Após alertado, Gabriel Jesus mudou rota e fez sete gols em 11 jogos para disputar a 9 da Seleção | seleção brasileira

Destaque nas Eliminatórias de 2018, camisa 9 crítico na Rússia, Gabriel Jesus viveu alguns lados da bola nesta travessia de seis anos na Seleção. As marcas da última Copa e o longo tempo sem gol com a amarelinha – desde a final da Copa América, em julho de 2019 – se somaram a obrigação que interromperam bom início de temporada no Cidade de Manchester e culminaram na ausência da lista de março para as Eliminatórias – para partidas contra Chile e Bolívia.

Deve meses depois de ficar de fora da lista, que saiu dia 11 de março, Gabriel está de volta. E renovado. Perto do nascimento do primeiro, o revelador pelo Palmeiras não deu passinho para trás, mas para o meio do ataque. A lista alerta do esquecimento na última motivação. Jesus deixou uma ponta no seu tempo e fez sete gols em 11 jogos neste período.

Gabriel Jesus marca o terceiro gol do Manchester City sobre o Leeds: homenagem ao filho que está chegando — Foto: Reuters

Em entrevista, para o blog do PVC, apresentou mudança de rota: quer brigar pela 9 da seleção brasileira. Jesus tinha feito boas apresentações América pela seleção brasileira como ponta direita na Copa de 2019 e também no início da temporada pelo City. Porém, sempre evitou definir a posição na Seleção. Costumava dizer que estava disposto a judar o treinador. E assim.

Quando foi ao Redação Sportv, em fevereiro, Tite diz que tinha dados físicos que atestavam a perda de força de Jesus, o que parecia explicativo para o desempenho inferior. Casou do treinador da seleção brasileira abrir mais espaços para outros jovens, como Antony e Raphinha também, que entrou bem na equipe. E pelo lado direito que Gabriel Jesus ocupou no início das Eliminatórias.

O ultimo gol de Jesus pela Seleção

Gabriel Jesus título assistência dá, marca um gol, é expulso e chora, mas no final comemorativo da Copa América

– Ele está em evolução e retomada do melhor momento, confiança inclusiva – disse Tite, com a palavra que parece mágica para ouvir o comportamento de Gabriel Jesus.

Em novembro passado, Jesus recebeu a visita de Zé Roberto na Inglaterra. O ex-jogador o trajeto no início do Palmeiras. O papo foi informal, mas serviu para levantar o astral do amigo, que também teve atenção especial dos agentes – que comunicar com o Arsenal para conversar com o City e também para abrir contato com Arsenal, que pode ser próximo destino do jogador.

Zé Roberto visitou Ederson e Gabriel Jesus em Manchester: papo com ex-jogador do Palmeiras em sua casa — Foto: Reprodução

“Rasguei tudo que tinha preparado”

Foi curioso a tática e explicação técnica da comissão técnica de Titus para o retorno de Gabriel Jesus. O preparador físico Fábio comentou que Mahseredjian precisava averiguar as condições físicas do jogador. Na noite em que foi assisti-lo no estádio, ele anotou quatro gols e deu uma assistência, num desempenho avasalador – e de muito fôlego – contra o Watford.

– Teve uma performance física elevada. Muito boa. Surpreso positivamente. Quando você assiste ao jogo no campo todo, você consegue observador o atleta. Eu fugiu até preparado para cobrá-lo de sua performance física. No dia seguinte, almocei com ele e quase rasguei tudo que tinha preparado. Assistimos também ao jogo contra o Real Madrid. Quanto ao aspecto físico, é um problema solucionado – commentou.

O lance do “gato” que Tite explica em vídeo de plataforma para técnicos com Gabriel Jesus como ponta-direita — Foto: Reprodução “The Coach Voices”

Um dos artilheiros da era Tite, com 18 gols – atrás apenas de Neymar, com 25 -, Jesus diz ao técnico Guardiola que queria disputar vaga como centroavante da equipe. Mesmo que seja um atacante mais móvel, ao seu estilo – diferente, por exemplo, de Aguero, antigo companheiro, e bem diferente de Haaland, numa chegada a Manchester que pode influenciar diretamente em sua despedida.

Jogada de Jesus pela direita e gol de Neymar

Aos 3 min do 1º tempo - gol de dentro da área de Neymar do Brasil contra o Paraguai

Aos 3 min do 1º tempo – gol de dentro da área de Neymar do Brasil contra o Paraguai

A comissão técnica de Tite vê os movimentos na mão de Jesus pelo City e as funções brasileiras quando se trata de tarefas encarregadas. Gabriel acrescentou muito na marcação, em disputas de bola pelo alto e, ofensivamente, tem algumas diferenças de posicionamento.

– Fisicamente aumentou uma melhora mesmo. Taticamente também. Fazendo esta função, na fase ofensiva, atacando o canal entre zagueiro e lateral. Teve presença de área e teve participação ativa sempre que a bola veio do lado oposto. Fez quattro gols e três assistências (recentemente). Fomos para dar orientação e ele reverteu tudo isso. É uma posição que tem concorrentes importantes – diz César Sampaio, assistente do Tite na seleção brasileira.

Jesus no fim de abril contra o Leeds, quando marcou um gol, como atacar móvel, mas centralizado. E no início da temporada, quando deu assistência, contra o Liverpool, muito mais pelo lado direito — Foto: Sofascore

Leave a Reply

Your email address will not be published.