Assistente atingido na cabeça diz que violência é inaceitável

A árbitra assistente Marciely Netto falou pela primeira vez após ser agredido pelo agora ex-técnico da Desportiva Ferroviária Rafael Soriano. Em entrevista com UOL EsportesMarcielly disse estar muito assustada com a violência sofrida em campo e pediu que as mulheres não se calassem diante das agressões.

Marcielly Netto contou que antes de levar uma cabeçada, ela também levou um tapa na mão pedindo para o treinador se acalmar.

“Vi que ele estava muito animado e pedi que se acalmasse. Fiz o gesto com as mãos e ele já veio e bateu. Eu já estava com medo”, disse o auxiliar.

Após o primeiro assalto, Soriano ficou ainda mais nervoso e não aceitou o conselho que Marcielly deu ao árbitro oficial da partida sobre o cartão amarelo para o jogador da equipe Desportiva.

Ele já está discutindo ainda mais comigo. Quando eu ia falar com o árbitro, ele veio e me deu uma cabeçada. Na hora fiquei com medo, não entendi nada. Imediatamente a polícia chegou. E ele ficava gritando que eu estava inventando, que ia me perseguir, mas as fotos são nítidas, disse Marcielly

Marciely postou um vídeo no final da tarde de hoje em suas redes sociais e chamou o episódio de “lamentável”, reiterando que a cabeçada a atingiu no nariz e assegurando que o boletim de ocorrência da polícia e perícia forense já foram feitos. .

O árbitro assistente compareceu ao local e também registrou boletim de ocorrência contra a agressão. No entanto, Marcielly ainda não decidiu se ajuizará ação criminal junto ao órgão judiciário da Federação do Espírito Santo.

“Ouço diariamente comentários machistas, ataques verbais, tudo isso em campo. Chega, não aguentamos mais. Nós mulheres não podemos ficar caladas. Temos que levantar a cabeça e mostrar que somos capazes de estar lá. também.” violência gratuita”, repudiou Marciely.

A FES (Federação de Futebol do Espírito Santo) prestou apoio jurídico ao assistente de arbitragem e decidirá nos próximos dias se processará o ex-técnico da seleção capixaba de futebol.

Durante toda a manhã e início da tarde, o jornalista tentou entrar em contato por telefone com Rafael Soriano, mas ele não atendeu as ligações. O treinador foi demitido após o ataque.

No resumo da partida, árbitro Arthur Gomes Rabelo informou que Soriano ofendeu a assistente antes de atacá-la. “Naquele momento, dou um passo para trás para sacar o cartão vermelho e a árbitra assistente nº 01 Marcielly Netto passa na frente dele para empurrá-lo e pedir calma, e ele diz ‘tira a mão de mim, só porque isso você é uma mulher. Você vai continuar a me tocar, foda-se'”, escreveu o árbitro na súmula.

“O assistente então diz ‘você pode demiti-lo, ele não pode estar aqui e ficar reclamando e me insultando’. Assim que eu dou um passo para trás para sacar o cartão vermelho, o treinador corre em sua direção e dá uma cabeçada no nariz do assistente, contido. pelo árbitro assistente nº 02, Márcio Berger”, relatou Rabelo.

entenda o caso

O ataque aconteceu no final do primeiro tempo da partida entre Desportiva Ferroviária e Nova Venécia, pelo Campeonato Capixaba. Insatisfeito após o árbitro Arthur Gomes Rabelo ter encerrado a fase inicial antes de sua equipe cobrar escanteio, o técnico foi buscar a satisfação do árbitro e deu uma cabeçada no bandeirinha, que imediatamente levou as mãos ao rosto. Rafael Soriano foi expulso por agredir a assistente e desafiou Marcielly a ir à delegacia para registrar boletim de ocorrência.

Mais tarde, Desportiva anunciou a demissão do treinador em nota postada nas redes sociais, ele repudiou o episódio e se solidarizou com a assistente.

“Informamos que, diante do ocorrido, o técnico Rafael Soriano foi desligado do clube”, informou.

  • Acompanhe os destaques do dia no esporte na Live de Danilo e Vitão:

Leave a Reply

Your email address will not be published.