Após tentativa de agressão, arbitrar comentário postura de Jean Carlos: “Espero que tenha relatar punição” | futebol americano

Jean Carlos foi expulso após VAR e parte para cima de árbitra na final do Pernambucano

Nesta segunda-feira, Deborah se pronunciou pela primeira vez desde a partida. Reiterou o relato escrito na súmula e cobrou uma punição.

– Isso não cabe mais no meio do futebol, seja com homem ou mulher. Espero que tenha uma punição. Não pode perder a cabeça e sair para cima de pessoas. Isso não pode passar impunidade. Não pode passar a mão por cima disso – disse a árbitra ao idade.

Jean Carlos fé expulso com cartão vermelho – após intervenção do VAR – por conta de uma cotovelada em Yuri Bigode, do Retro, aos 22 minutos do segundo tempo. Na sequência, partiu para cima de Déborah Cecília e terminou enviada por atletas e pela equipe de arbitragem que estava em campo.

Árbitra Deborah Cecília expulsou Jean Carlos, do Náutico, na final do Campeonato Pernambucano — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Deborah Cecília reforçou a recepção de que o meia deveria o cartão vermelho no lance e chamou a atenção para a própria em campo – afastando-se de Jean Carlos antes de expulá-lo.

Como as imagens estão aí. Ficou claro a latitude dele com relação à cotovelada no jogador. E ficou claro o meu cuidado de dar owe, três passos atrás para expulsá-lo. Se eu não dou esses passos, coisa pior iria acontecer.

-E se as pessoas estão envolvidas ali, os jogadores da ultra team, e os próprios companheiros e a arbitragem, não envolvem, eu com certeza teria sido peitada e agredida sim. A gente não pode perder a cabeça e sair para cima de qualquer pessoa. Sem mínimo, respeito. Em qualquer profissão e qualquer gênero – afirma.

Deborah Cecilia da atitude de Jean Carlos e pede punição;  atleta pede desculpas

Deborah Cecilia da atitude de Jean Carlos e pede punição; atleta pede desculpas

Jean Carlos chegou a publicar um vídeo nas redes sociais falando sobre o caso. O meia disse ter “pedido a cabeça” no lance, acrescentou que não tinha intenção de agredir e pedir desculpas à arbitragem. Apesar de dissolver, o jogador não procurado Déborah Cecília desde o episódio.

Eu não vi se ele passou próximo a mim. Tem um fluxo muito grande de pessoas no campo, não observai de fato. Ele também não chegou a me procurar.

— confirmou Débora.

Jean Carlos posta vídeo em comentário social comentário incidental com arbitragem Deborah Cecília

Jean Carlos posta vídeo em comentário social comentário incidental com arbitragem Deborah Cecília

Caio e Ana Thais repudiam a atitude de Jean Carlos, do Náutico

Caio e Ana Thais repudiam a atitude de Jean Carlos, do Náutico

Jean Carlos pode ser denunciado ao TJD através do relato da súmula mas ainda não houve decisão neste âmbito. O Náutico – enquanto instituição – não se pronunciou espontaneamente sobre o episódio. Nesta segunda-feira, invejo uma nota oficial ao idade (confira no fim) e marcou uma entrevista coletiva do meia para a tarde desta segunda-feira.

Deborah Cecília, apesar do ocorrido mulher, continuou marcada como a primeira pitar a final do Campeonato Pernambucano.

Deixei meu nome escrito para que outras também possam vir a fazer história também. Provei de fato que a gente também tem qualquer capacidade de apitar, seja jogo, e de exercer qualquer função que o homem exerce.

Árbitra Deborah Cecília — Foto: Divulgação/CBF

Nota oficial do Náutico

O Clube Náutico Capibaribe reafirma que é veementemente contra qualquer tipo de agressão ou discriminação, em todas as esferas dentro ou fora de campo. E busca por cumprir este princípio na prática, razão qual tem contrato com consultorias de gestão interna, a da Women Friendly, cuja atuação se insere no tema em debate.

No caso que envolve o atleta Jean Carlos, o seu histórico como jogador e apresenta-se, como um importante reforço à versão que o profissional publicou: não houve sequer a prática de uma agressão à física da árbitra. Ele reconhece a forma exaltada da sua reclamação, pela qual externau desculpas nas suas redes sociais, após a partida.

Além da conduta do atleta ao longo da carreira, como próprias imagens servem para atestar suas declarações. O movimento, interpretado como suposta tentativa de agressão, era uma repetição do que se passava no atleta, quando se buscou se desvencilhar do atleta, que o segurava. Não permaneceu de que ele enfático fé, inconformado com uma dúvida, ao tentar obter o problema. explique para arbitrar que não agredir o agressor, mas sim, se desvencilhar do mesmo. Ele refaz exatamente o mesmo gesto, repetidamente, à beira do gramado momentos antes da decisão ser tomada, após a consulta do VAR.

Internamente, institucionalmente, seguiremos avançando no debate e na prática para que o futebol seja um ambiente de rivalidade disputa, mas sempre com respeito às pessoas e a qualquer tipo de violência ou preconceito, onde nem mesmo as situações como este, de excesso nas reclamações , voltem a ocorrer.

Leave a Reply

Your email address will not be published.