Agora na Chapecoense, Léo reencontra o Cruzeiro, agradeceu ao clube e revelou acordo não cumprido | cruzeiro

Neste sábado, Léo vai reencontrar uma camisa que se acostumou a vestir em grande parte da carreira: do Cruzeiro. Com 11 anos de história na Raposa, o jogador agora defenderá a Chapecoense e irá jogar contra o tempo mineiro. Um reencontro diferente, nas palavras dele, que remem em agradecimento por tudo que ele passou em Belo Horizonte.

Em entrevista a Globo, o zagueiro de 34 anos comenta sobre a gratidão e o carinho que tem pelo Cruzeiro. Foram 11 anos, ininterruptamente, a camisa celeste, com oito títulos conquistados (duas Copa do Brasildeve Campeonatos Brasileiros e quatro Campeonatos Mineiros).

– É um jogo diferente. Enfrentar uma equipe que você passou tantos anos e tem a história legal, de títulos, conquistas, história de muitas alegrias. Praticamente um terço da minha vida foi lá. Todo mundo sabe o respeito e carinho que tenho por esta instituição. Agora estou buscando núcleos, buscando meus objetivos, tentando os três pontos para o melhor.

Leo chegou ao Cruzeiro em 2010. Passou por momentos de protagonismo, sendo destaque em grandes títulos e usando a braçadeira de capitão, e por outros não tão positivos, como a perda de espaço entre 2015 e 2016 e o ​​rebaixamento do clube em 2019.

“Os 11 anos que eu passei no Cruzeiro sempre foi com empenho, brio, dando a cara para bater e nos disponibilizando – destacou o zagueiro”

Leo Zagueiro — Foto: Tv Globo

Mesmo com o tempo de casa e o currículo vitorioso, a saída de Léo, do Cruzeirodeixou marcas no zagueiro. Chegou a ficar impossibilitado de comer na Toca da Raposa, em uma decisão que partiu do Cruzeiro, na época.

Na saida da Raposa, Leo admite frustração no deixar o Cruzeiro. Ele recebeu um acordo com o clube, que superou os R$ 10 milhões, para valores atrasados. Enquanto isso, afirma que o acordo fechado em maio do ano passado não está sendo cumprido.

Léo elevou a taça da Copa do Brasil de 2017 junto do volante Henrique — Foto: Agência I7

– Uma questão que todo mundo sabe, como saímos do Cruzeiro, que foi muito ruim, no sentido que, muitas vezes, fut impedido de alimentação, de muitas coisas. Fizeram um acordo comigo que eu não queria, porque contrato ate o fim de 2022. Depois o presidente que esteve lá soltou um áudio muito ruim também, também não foi um presidente que fez coisas boas pelo Cruzeiro, pelo pouco que passou não tem uma história boa. Não tem cumprido nenhum tipo de acordo e decisão comigo afirmado.

“São trabalhadores que a gente tem como de uma instituição. Um acordo que eles não têm direitos desde que sai.

Assistir: sóbrio tudo o Cruzeiro no ge, na Globo e no Sportv

Leo sentiu o Cruzeiro, num momento que o futebol mineiro tem o futebol, o futebol por Ronaldo Fenômen chegou após a saída de Léo. O hoje zagueiro da Chapecoense afirma que torce pelo sucesso do novo gestor celeste.

– A gente acompanha um pouco mais de fora essa chegada do Ronaldo. Uma questão que a gente vê que ainda não está muito definida pelas coisas que acontecem lá, de indefinições. Há pouco tempo atrás, olhou se ele ficou ou não. Acompanhamento de fora. Mas o Ronaldo é uma cara que sempre respeita. Já pude jogar contra, às vezes, uma cara ele reputada. Espero que ele faça um grande trabalho, que possa cumprir tudo que vem trabalho. É uma questão nova no Brasil, tem que mudar muito a questão cultural, da SAF, clube-empresa. Que ele possa cumprir os objetivos, efetivar todo o planejamento de profissionalismo que não tem futebol.

O podcast ge cruzeiro está disponível nas seguintes plataformas:

Sócio 5 Estrelas – Cruzeiro — Foto: Divulgação

Leave a Reply

Your email address will not be published.