Análise: rejuvenescido, Vasco busca soluções no elenco e transforma pressão em apoio | vaso

Questionado e com problemas de última hora, o Vasco entre o campo pressionado, mas sempre se lembra de voltar à situação em São Januário. Ameaçado no cargo, Zé Ricardo buscou soluções dentro do elenco na vitória por 1 a 0 sobre a Ponte Preta, a primeira do tempo na Série B.

Não foi uma atuação de encher os olhos, mas, dentro de suas melhores condições, uma equipe carioca. Mas vibrante e ofensivo, onde o tempo conecta como uma torcida e conseguiu transformar a pressão das arquibancadas em apoio. De quebra, algumas novidades e perspectivas de melhorias. Andrey Santos, de 17 anos, estreou Faith dos melhores em campo, enquanto o chileno Carlos Palácios.

O Vasco teve problemas de ultima hora. Destaque na temporada, Thiago Rodrigues machucou o joelho no treino da véspera e foi substituído por Alexander, terceiro goleiro do elenco. O atacante Erick, por sua vez, sentiu dores na coxa não e deu lugar a Figueiredo antes mesmo de a bola rolar em São Januário.

Andrey desiste e Raniel decide

Raniel comemora gol contra a Ponte Preta, seu terceiro na Série B — Foto: ANDRÉ DURÃO

Zé Ricardo estava incomodado com o desempenho, fez testes e decidiu mudar. Queria um tempo mais leve e ofensivo no reencontro com a torcida e veio com três novidades para o jogo – Riquelme, Gabriel Pec e Andrey -, além de Alexander, que substituiu o goleiro Thiago Rodrigues, lesionado. Certamente. Fé hum Vasco rejuvenescido, disposto e que teve sua atuação nessa Série B nossos primeiros 45 minutos em São Januário.

Um tempo que ainda erra muitas passa e precipita em algumas escolhas, mas que foi melhor, dominou a Ponte, passou poucos sustos e criou algumas boas chances. Esquerda pela localização e projetadas suas principais realizações. Figueiredo e Pec tiveram oportunidades, mas foi Raniel quem marcou, após bola escorada por Figueiredo em escanteio. Terceiro gol do centroavante, que marcou todos os gols do Vasco na Série B.

“Finalmente um entregue”, comemorado por João Almir | Na Voz da Torcida

A jogada que originou o escanteio do gol nasceu em um belíssimo passe de Andrey Santos para Pec. O garoto que vai completar 18 anos na próxima semana (3/5) deu nova dinâmica ao tempo. Melhorou a saída de bola e se apresentou bem no ataque distribuindo bons passes. Ganhou pontos com Zé Ricardo e com o torcedor. Deve seguir entre os titulares no próximo jogo.

Zé Ricardo dá mais tranquilidade para Zé Ricardo prepare o tempo para domingo — Foto: ANDRÉ DURÃO

Com a vantagem, o Vasco recuou um pouco na volta do intervalo, mas não se acomodou. Embora encontre dificuldades para encaixar contra-ataques, espaços interessados ​​marcando forte, sem dar. A Ponte teve mais volume, mas não conseguiu transformar a maior posse de bola em chances claras de gols. Tanto que o goleiro Alexander não trabalhou em São Januário.

Tamanha entrega na marcação cobrou um preço, e o tempo podesou na metade do segundo tempo. Zé Ricardo decide mexer por atacado. Entraram Vinicius, Palácios, Weverton, Edimar e Getúlio. Com gás renovado e combustível das arquibancadas, o tempo passou a sofrer menos, conseguiu ficar mais com a bola e chegar ao ataque. Getúlio quase marcou de cabeça após bom cruzamento de Weverton.

O Vasco ganhou confiança e un dias de trégua. Zé Ricardo terá mais tranquilidade para preparar uma equipe para o jogo contra o Tombense, no domingo, mas saberá que a pressão dos resultados é grande e não pode deixar o tempo se acomodar. Do deste jogo quarta, além das caras novas como Andrey e Palácios, fica a lição de que o Vasco terá sempre que jogar sem limite, com entrega total como contra a Ponte, para conseguir navegar por mares calmos na Série B.

O ge vasco podcast está disponível nas seguintes plataformas:

Assistir tudo sobre o Vasco no ge, na Globo e no sportv:

Leave a Reply

Your email address will not be published.