A maior promessa do Cruzeiro vira as costas para Ronaldo Fenômeno. E assina com o Athletico Paranaense – Prisma

São Paulo, Brasil

Ronaldo não se acostumou apenas com o apelido.

Ele age como se o mundo devesse tratá-lo com a reverência de “Fenômeno”, um nome que, graças ao seu talento, se tornou um adjetivo na Itália.

Aos 45 anos, ele ainda é tão carismático, amigo da mídia e poderoso. E bilionário.

Para continuar no futebol, atividade que lhe traz dinheiro, fama, prestígio, visibilidade e casamentos, guiado por amigos financeiros, ele decide investir no controle de clubes. Comprei o pequeno Valladolid da Espanha. E mais tarde, soube que poderia me tornar dono de 90% do Cruzeiro, com uma dívida de mais de R$ 1 bilhão.

Interessante negócio, pois, conforme revelado, ele teria que investir ‘apenas’ R$ 50 milhões do próprio bolso e os outros R$ 350 milhões prometidos viriam do próprio clube, em mudanças radicais na administração e, principalmente, no futebol.

Ele exigiu que a Toca da Raposa 1, uma das melhores concentrações da América do Sul, fosse uma garantia de que o Conselho Cruzeiro autorizaria as mudanças que ele quer fazer. A Toca 2, que ficou de fora do clube endividado, também terá garantia. Mais pelo terreno do que pelas obras.

Ronaldo conseguiu a aprovação do Conselho para o que quisesse. E a confirmação da compra do SAF deve ser feita até o final deste mês.

Desde o final de dezembro de 2021, ele fez o que queria. Ele reformulou o elenco, pressionou o clube a cancelar contratos com jogadores já acertados, como Jaílson. Vanderlei Luxemburgo, que foi seu técnico no Real Madrid e na Seleção, foi demitido, até com palavras, sem a menor consideração. Exatamente como fez com o maior ídolo recente do clube, o goleiro Fábio, também com a promessa do presidente de ficar mais um ano, para chegar aos mil jogos do clube. Ronaldo queria que ele jogasse apenas no Mineiro, para que o clube ganhasse em algumas das despedidas do jogador. E adeus. Fábio disse não a Ronaldo.

Só ‘Fenômeno’ descobre que seu carisma por si só não é suficiente no mundo real do futebol brasileiro.

E ele acabou de ser esnobado por um garoto de 17 anos.

A história começou mal e terminou mal.

Vitor Roque foi uma das revelações da base americana. A imprensa mineira revelou como ele apareceu no Cruzeiro. Segundo o jornal O Estado de Minas Gerais, o governo do ex-presidente Wagner Pires de Sá gastou R$ 1,45 milhão para ter o jovem atacante, em 2019, ainda com 14 anos.

Para burlar a lei, que impede transações com menores, o Cruzeiro teria pago 953 mil reais ao pai do atleta. Sua “função”, olheiro. E enviou, segundo a publicação, mais R$ 500 mil ao empresário André Cury.

O jogador não decepcionou. Ele mostrou um grande talento de base. E, em 25 de maio de 2021, assinou contrato de quatro anos com o Cruzeiro. A gestão fez questão de revelar que a multa foi de 300 milhões de euros, ou cerca de 1,5 bilhão de reais utópicos. Foi uma forma de alienar os clubes europeus.

Mas optou por pagar salários de 12 mil reais a Vitor Roque. O que foi um bom ponto baixo para um jogador com tanto potencial. Para os clubes brasileiros, o valor é decidido além do salário, como explicou o presidente do Cruzeiro, Sérgio Rodrigues, em um grupo de amigos no WhatsApp.

“Quem entende a lei brasileira do esporte e o trabalho dos futebolistas sabe o que é. justificar-se.

A multa de Vitor Roque foi baixa em relação às expectativas: 24 milhões de reais.

Ronaldo ficou possuído ao saber que poderia perder muito dinheiro com a saída do atacante. Esperava ganhar muito com o atleta que tem muita qualidade. Clubes do sul assediaram seu empresário, André Cury.

O Internacional foi o primeiro a chegar, mas o Athletico Paranaense foi mais eficaz. E ofereceu ao atacante um grande aumento e um contrato de cinco anos. Além, é claro, de pagar R$ 24 milhões pela multa. Para piorar, o Cruzeiro detém apenas 50% dos direitos do jogador, ou R$ 12 milhões. 30% seguem da América e 20% do próprio atacante.

O possível ‘dono do Cruzeiro’ tentou conversar com Cury e o jogador.

Ele teria oferecido salários de R$ 200.000.

Mas não conseguiu dissuadi-los da ideia do atleta ir jogar no Paraná.

Vitor Roque, que até cortou o cabelo no estilo ‘Cascão’, que Ronaldo usou durante a Copa do Mundo de 2002, para se distrair da forte dor que sentia no joelho direito, já está em Curitiba.

Você deve assinar o contrato hoje. O Atlético tem pressa em regularizá-lo. E que ele possa disputar a Libertadores da América.

A contratação foi articulada por Mario Celso Petraglia, homem forte do clube paranaense, que demitiu ontem o técnico Alberto Valentim, após goleada do time contra o São Paulo.

O clima no Cruzeiro, que já era terrível após a derrota no início da Série B, por 2 a 0, na Bahia, é bem pior.

A saída de Vitor Roque é frustrante.

O carisma de Ronaldo falhou.

Não valia o dinheiro oferecido pela Petraglia.

Uma lição dolorosa para o Fenômeno…

Memória? Descubra atletas famosos que competirão nas séries C ou D

Leave a Reply

Your email address will not be published.