encontrou um buraco na defesa e submeteu-se sozinho para testar para o fundo da rede.

Dobradinha repetida

Mas um cruzamento de Saucedo e outrogol anotado por Triverio. Desta vez solitário pela direita, Saucedo, nem o espaço para Triverio encontrando outro espaço, precisa passar por cabecear para ampliar.

Muito trocas, novo sistema e falha antiga

Perdido por causa dos gols, Carille mudou para o 4-4-2, aos 12 do segundo tempo, e promoveu as entradas de Terans, Vitor Bueno e Matheus Fernandes de uma só vez. Porém, as mudanças surtiram pouco efeito.

Aos 4, Saucedo novamente e fez uma bola na área pelo alto estrago na defesa do Furacão. Desta vez, Triverio só desviou e Prost mandou para o fundo da rede.

Vira goleada

Com a partida resolvida, o Athletico ficou trocando passes, enquanto os mandantes seguiram mais perigo. Triverio bateu firme e levou perigo para Bento, que espalmou aos 33.

Aos 45. Ursino cruzou e Cascini cabeceou no canto direito para fazer o quarto. Já nos acréscimos, em cobrança de falta na área de Furacão, Erick desviou contra a própria meta e marcou o quinto para os donos da casa.

Trabalhos próximos

Na quinta rodada do Grupo B, o Furacão recebe o Libertad-PAR, dia 18 (quarta). Já os bolivianos encaram o Caracas, na Venezuela, um dia antes.

Antes disso, o Furacão volta suas atenções para o Brasileirão. No sábado (7), às 20h30, você entra no acampamento da Arena da Baixada para enfrentar o Ceará, pela quinta rodada.

FOLHA TÉCNICA:

O MAIS FORTE-BOL 5 x 0 ATHLETICO-PR
Concorrência:
Copa Libertadores da América – Quarta rodada do Grupo B
Dados: 3 de maio de 2022, terça-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz (BOL)
Árbitro: Augusto Menéndez (PER)
Assistentes: Michael Orue (PER) e Jesus Sanchez (PER)
Gols: Triverio, aos 31′ do primeiro tempo e 5′ do segundo tempo; Prost, aos 24′ do segundo tempo; Cascini, aos 45′ do segundo tempo; e Erick (contra), aos 48′ do segundo tempo
Mapas amarelos: Trivério (STR); Matheus Fernandes e Terans (ATH)

O MAIS FORTE-BOL: Guilhermo Viscarra; Diego Wayar (Saúl Torres), Adrián Jusino, Gonzallo Castillo e Juan Pablo Aponte; Luciano Ursino, Fernando Saucedo e Bautista Cascini; Gabriel Esparza (Camacho), Enrique Triverio (Reinoso) e Mauricio Prost (Calleros). Técnico: Christian Diaz

ATHLETICO-PR: Bento; Lucas Halter (Matheus Fernandes), Matheus Felipe e Nico; Erick, Bryan Garcia (Terans), Hugo Moura (Cuello) e Abner; Canobbio, Vitinho (Pedro Rocha) e Marcelo Cirino (Vitor Bueno). Técnico: Fabio Carille

Leave a Reply

Your email address will not be published.