Após gols, Mohamed elogia Hulk no Atlético-MG: ‘Atleta de alto nível. Uma estrela e um exemplo’ | atlético-mg

novamente um protagonista Atlético-MGHulk (autor dos dois gols em Vitória por 2 a 0 contra o Internacional) foi um dos destaques destacados pelo técnico Antonio Mohamed durante entrevista coletiva no Mineirão após o jogo. O técnico argentino listou algumas qualidades do craque do Atlético.

– Os números falam por si. São números incríveis para um jogador. Atleta de alto nível. Felizmente, nós o temos. Temos que tirar vantagem dele porque ele tem muito compromisso com o clube. Isso pode ser descrito em uma palavra: humildade. Ele tem muita humildade. Ela é uma estrela, mas lidera pelo exemplo.

Hulk marcou 13 gols em 11 jogos nesta temporada. O brasileiro já está consolidado, do qual foi o artilheiro do ano passado (19 gols), como candidato novamente à artilharia. Turco Mohamed ressaltou que ele e os demais companheiros são um grupo coeso.

Antonio Mohamed em Atlético-MG x Internacional — Foto: Alessandra Torres/AGIF

– É um prazer treiná-lo. Ele e os demais da equipe, porque tem humildade para trabalhar, para aceitar decisões. O grupo é muito fechado e unido. Isso se reflete em campo.

Na partida contra o Internacional, Mohamed teve que fazer alterações no elenco devido ao desgaste do jogador, após a viagem à Colômbia, onde o Galo venceu o Deportes Tolima, pela Libertadores.

A ideia, segundo ele, era garantir o resultado no primeiro tempo. Não foi possível.

– Tivemos uma partida muito intensa na Colômbia. Muitas horas de viagem. Um dia de viagem chegamos de madrugada. A melhor coisa foi fazer mudanças, mudar os jogadores. Sabíamos que seria um jogo muito exigente fisicamente. E foi. Queríamos fazer a diferença no primeiro tempo, com muita pressão e intensidade, porque as duas equipes jogaram no meio da semana e seguiram em frente. No segundo tempo, as duas equipes diminuíram a intensidade. A ideia era definir o jogo no primeiro tempo. Tivemos oportunidades, não sabíamos como fazer acontecer. Tivemos alguns sustos, mas conseguimos a vitória – sublinhou.

Assista: tudo sobre atleta na ge, na Globo e na sportv

Apesar de tudo, Mohamed gostou do desempenho e da intensidade da equipe. Ele destacou que pelas chances criadas, o Atlético poderia até ter feito um gol elástico no Mineirão, ainda no primeiro tempo.

– O primeiro tempo foi por 2, 3 a 0. Mas não estávamos com muita energia. No segundo tempo eles se sentiram mais confiantes, começaram a sair na frente e tiveram chances. O brasileiro é muito equilibrado. Todas as equipes têm muita hierarquia. Mas hoje fomos vencedores justos. Sabíamos defender quando tínhamos que defender e sabíamos fazer gols quando tínhamos que fazer gols – concluiu.

Outros destaques da conferência de imprensa de Antonio Mohamed

– Achamos que eles nos dariam pressão alta. Por isso tivemos dois jogadores capazes de jogar de costas para o gol do rival: Sasha e Hulk. Sabíamos que eles fechariam a defesa, e colocamos um jogador para jogar na defesa, é o Ademir. No segundo tempo tivemos que mudar, porque faltou gente no meio. Zaracho entrou e desequilibrou o jogo, mudaram a linha de cinco, foi difícil controlar as laterais, mas finalmente, com a entrada de Edu (Vargas) a situação ficou sob controle. Tivemos modificações, mas sem mudar nossa essência de controle de bola. Não é tanta mudança, não é tanta diferença. Eles estão acostumados a ver as situações mudarem. Está quieto.

Nível físico dos jogadores

– Tenho muito claro o que quero. Coloque o melhor time em cada jogo. Compare o nível. Savarino jogou na quarta e Ademir não. Hoje o Ademir tinha muito mais energia do que o Savarino. Ele jogou 70 e Savarino 20. Zaracho se machucou, não viajou, estava prestes a jogar 30 minutos e jogou 30 minutos. E a equipe não baixa o nível. Esta é a coisa importante. Existem outros jogadores com outra condição física, como Allan, Arana, Junior (Alonso), Nathan e que podem jogar mais partidas seguidas e não sentem a condição. A ideia é ter todos os jogadores e não ter lesões. Então eu avalio como formar a equipe.

– Sim, essa era a ideia de hoje. Intensidade, pressão. Faça duplas laterais, Arana e Keno, com Guga e Ademir. Ter dois atacantes para terminar. Essa era a ideia, matar o jogo no primeiro tempo. O melhor foi a intensidade da equipe para recuperar a bola após a derrota. Depois, no segundo tempo, foi diferente. Mas há muita exigência física, então temos que ter uma boa equipe. Mudamos o jogo no segundo tempo, mas manteve a mesma intensidade.

A podcast de atletismo está disponível nas seguintes plataformas:

Sócio Galo na Veia – Atlético-MG — Foto: Divulgação

Leave a Reply

Your email address will not be published.